Coisas que você deve saber por 25

ele está me usando?

2020.10.28 15:14 belibeliia ele está me usando?

tenho 18 anos, comecei já falando minha idade pois comecei a ficar com um cara de 25. Sempre fui apaixonada por ele, comecei a gostar dele a mais de um ano, quando ele ainda namorava uma mulher, que tinha uns 27 anos. quando ele terminou, começamos a nos falar mais, nós éramos muito amigos mas começamos a flertar bastante,que eu achava estranho pois ele tinha acabado de acabar com o relacionamento e demonstrava que estava muito triste com isso, postava nas redes sociais, e ele realmente nem saía mais de casa, mas ainda continuava dando em cima de mim, falando que queria transar comigo e que me amava (ele já sabia que eu gostava dele desde quando ele namorava) Eu me sinto praticamente uma criança, mesmo sendo maior de idade, perdi meu bv com 17 e não perdi minha virgindade. como eu sou muito apaixonada por ele e faria qualquer coisa pra ele começar a namorar comigo, tentei perder minha virgindade com ele,pois ele me falava que sexo tinha que fazer parte de um relacionamento de qualquer jeito. porém, desisti na hora h, pelos fatores de que eu não estava aguentando, desisti fiquei com vergonha e ele ficou bravo comigo. Me senti muito triste com isso, ele era tão doce e nunca vi ele bravo assim, ainda mais por não entender que eu realmente não estava pronta. Por isso me acho uma criança, além de não conseguir realizar essas coisas, ficar com uma pessoa mais velha que eu, que supostamente ainda é apaixonado por alguém quase 10 anos a mais que eu me faz ficar muito triste, me senti infantil. Meus amigos me dizem que ele só me usa, ele fala que me ama mas eles dizem que é apenas para fazer sexo comigo. Provavelmente vocês vão pensar “você não deve cobrar tanta coisa dele por que vcs não namoram” mas realmente é quase como um, nós fazemos quase tudo como praticamente casal, nos beijamos todas as vezes que nos vemos, quando fico com ciúmes dele ele fala que só tem olhos pra mim, que ele não quer saber mais de outra mulher, toda hora ele diz que sou linda, perfeita, sempre foi um doce. por isso achei estranho ele ficar bravo comigo por não conseguir fazer sexo. Enfim, vocês acham que eu estou sendo infantil demais com isso? ou se ele está me usando? mesmo dizendo que me ama, faz nem 5 meses que ele terminou um relacionamento de alguns anos. obrigada por ler até aqui.
submitted by belibeliia to relacionamentos [link] [comments]


2020.10.27 23:03 leonardofragas Um guia para ter cultura, por Paulo Francis

Um guia para ter cultura, por Paulo Francis
https://preview.redd.it/ob286jmvkpv51.png?width=1080&format=png&auto=webp&s=98787e8245cd77cc7ae59b31813c5b11a168e7aa
Pedem minha ficha acadêmica para jovens vestibulandos… Não tenho. Tentei um mestrado na Universidade Columbia em Nova York 1954, mas desisti, aconselhado pelo professor-catedrático Eric Bentley. Achou que eu perdia o meu tempo. Li toda a literatura relevante, de Ésquilo a Beckett, e sabia praticamente de cor a Poética de Aristóteles. Em alguns meses se lê tudo que há de importante em teatro. Li e reli anos a fio.
Mas, sem o doutorado ou nem sequer mestrado, me proponho fazer algumas indicações aos jovens, que, no meu tempo, seriam supérfluas, mas que, hoje, talvez tenham o sabor de novidade. Falo de se obter cultura geral. É fácil.
Educação era a transmissão de um acúmulo de conhecimentos. Hoje, é uma adulação da juventude, que supostamente deve fazer o que bem entende, estar na sua, como dizem, e o resultado é que os reitores de universidades sugerem que não haja mais nota mínima de admissão, que se deixe entrar quem tiver nota menos baixa. Deve haver exceções, caso contrário o mundo civilizado acabaria, mas a crise é real, denunciada por gente como o príncipe Charles, herdeiro do trono inglês, e por intelectuais como Alan Bloom, que consideram a universidade perdida nos EUA. No Brasil, houve a Reforma Passarinho nos anos 80. A ditadura militar tinha o mesmo vício da esquerda. Queria ser popular. Era populista. Quis facilitar o acesso universitário ao povo, como reza o catecismo populista. Ameaça generalizar o analfabetismo.
Não há alternativa à leitura. Me proponho apontar alguns livros essenciais ao jovem, um programa mínimo mesmo, mas que, se cumprido, aumentará dramaticamente a compreensão do estudante do mundo em que está vivendo.
Começando pelo Brasil, é indispensável a leitura de Os Sertões, de Euclides da Cunha. É curto e não é modelo de estilo. Euclides escreve como Jânio Quadros fala. É cara do far-te-ei, a forma oblíqua de que Jânio se gaba. Mas o livro é de gênio. Nos dá a realidade do sertão, que é, para efeitos práticos, o Brasil quase todo, tirando o Sul; a realidade do sertanejo, e do nosso atraso como civilização, como cultura, como organização do Estado. Euclides mostra o choque central entre o Brasil que descende da Europa e o Brasil tropicalista, nativo, selvagem. Euclides apresenta argumentos hoje superados sobre a superioridade da Europa, mas nem por isso deixa de estar certo. Tudo bem ter simpatia pelo índio e o sertanejo, o matuto, mas nosso destino é ser, à brasileira, à nossa moda, um país moderno nos moldes da civilização européia. Euclides começou o livro para destruir Antônio Conselheiro e a Revolta de Canudos, mas se deixou emocionar pela coragem e persistência dos revoltosos e terminou escrevendo um grande épico, em prosa, que o poeta americano Robert Lowell, que só leu a tradução, considera superior a Guerra e Paz, de Tolstoi.
Mas o importante para o jovem é essa escolha entre o primitivo irredentista dos Canudos e a civilização moderna, porque é o que terá de enfrentar no cotidiano brasileiro. É o nosso drama irresolvido.
Leia algum dos grandes romances de Machado de Assis. O mais brilhante é Memórias Póstumas de Brás Cubas. Para estilo, é o que se deve emular. O coloquialismo melodioso e fluente de Machado. É um grande divertimento esse livro. Eu recomendaria ainda para os que tem dificuldade de manejar a língua O Memorial de Aires. É o livro mais bem escrito em português que há.
Os gregos são um dos nossos berços. Representam a luz e a doçura, na frase de um educador inglês, Mathew Arnold (também poeta e crítico). Arnold falava contra a tradição judaico-cristã, dominante na nossa cultura, na nossa vida, a da Bíblia e do Novo Testamento, que predominaram no mundo ocidental desde o Século V da Era Cristã, quando o imperador romano Constantino se converteu ao cristianismo. Estudos gregos sérios só começaram no Século XIX, quando se tornaram currículo universitário, porque antes os padres e pastores não deixavam.
Mas leia originais. Escolhi quatro. Depois de se informar sobre Platão na enciclopédia do seu gosto, se deve ler A Apologia, que é a explicação de Sócrates a seus críticos, quando foi condenado à morte, e Simpósio, um diálogo de Platão. Platão não confiava na palavra escrita. Dizia que era morta. Preferia a forma de diálogo. Na A Apologia se discute o que é mais importante na vida intelectual. A liberdade de ter opiniões contra as ortodoxias do dia. Ajudará o estudante a pensar por si próprio e ter a coragem de suas convicções.
Depois, o delicioso Simpósio. É uma discussão sobre o amor, tudo que você precisa saber sobre o amor sensual, o altruístico, o que chamam de platônico, é o amor centrado na sabedoria.
Platão colocou, à parte Sócrates, seu ídolo, no Diálogo, Aristófanes, o grande gozador de Sócrates. Na boca de Aristófanes põe uma de suas idéias mais originais. Que o ser humano era hermafrodita, parte homem parte mulher, e que cada pessoa, depois da separação, procura recuperar sua parte perdida, e daí a predestinação da mulher certa para um homem e do homem certo para uma mulher.
Imprescindível também ler As Vidas, de Plutarco, o grande biógrafo da Antiguidade. Ficamos sabendo como eram os grandes nomes em carne e osso, de Alexandre, paranóico, a Júlio César, contido, a Antônio e Cleópatra. Shakespeare baseou grande parte de suas peças em Plutarco e leu em tradução inglesa, porque Shakespeare, como nós, não sabia latim ou grego. E, finalmente, como história, leia A Guerra do Peloponeso, de Tucídides. É sobre a guerra entre Atenas, Esparta, Corinto e outras, durante 27 anos, no Século V antes de Cristo. Lendo sobre Péricles, o líder ateniense, Cleon, o führer espartano, e Alcebíades, o belo, jovem e traiçoeiro Alcebiades, nunca mais nos surpreenderemos com qualquer ato de político em nossos dias. É o maior livro de história já escrito. Sempre atual.
Da Roma original basta ler Os Doze Césares, de Suetônio, e Declínio e Queda do Império Romano, de Gibbon. Mais um banho de natureza humana.
Meu conhecimento científico é quase nenhum. Mas li, claro, a Lógica da Pesquisa Científica, de Karl Popper, quando entendi o que esses cabras querem. Para quem quer um começo apenas, recomendo o prefácio do Novum Organum, de Francis Bacon, que quer dizer, o título, novo instrumento, e Bacon explica o método científico e o que objetiva a ciência. E para complementá-lo leia o prefácio dos Os Princípios Matemáticos da Filosofia Natural de Isaac Newton, e o prefácio de Bertrand Russell e Alfred North Whitehead de seus Principios da Matemática. Também vale a pena ler a História da Filosofia Ocidental de Bertrand Russell, e o capítulo sobre Positivismo Lógico que é a filosofia calcada no conhecimento científico. Em resumo, tudo que pode ser provado lógica e matematicamente, é filosofia.O resto não é. Acho isso perfeitamente aceitável. Dispenso o resto.
É nas artes que está a sabedoria. Como viver bem sem ler Hamlet, de Shakespeare? Está tudo lá em linguagem incomparável, é de uma clareza exemplar, tudo que nós já sentimos, viremos a sentir, ou possamos sentir.
Preferi citar junto com Shakespeare uma peça grega, que considero vital: Antígona, de Sófocles. Há uma tradução de Antígona, em verso, por Guilherme de Almeida, que Cacilda Becker representou no Teatro Brasileiro de Comédia.
Antígona é o que há de melhor na mulher. É a jovem princesa cujos irmãos morreram em rebelião contra o tio, o rei Creon, e ela quer enterrá-los, porque na religião grega espíritos não descansam enquanto os corpos não são enterrados. Creon não quer que sejam enterrados, como advertência pública a subversivos. Antígona desafia Creon. Ele manda matá-la. Ela morre. Seu noivo se suicida. É o filho de Creon, que enlouquece. Parece um dramalhão, mas não é. É a alma feminina devassada em toda sua possibilidade fraterna. Hegel achava que Antígona era o choque de dois direitos, o direito individual e o direito do Estado. E assim definiu a tragédia.
A melhor história de Roma é a de Theodore Mommsem. A melhor história da Renascença é a de Jacob Buckhardt. Tudo que você precisa saber.
E aprenda com um dos mais famosos autodidatas, Bernard Shaw (o outro é Trotski). Leia todos os prefácios das peças dele. São uma história universal. Um estalo de Vieira na nossa cabeça. Em um dia você lê todos. Anotando, uma semana. Também vale a pena ler a Pequena História do Mundo, de H.G.Wells, superada em muitos sentidos, mas insuperável como literatura.
Passo tranqüilo pelo Iluminismo. Foi tão incorporado a nossa vida, que não é necessário ler Voltaire ou Diderot. Os livros de Peter Gay sobre o Iluminismo são excelentes. Dizem tudo que se precisa saber. Se se quer saber mesmo o que foi o cristianismo, a obra insuperada e As Confissões de Santo Agostinho, uma das grandes autobiografias, à parte a questão religiosa.
Não é preciso ler A Origem das Espécies, de Darwin, mas é um prazer ler Viagens de um Naturalista ao redor do Mundo, as aventuras de Darwin como botânico e zoólogo, a bordo do navio inglês Beagle, nos anos 1830, pela América do Sul, com páginas inesquecíveis sobre Argentina, Brasil e Galápagos, que está até hoje como Darwin encontrou (e o Brasil e Argentina, na sua alma?)
Houve três grandes revoluções no mundo, a americana, a francesa e a russa. A literatura não poderia ser mais copiosa. Mas basta ler, por exemplo, Cidadãos, de Simon Schama, para se ter um relato esplêndido da revolução interrompida, 1789-1794, na França, e concluir com o livro de Edmund Wilson, Rumo à Estação Finlândia. Schama é conservador, Wilson não era, quando escreveu, fazia fé, ainda na década de 30, como tanta gente, na Revolução Russa. Mas a esta altura, e mesmo antes de ele morrer, em 1972, é fácil notar que a Revolução Russa não teve o Terror interrompido, como a Francesa, mas continuou até Gorbachev revelar o seu imenso fracasso.
O melhor livro sobre a Revolução Francesa é História da Revolução em França, de Edmund Burke, de 1790, que previu o Terror de Robespierre e Saint-Just. Se o estudante quer um livro a favor da Revolução Francesa, leia, o título é o de sempre, o de Gaetano Salvemini. A favor da russa a de Sukhanov, que a Oxford University Press resumiu num volume, ou A Revolução Russa, de Trotski, um clássico revolucionário. Mas os fatos falam mais alto que o brilho literário de Trotski.
Sobre a Revolução Americana não conheço livro bom algum traduzido, mas por tamanho e qualidade, um volume só, sugiro a da editora Longman, A History of the United States of America, do jovem historiador inglês Hugh Brogan, 749 págs, apenas, quando comprei custava US$ 25. Tem tudo que é importante.
Em economia, a Abril publicou 50 volumes dos principais economistas. Eu não perderia tempo. Têm tanta relação com a nossa vida como tiveram Zélia e a criançada assessora. Mas há o Dicionário de Economia, também da Abril. Quando tascarem o jargão, você consulta para saber, ao menos, o que significa a embromação. Economia se resume na frase do português: quem não tem competência não se estabelece.
Dos romances do Século XIX, Guerra e Paz, de Tolstoi, e Crime e Castigo, de Dostoiévski, me parecem absolutamente indispensáveis. Guerra e Paz porque é o retrato completo de uma sociedade como uma grande família, porque rimos e choramos sem parar, porque contém um mundo e as inquietações do protagonista, Pierre Bezhukov, que até hoje não foram respondidas. Crime e Castigo, porque exemplifica toda a filosofia de Nietzsche de uma maneira acessível e profundamente dramática, de como o cérebro humano é capaz de racionalizar qualquer crime, que tudo é relativo, em suma, a pessoa que pensa e age, como Raskólnikov, o protagonista. Vale tudo. Dostoiévski, para nos impedir de aniquilar uns aos outros, acrescenta que não se pode viver sem piedade.
Dos modernos, Proust é maravilhoso, mas penoso, Joyce é desnecessário, mas vale a pena ler as obras-primas de Thomas Mann, A Montanha Mágica, para saber o que foi discutido filosoficamente neste século, e Dr. Fausto, que leva o relativismo niilista que domina a cultura moderna e de que precisamos nos livrar, se vamos sobreviver culturalmente, como civilização, e não como meros consumidores, num nível abjeto de satisfação animal. Há muitas obras que me encantaram e não estou, de forma alguma, excluindo autores ou quaisquer livros. A lista que fiz me parece o básico. Em algumas semanas, duas horas por dia, se lê tudo. Duvido que se ensine qualquer coisa de semelhante nas nossas universidades. Se eu estiver enganado, dou com muito prazer a mão à palmatória.
— Paulo Francis, O Estado de São Paulo, 30 de Maio de 1991
submitted by leonardofragas to brasilivre [link] [comments]


2020.09.25 19:53 Vedovati_Pisos Doenças respiratórias em equinos. Veja como evitar!

Nós já escrevermos aqui um artigo sobre como cuidar dos seus cavalos, mas você sabia que as doenças respiratórias em equinos já são um dos maiores motivos de atendimentos veterinários?
Em grande parte, isso se deve aos erros de manejo das instalações, além da predisposição dos próprios animais em contrariem estas doenças, muitas vezes crônicas.
As doenças pulmonares são também responsáveis pelo afastamento de grande parte dos cavalos atletas de suas atividades.
Em números exatos, pesquisas revelam que cerca de 25% dos cavalos de corrida já adquiriram pelo menos uma vez doenças respiratórios em maior ou menor grau.
O primeiro sinal de alerta de que o animal possa estar com alguma destas enfermidades está na respiração ofegante, principalmente depois das atividades físicas. Em seguida, perda de peso e queda no rendimento.
Sendo assim, é muito importante que o proprietário do animal, já nos primeiros sinais, submeta-o ao atendimento especializado.
O médico veterinário, então, deverá utilizar uma das mais importantes ferramentas de diagnóstico, que é a radiografia ou a ultrassonografia, dentre outros métodos de diagnóstico por imagem.
Ele deverá estar plenamente capacitado e atualizado na interpretação dos resultados e, assim, diante das informações, prescrever o melhor caminho para a cura.
O exame ultrassonográfico é útil para diagnostico, terapêutica e avaliação do prognóstico de doenças pleurais, além das doenças obstrutivas de equinos.
Mas, obviamente, tudo isso gerará um alto custo com o tratamento do equino. E você não gostaria de gastar uma pequena fortuna se esse problema pudesse ser evitado, certo?
Mas como evitar doenças respiratórias no meu cavalo?
A boa manutenção da baia e da cama do cavalo são os principais fatores de prevenção de doenças respiratórias em equinos.
O erro mais comum é a utilização de materiais como maravalha (serragem), palhas, bagaço de cana, casca de arroz, capim, feno e outros como cama para o cavalo. O que a princípio parece ser algo sem importância, pode se tornar uma verdadeira dor de cabeça e gerar gastos bastante elevados com veterinários e tratamentos para o animal.
Isto porque estes materiais podem irritar as vias respiratórias dos cavalos e acarretar grandes problemas de saúde, especialmente em cavalos alérgicos. Os animais também costumam ingerir esses materiais, provocando irritações e lesões nas mucosas do estômago e intestino. E lá estará você ligando para o veterinário de novo.
Se a poeira, o pólen e o feno podem desencadear a ‘febre do feno’ em pessoas alérgicas, imagine viver onde palha e feno são jogados ao seu redor todos os dias. Você não vai se surpreender ao saber que cavalos também podem ter problemas respiratórios por causa do ar.
As áreas de armazenamento do feno e os materiais secos usados em camas (como a maravalha) contribuem com o aumento da poeira e partículas no ar nas cocheiras. Os métodos usados para a limpeza da cocheira podem reduzir ou aumentar partículas no ar, diz Kara Lascola, especialista em medicina equina do Hospital Universitário de Veterinária da Universidade de Illinois, nos EUA.
“Se a cama é muito seca e empoeirada, ou se a cocheira está localizada abaixo da porta para o estábulo, os cavalos estarão em maior risco de desenvolver problemas respiratórios, ou seus problemas existentes podem piorar”, diz a especialista.
Além disso, poeira e detritos são jogados no ar quando os corredores dos estábulos são varridos durante a limpeza das cocheiras. Alguns detritos, pequenos pedaços de estrume, podem se alojar na cama seca enquanto os cavalos estão lá dentro, o que pode desencadear problemas respiratórios e outras complicações de saúde.
Doença pulmonar crônica em equinos
O bom desempenho atlético dos cavalos depende, em particular, do bom funcionamento de seu aparelho respiratório. Em animais de esporte e reprodução, processos patológicos, nesse sistema, são responsáveis por grandes prejuízos econômicos e orgânicos, desses animais.
Existe uma síndrome alérgica, denominada DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), também inflamatória, que afeta equinos de meia idade, em especial, os estabulados por muito tempo. Não é comum em cavalos jovens.
Sensibilidade a alergenos ambientais e predisposição genética são os dois fatores principais, identificados em estudos sobre a doença.
O aumento de neutrófilos (a neutrofilia) é o que caracteriza a DPOC, em cerca de 5% em cavalos a pasto e de 50% em animais estabulados, o que sugere uma resposta traqueobrônquica local a partículas de pó inaladas e depositadas dentro das vias aéreas.
Animais estabulados, sempre mais expostos, inalam maior quantidade do pó de feno e sujidades das paredes das baias, ou de sua própria cama, são acometidos pela síndrome, que ocasiona-lhes a irritação da traqueia e dosbrônquios, desencadeando o processo inflamatório. Com esses órgãos comprometidos, a doença se manifesta.
Podem-se enumerar os agentes ambientais causadores dessa síndrome: o pó de cama e o pó de feno, com grande quantidade de ácaros como o Lepidoglyphusdestructor; os fungos (antigênicos e alérgicos): inalação de extrato aquoso de Aspergillusfumigatus ou Faeniarectivirgula que promovem a inflamação, com o aumento de neutrófilos; as endotoxinas, como a amônia – sua concentração pode, igualmente, provocar o aumento de neutrófilos; as condições climáticas; os fungos presentes na alfafa – eles podem provocar reações alérgicas, e, finalmente, os vermes pulmonares – causadores de lesões nos pulmões, principalmente o Dictyocaulusarnfield.
Uma infecção viral ou até mesmo a exposição, por longo tempo, aos fatores alergênicos pode desencadeara doença, pois o animal não se infecta do dia para a noite.
Ocorre a obstrução das vias aéreas, e consequente inflamação dos brônquios, causada pela reação alérgica ao agente etiológico (a poeira), podendo se complicar com uma infecção bacteriana. Pode haver um retorno sazonal, de sinais clínicos, ao longo da vida dos equinos.
Os sintomas podem aparecer, tanto em exercícios, como em repouso, e com visível queda na performance do animal. O processo é crônico e recorrente, sempre em resposta à mudança ambiental.
Os sinais clínicos devem ser considerados, tais como a tosse ocasional, a intolerância ao exercício, febre ( no caso de infecção bacteriana), corrimento nasal, letargia (lentidão nos movimentos), anorexia (falta de apetite), hipertrofia dos músculos abdominais, alteração da frequência respiratória (tempo de inspiração maior do que o tempo de expiração), mucosas cianóticas (coloração azulada).
Por se tratar de uma doença crônica, não existe cura, devendo os animais serem tratados por toda a vida. Na falta do tratamento, os danos poderão ser irreversíveis e causar a morte.
O tratamento é à base de antinflamatórios, broncodilatadores e antibióticos, podendo-se, também, utilizar a acupuntura e tratamentos experimentais, como o transplante de células-tronco.
Problemas respiratórios relacionados com a qualidade do ar das cocheiras
Então, como é que os proprietários sabem se um cavalo está desenvolvendo um problema respiratório ligado à qualidade do ar na cocheira? E como evitar problemas como pneumonia, que são causados por doenças mais graves?
Os dois principais problemas respiratórios que são geralmente ligados à qualidade do ar são engasgos e doenças inflamatórias das vias aéreas. Essas doenças não são acompanhadas por febre ou tosse produtiva, então esses sinais indicariam um problema além de uma questão de qualidade do ar.
Esses ‘engasgos’ são semelhantes à asma nas pessoas, e geralmente afetam cavalos mais velhos, enquanto as doenças inflamatórias afetam mais os cavalos mais novos.
Alguns sintomas como escorrimento nasal, respiração intensa e cansaço podem indicar a presença de problemas respiratórios nos cavalos.
Como melhorar a qualidade do ar na cocheira
“Eliminar a poeira no ar ou levar os cavalos para fora enquanto realiza-se a limpeza do lugar pode fazer uma enorme diferença para cavalos com problemas respiratórios”, diz Lascola.
Para cavalos residentes de fazendas ou que vivem em torno de campos onde os agricultores realizam colheitas, Lascola sugere mantê-los dentro de casa durante os períodos mais ativos de colheita, especialmente se as pastagens estão próximas de fazendas e os sinais respiratórios dos cavalos pioram nesses tempos.
Coisas tão simples como a construção e o layout da cocheira e das baias podem mudar a qualidade do ar drasticamente.
Além disso, a substituição da cama tradicional do cavalo por camas emborrachadas oferece uma enorme redução de poeira no ar, prevenindo problemas de saúde. As camas tradicionais, por mais cuidado que se tenha, normalmente acumulam umidade e poeira, provocando o apodrecimento da ranilha e amolecimento dos cascos, além dos problemas respiratórios.
Para ajudar na saúde e longevidade do seu cavalo, clique aqui e conheça melhor nossos pisos emborrachados para baias.
Faça as contas
Coloque na ponta do lápis o seu custo mensal com a substituição do material da cama tradicional do cavalo, juntamente com as visitas constantes do veterinário e, também, exames como a radiografia e a ultrassonografia.
Agora imagine reduzir drasticamente esse custo e ainda contribuir com a saúde do seu cavalo simplesmente mudando o piso da baia e da cocheira, utilizando um material muito mais durável, confortável e que não necessita de substituição por muito tempo.
Não tem comparação, não é mesmo?
Se você quer prevenir doenças respiratórias do seu cavalo e, com isso, ainda ter uma enorme economia, basta entrar em contato conosco para se surpreender.

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/doencas-respiratorias-equinos/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]


2020.09.22 22:50 AnzoLinux Em qualquer discussão sobre desigualdade, estas são as quatro perguntas que têm de ser feitas Sem essas quatro questões, qualquer discussão se torna puramente emotiva, ideológica e estéril

Steve Horwitz
Já escrevi vários artigos e concedi muitas entrevistas contestando a popular afirmação de que a desigualdade está piorando. Os artigos contêm uma ampla variedade de dados (muitos podem ser encontrados aqui e aqui), mostrando que muitas das afirmações sobre essa "desigualdade crescente" de renda ou estão erradas, ou são exageradas ou ignoram outras evidências.

Entretanto, o que eu quero aqui é, especificamente, focar em quatro questionamentos que devem estar no centro de qualquer discussão sobre desigualdade.

Primeira pergunta: estamos falando de desigualdade ou de pobreza?

Com frequência, esses dois problemas se confundem nesse tipo de discussão.

Pobreza diz respeito às condições absolutas em que alguém se encontra. Tem comida? Acesso a água potável? Habitação? Trabalho? Seus filhos podem frequentar uma escola ou se veem forçados a trabalhar? Os critérios são muitos.

Já desigualdade é uma variável relativa, que nada diz sobre as condições absolutas de vida. Para saber se um país é desigual, é preciso comparar seus habitantes mais ricos e mais pobres e ver a distância entre eles. Um país que tenha uma pequena parcela de milionários e o restante da população passe fome é muito desigual. Já um onde todos passem fome é igualitário. A condição objetiva dos pobres em ambos, contudo, é a mesma.

Igualmente, se os mais pobres viverem como milionários, e os mais ricos sejam uma pequena parcela de trilionários, a desigualdade é grande.

As duas coisas, pobreza e desigualdade, se confundem facilmente, de modo que muita gente que se preocupa com a pobreza (com quem não tem, por exemplo, acesso a saneamento básico ou a educação) acaba falando de desigualdade: da diferença entre os mais ricos e os mais pobres. E essa confusão muda a maneira de pensar: pobreza e desigualdade acabam se tornando a mesma coisa, de modo que o melhor remédio contra a pobreza seria a redução da desigualdade, o que via de regra significa tirar de quem tem mais e dar para quem tem menos.

Consequentemente, aqueles que se dizem preocupados com a desigualdade frequentemente começam a discorrer sobre como a situação está ruim para os mais pobres. Aparentemente, tais pessoas presumem que uma desigualdade crescente deve significar que os ricos estão enriquecendo e os pobres, empobrecendo.

Mais especificamente, alguns parecem acreditar que os pobres estão mais pobres porque os ricos estão mais ricos. Isto é, eles supõem que a economia seja um jogo de soma-zero, de modo que, se alguns estão mais ricos, esta opulênciasó pode ter vindo dos pobres.

Sendo assim, limpe o terreno, esclareça os termos e eleve o nível da conversa. Certifique-se de que todos estejam falando a mesma coisa. Porque se estivermos discutindo a pobreza, a evidência esmagadora é a de que, globalmente, a miséria se reduziu dramaticamente nos últimos 25 anos.

Segunda pergunta: estamos falando de desigualdade de renda, de riqueza ou de consumo?

Aqueles preocupados com desigualdade costumam confundir renda e riqueza nessas discussões. Mesmo este famoso vídeo comete esse deslize. Ele começa apresentando dados sobre riqueza, mas, várias vezes ao longo da apresentação — incluindo uma longa discussão a respeito de um gráfico — ele se refere ao salário das pessoas. Salário é renda, não riqueza.

Riqueza se refere à soma de nossos ativos (dinheiro, imóveis, terras, carros e outros bens) menos passivos (dívidas em geral e contas a pagar). A riqueza é um estoque.

Já renda é a variação líquida de nossa riqueza em um dado período de tempo, seja porque ganhamos um salário, um dividendo de uma ação, juros de uma aplicação, ou aluguel do inquilino. A renda é um fluxo.

É possível ter uma grande riqueza, mas uma renda baixa, como uma pessoa idosa que vive só de sua magra pensão ou dos juros de sua poupança, mas que tem uma casa totalmente quitada.

Inversamente, alguém pode ter alta renda e baixa riqueza financeira. Por exemplo, alguém que tem um alto salário, mas gasta imediatamente tudo em bens de consumo.

Os dados serão diferentes dependendo de estarmos falando de riqueza ou de renda. Seja claro nesse tópico.

Desigualdade de consumo é uma terceira possibilidade. Trata-se da diferença entre o que ricos e pobres podem consumir. As evidências disponíveis sugerem que a desigualdade de consumo é muito menor que a de renda ou riqueza, principalmente nos países mais desenvolvidos. Os lares dos americanos pobres possuem quase todas as coisas que os lares ricos, ainda que de qualidade mais baixa. E a distancia entre ricos e pobres neste quesito se estreitou nas últimas décadas. Uma vez que, em última análise, é o que consumimos o que interessa, essa é uma questão que tem de ser deixada clara em eventuais discussões.

Como dito neste artigo: a riqueza de Bill Gates deve ser 100.000 vezes maior do que a minha. Mas será que ele ingere 100.000 vezes mais calorias, proteínas, carboidratos e gordura saturada do que eu? Será que as refeições dele são 100.000 vezes mais saborosas que as minhas? Será que seus filhos são 100.000 vezes mais cultos que os meus? Será que ele pode viajar para a Europa ou para a Ásia 100.000 vezes mais rápido ou mais seguro? Será que ele pode viver 100.000 vezes mais do que eu?

O capitalismo que gerou essa desigualdade é o mesmo que hoje permite com que boa parte do mundo possa viver com uma qualidade de vida muito melhor que a dos reis de antigamente. Hoje vivemos em condições melhores do que praticamente qualquer pessoa do século XVIII.

Terceira pergunta: e a mobilidade de renda?

Os que se preocupam com a desigualdade frequentemente pontificam como se os ricos, que estão ganhando cada vez mais, e os pobres, que estão ganhando cada vez menos, fossem sempre os mesmos, ano após ano.

Eles veem aquelas estatísticas que mostram que os 20% mais ricos detêm hoje uma fatia da renda nacional maior do que 30 anos atrás, ao passo que os 20% mais pobres detêm uma fatia menor. Daí, concluem que esses ricos são exatamente os mesmos, e que eles ficaram ainda mais ricos; e que os pobres são exatamente os mesmos, e que eles ficaram ainda mais pobres.

Muito bem.

Sobre os pobres terem ficado mais pobres, esta é uma conclusão que, como já dito, simplesmente não se sustenta. Os pobres enriqueceram nos últimos anos (veja o gráfico 1 deste artigo).

Falemos então sobre a mobilidade de renda, que é o que está sendo realmente ignorado. Comparações entre dois anos separados entre si por décadas são retratos estáticos de um processo dinâmico. O que essas comparações realmente dizem é que "aqueles que eram ricos no ano X detinham Y% da renda nacional; e aqueles que são ricos no ano X + 25 — pessoas completamente diferentes daquelas do ano X — detêm Z% da renda nacional".

Em outras palavras, as pessoas e famílias que abrangem "os ricos" muda ano a ano. E o mesmo ocorre para os 20% mais pobres.

Uma fácil comprovação disso é você olhar a lista de bilionários da Forbes, publicada anualmente. Praticamente todas as pessoas que figuravam na lista em 1987 — primeira vez em que ela foi publicada — não mais estão nela hoje.

Há um grande e controverso debate entre economistas sobre quão fácil ou difícil é para uma pessoa que é pobre em um dado ano ter maiores fluxos de renda nos anos seguintes. Este é o debate. Que a mobilidade de renda realmente existe, isso não mais está em questão.

A conclusão é que você não pode falar sobre desigualdade sem, ao menos, discutir o grau de mobilidade. Se o que incomoda as pessoas no que diz respeito à desigualdade é a suposição de que os pobres estão estagnados ou empobrecendo, então, explorar o grau em que isso é realmente verdade é essencial à discussão.

Quarta pergunta: quais, exatamente, são os problemas causados pela desigualdade?

Se você já conseguiu esclarecer o que todos os debatedores pensam sobre as três primeiras questões, faça então a pergunta: se a pobreza está se reduzindo e, mesmo na atual condição, os pobres ainda conseguem manter um padrão de consumo decente, o que, exatamente, há de errado com a (crescente) desigualdade?

Pela minha experiência, uma resposta comum é que, mesmo se os mais pobres estiverem enriquecendo, o aumento ainda maior na prosperidade dos ricos confere a estes um acesso injusto ao processo político. Os super-ricos transformarão seu poder econômico em poder político, frequentemente de maneira que redistribui recursos para eles próprios e seus amigos.

Esta, obviamente, é uma preocupação legítima, mas observe que a conversa, subitamente, mudou da desigualdade em si para os problemas dos conchavos políticos, do capitalismo de estado (ou "capitalismo de quadrilhas") e do fato de haver um estado com poder suficiente para se criar tais distorções.

Para atacar esse arranjo estatal corporativista e reduzir a capacidade dos ricos de transformar riqueza em poder político há várias soluções que não envolvem a redistribuição forçada de renda — a qual, no final, faz com que ainda mais dinheiro vá para políticos e seus mecanismos.

Aqueles que levantam essa preocupação estão, na prática, reclamando apenas do compadrio gerado pelo estado, não da desigualdade em si. A fonte do problema é o estado, cheio de benesses e de favores a serem distribuídos, o qual, indiscutivelmente, se tornaria ainda mais poderoso e distorcivo caso os preocupados com a desigualdade tivessem suas políticas favoritas aprovadas.

Por fim, mesmo aqueles que são céticos em relação aos argumentos de que a desigualdade seja problemática, podem concordar que tem havido alguma redistribuição de riqueza do pobre para o rico nas últimas décadas. Isso se dá, majoritariamente, por causa das políticas do governo que favorecem quem já está próximo ao poder, seja devido aos exorbitantes salários que funcionários públicos de alto escalão recebem, seja por causa de sua política de expansão de crédito subsidiado para grandes empresas, seja por causa de suas políticas protecionistas que protegem as grandes indústrias criando uma reserva de mercado e impedindo os pobres de comprar bens mais baratos do estrangeiro, seja por causa de sua política fiscal que, ao incorrer em déficits orçamentários, aumenta a riqueza dos compradores dos títulos públicos.

Não nos esqueçamos também da exigência de licenças profissionais e dos encargos sociais e trabalhistas que dificultam a obtenção de trabalho pelos mais pobres, que costumam ser menos qualificados e não justificam o preço exigido como mínimo a ser pago por sua mão-de-obra.

Há, ainda, tentativas governamentais de regular e até mesmo banir o Uber, o Lyft, o AirBnB e todas essas empresas da chamada "economia compartilhada". Essas são, justamente, as melhores alternativas para alguém que não está encontrando oportunidades conseguir uma fonte de renda, já que é a área da economia menos controlada pelo governo que se conhece.

Por fim, vale ressaltar que é o estado quem impede que os moradores de favelas obtenham títulos de propriedade, os quais poderiam ser utilizados como garantia para a obtenção de crédito, com o qual poderiam abrir pequenas empresas e se integrar ao sistema produtivo.

Todas essas políticas são problemáticas justamente porque aumentam a desigualdade e a pobreza de forma artificial. Com efeito, uma discussão muito mais interessante incluiria qual o papel dessas políticas estatais na criação das desigualdades artificiais em oposição às desigualdades naturais, que são aquelas que surgem espontaneamente no mercado em decorrência da maior aptidão de cada indivíduo.

Conclusão

Novamente, os leitores interessados em dados devem consultar as duas monografias linkadas no primeiro parágrafo do artigo. No entanto, mesmo sem os dados, essas são as quatro perguntas que valem a pena ser feitas numa conversa sobre desigualdade se você quer realmente chegar ao cerne do que está em jogo e persuadir aqueles preocupados com a crescente desigualdade a ver a questão por um ângulo diferente.

___________________________________________________
https://www.mises.org.barticle/2632/em-qualquer-discussao-sobre-desigualdade-estas-sao-as-quatro-perguntas-que-tem-de-ser-feitas
submitted by AnzoLinux to brasilivre [link] [comments]


2020.09.08 19:39 Malarazz Resultados do censo do /r/futebol 2020

Introdução
Primeiramente, obrigado a todos que responderam o censo! Tivemos 371 respostas esse ano, comparado com 68 em 2018.
Essa thread vai ser enorme. Nela, vou descrever e comentar sobre as estatísticas mais interessantes de cada uma das perguntas, principalmente respectivas aos 13 clubes grandes do Brasil. Quem preferir visualizar sozinho de maneira mais completa pelo google forms, aqui está o link do censo. Já quem gostaria de comparar com o último censo de 2,5 anos atrás, aqui está ele. Lembre-se que o censo foi separado em 4 categorias. Sinta-se à vontade pra pular pra categoria mais interessante (na minha opinião a 3) se não quiser ou não aguentar ler tudo. As perguntas estão numeradas e na mesma ordem que estavam no censo, então vocês também podem pular pra discussão das perguntas que acham mais interessantes.
Parte 1: Perguntas Demográficas
1) Aonde você nasceu? -- De 2018 pra cá, o subreddit ficou bem mais diversificado com esse quesito. Apesar de São Paulo continuar liderando, proporcionalmente o estado caiu muito. 76 (21%) dos usuários nasceram lá, enquanto que 22 (32%) ano passado. Rio Grande do Sul vem em segundo e Rio de Janeiro em terceiro, com 67 e 55 membros respectivamente (18% e 15%).
Curiosamente, apesar de ter metade da população e um futebol menos tradicional, o Paraná tem mais usuários do que Minas Gerais: 34 vs 25 (9% vs 7%). Outro fato bastante curioso são os estrangeiros. Os 4 portugueses nós já esperávamos, até por causa do Jorge Jesus. Mas além deles, 2 usuários nasceram em outro país da América do Sul, 3 na América do Norte, 2 em outro país da Europa, e 1 na Ásia, pra um total de 12 (3%) usuários que são estrangeiros. A proporção esse ano ficou parecida com a do censo passado, quando 2 (3%) dos usuários nasceram fora do Brasil. Fico muito curioso pra saber da vida desses usuários: se vêm de pais brasileiros ou simplesmente falam português e gostam da cultura e/ou futebol brasileiro.
2) Aonde você mora? -- Ranking muito parecido com o de nascimento, porém claro, com mais usuários morando no exterior do que nascendo lá. 30 (8%) usuários moram no exterior, sendo 13 (43% deles) na América do Norte. Essa proporção foi um pouco menor que os 9% de 2018.
3) Qual é o seu gênero -- 8 (2%) usuários são mulheres, enquanto em 2018 eram 2 (3%). Nenhuma surpresa aqui, quando combinamos duas coisas extremamente masculinas (futebol, e reddit para brasileiros).
4) Qual é sua cor ou raça? -- Similar ao censo do /brasil que agora perdi o link, 275 (75%) dos usuários são brancos, 70 (19%) pardos, 12 (3%) negros, 6 (2%) asiáticos, 2 (1%) árabes e 1 indígena. Tanto aqui quanto no gênero a gente vê que a população do /futebol não é nem um pouco representativa da população brasileira em geral.
5) Qual é sua idade? -- Semelhante ao censo passado, a faixa etária mais comum é 23 a 27 anos com 138 (37%) usuários. Em seguida vem 18 a 22 anos com 114 (31%), 28 a 32 anos com 66 (18%) e menos de 18 anos com 25 (7%). Os 2 (1%) usuários mais velhos têm entre 43 a 47 anos.
6) Qual é o seu grau de escolaridade? -- 159 (43%) usuários atualmente cursam o ensino superior. 77 (21%) têm graduação completa, 33 (9%) estão cursando pós-graduação, e 32 (9%) têm pós-graduação completa. Acho que seria bom ter separado mestrado e doutorado nessa questão. Talvez seja uma ideia interessante pro próximo censo.
7) Se você cursou ou está cursando o Ensino Superior, qual é sua área de formação? -- Dos 307 respondentes, 64 (21%) fazem ou fizeram Engenharia, 58 (19%) ciências sociais ou humanas, 47 (15%) ciência da computação ou similares, 35 (11%) administração e negócios e 34 (11%) direito. Essa é um pergunta complicada de analizar porque muitas pessoas escreveram "Other: xx" quando talvez se encaixava numa das opções dadas.
8) Qual é sua situação no mercado de trabalho? -- 146 (40%) usuários apenas estudam, enquanto 94 (26%) estudam e trabalham, 91 (25%) só trabalham e 34 (9%) estão desempregado.
9) Qual é seu status de relacionamento? -- Confirmando um estereótipo do reddit, 256 (69%) usuários estão solteiros. 79 (21%) em um relacionamento estável, 26 (7%) casados e 7 (2%) noivos. Me pergunto qual as porcentagens pra população brasileira em geral pra essa faixa etária. PS: não leiam as respostas manuais.
10) Há quanto tempo você usa o reddit? -- 89 (24%) usuários usam o reddit há mais de 5 anos, enquanto 69 (19%) usam há entre 1 e 2 anos. Apenas 41 (11%) usam há menos de 1 ano, sendo 17 desses (41% dos 41) há menos de 6 meses.
Parte 2: Futebol Como Passatempo
11) Há quanto tempo você acompanha o /futebol? -- Curiosamente, ao contrário da última pergunta, a maioria dos usuários são novos no pedaço. 133 (36%) entre 1 e 2 anos, 90 (24%) entre 6 meses e 1 ano e 73 (20%) há menos de 6 meses. Apenas 39 (11%) estão aqui há mais de 3 anos.
12) Que tipo de usuário você é? -- Aqui a gente vê algo que já é conhecido no reddit afora. A regra de Pareto, 80% do conteúdo é criado por 20% dos usuários.
228 (62%) usuários lêem as threads e/ou comentários mas raramente fazem o próprio, enquanto que 110 (30%) escrevem comentários mas raramente criam threads. Sobram apenas 30 (8%) que criam threads com certa frequência.
13) Como você descobriu o /futebol? -- Essa foi uma das questões mais surpreendentes pra mim. 207 (56%) usuários descobriram o /futebol no /brasil ou em outro lugar do reddit, enquanto que 148 (40%) simplesmente digitaram futebol no reddit torcendo pra existir. Apenas 7 (2%) vieram aqui por indicação de um amigo, enquanto que só 3 (1%) acharam o /futebol pelo google.
Para os veteranos que lembram do golpe ano passado, imagina se a gente tivesse migrado pro /FutebolBR? Ia perder um monte do fluxo de novos usuários.
14) Quantas partidas você costuma assistir por semana? -- 181 (49%) usuários assistem futebol 1 ou 2 vezes por semana, enquanto que 104 (28%) assistem 3 ou 4 vezes por semana e 33 (9%) assistem entre 1 vez por mês e 1 vez por semana. Apenas 19 (5%) usuários assistem 7 vezes ou mais por semana, enquanto que só 6 (2%) nunca ou quase nunca assistem. Uma ideia pro próximo censo seria separar as opções por 1, 2, 3, etc. invés de "1 ou 2".
15) Como você mais costuma assistir as partidas em casa? -- 159 (43%) costumam assistir por streaming, enquanto que 90 (24%) pelo premiere, 63 (17%) por TV a cabo sem ser premiere e 45 (12%) por TV aberta.
16) Você assistiu a quantas partidas no estádio em 2019? -- 178 (48%) usuários não assistiu nenhuma partida no estádio em 2019, o que eu achei bem curioso. 84 (23%) assistiram a 1 uma 2 partidas e 37 (10%) assistiram a 3 ou 4 partidas. Surpreendemente, 40 (11%) assistiram a 9 ou mais partidas ano passado.
17) Você costuma assistir partidas sem ser nem seu time nem seu rival jogando? -- Essa foi uma pergunta meio confusa que acho que precisa ser reformulada no próximo censo. Só não sei pra o que. Ainda assim, 188 (51%) usuários costumam assistir apenas jogo importante, enquanto que 138 (37%) aceitam assistir qualquer tipo de partida mesmo sem ser importante ou do seu time. 34 (9%) não costumam assistir partidas sem ser nem seu time nem seu rival jogando.
18) Você acompanha as ligas nacionais de quais países? (Selecione todas que acompanhar) -- 321 (87%) acompanham o Brasileirão, 231 (63%) a inglesa, 135 (37%) a espanhola e 100 (27%) a alemã. Apenas 57 (15%) acompanham a liga francesa do Neymar, e só 22 (6%) não acompanha nenhuma liga.
Há algumas diferenças interessantes perante ao censo passado. O Brasileirão caiu por 12% (67 ou 99% dos usuários em 2018) e a francesa caiu por 40% (17 ou 25% dos usuários em 2018), enquanto a alemã aumentou em 69% (11 ou 16% dos usuários em 2018). Interessante também os usuários que acompanham as ligas do Japão, da Austrália e da Nova Zelândia.
19) Você costuma assistir campeonatos estaduais? Se sim, quantos jogos? -- 187 (51%) usuários assistem vários jogos, inclusive contra times menores, enquanto que 118 (32%) assistem apenas jogos importantes e 59 (16%) raramente ou nunca assistem, ou só assistem só a final.
20) Se você acompanha campeonatos estaduais, você acompanha os de quais estados? (Selecione todos que acompanhar) -- Pra surpresa de ninguém, o Paulistão é o estadual mais badalado com 191 (55%) usuários acompanhando. Porém, apesar de termos mais gaúchos do que cariocas, o Campeonato Carioca ganha audiência de 162 (47%) usuários enquanto que o Gauchão apenas 106 (31%). Faz sentido, pois tem muita gente de outros estados que torcem pra times cariocas, e também porque simplesmente é um estadual mais competitivo.
Talvez por motivos parecidos, 49 (14%) usuários acompanham o Campeonato Mineiro enquanto que só 28 (8%) acompanham o Paranaense. Apenas 4 estados, Acre, Alagoas, Piauí e Roraima têm seus estaduais completamente ignorados pelo /futebol. Os resultados são parecidos com 2018, porém na época haviam 10 estados com 0 espectadores.
21) Como você acha que devem mudar os estaduais? (Tente selecionar a opção mais próxima da sua ideia) -- Chegamos à primeira pergunta suculenta e polêmica do censo. Apesar de eu ter pedido pra selecionarem uma das opções, muita gente quis detalhar sua ideia, o que efetivamente vira um voto nulo pro censo. Mas tudo bem.
119 (categoria A, 32%) usuários acham que o formato atual tá bom como tá ou deve apenas ser levemente reduzido, enquanto que 89 (categoria B, 24%) acham que times grandes devem entrar direto no mata-mata e 145 (categoria C, 40%) acham que times grandes devem parar de disputar estaduais.
Algo interessante que já era de se esperar foi a correlação entre a frequência que a pessoa assiste estaduais e sua opinião sobre o atual formato. Dos 159 usuários que assistem vários jogos, 43% tem opinião na categoria A, 16% na B e 41% na C. Dos 127 usuários que assistem apenas jogos importantes e/ou clássicos, 27% pertencem à categoria A, 35% à B e 38% à C. Dos 54 usuários que raramente ou nunca assitem, 29% pertencem à categoria A, 17% na B e 54% na C. Nos números deste parágrafo foram ignorados os usuários que “votaram nulo” no censo.
Apesar de fazer sentido na minha cabeça, não pôde ser visto uma correlação entre o entusiasmo do usuário sobre futebol e sua opinião sobre o formato de estaduais (i.e. usuários que assistem 2 ou menos partidas de futebol por semana vs usuários que assistem 3 ou mais partidas por semana).
22) Enquanto continuar existindo estaduais no formato atual, você acha que clubes grandes deveriam disputar com força máxima ou com reservas/sub-23? -- Semelhante à última pergunta, 179 (49%) usuários querem força máxima em clássicos e decisões e sub-23 nos demais, 150 (41%) querem sub-23 sempre e apenas 33 (9%) querem força máxima sempre.
23) Antes da pandemia, você jogava futebol? -- 202 (55%) usuários não costumavam jogar. Até que faz sentido pela demografia (ou estereótipo) do reddit. 61 (17%) usuários jogavam menos de 1 vez por mês, enquanto 45 (12%) 1 vez por semana. Apenas 8 (2%) jogavam 3 vezes por semana ou mais.
24) Você costuma assistir futebol feminino? -- 249 (68%) usuários não assistem, enquanto que 101 (28%) assistem às vezes e apenas 12 (3%) assistem com certa frequência. Além disso, 4 usuários escreveram "somente olimpiadas ou copa do mundo".
25) Além do futebol, qual outro esporte você costuma assistir? (Selecione todos que assistir) -- Esse foi talvez o meu maior erro no censo. O Ayrton Senna tá se revirando no caixão, tadinho. Eu esqueci de incluir Fórmula 1! Num censo pra brasileiros! O esporte que eu vejo meu vô assistir todo domingo! Esqueci o Tênis tambem mas no Brasil esse é esquecível, azar. Em minha defesa eu ainda dei um google "esportes mais assistidos no brasil", mas só apareceu um monte de artigo sobre os esportes mais praticados.
Anyway, essa pergunta me surpreendeu um monte. O grande líder foi e-sports com 143 (39%) usuários dando audiência. Basquete veio em segundo com 131 (36%) e futebol americano em terceiro com 95 (26%), enquanto que 86 (24%) usuários só assistem futebol. Me surpreendeu também que os esportes que eu achava populares no Brasil, luta e vôlei, só tem 56 (15%) e 46 (13%) usuários assistindo, respectivamente. E o futsal que é o mais parecido com o futebol só tem 28 (8%) espectadores. Curiosamente, temos um usuário que assiste xadrez, um curling e um punhobol. Não me pergunta o que é isso. Also, tivemos 4 usuários que selecionaram tanto um esporte quanto “nenhum, só o futebol.” 🔔🔔 Shame 🔔🔔 Shame 🔔🔔 Shame 🔔🔔.
No próximo censo, além de acrescentar Fórmula 1, acho que seria uma boa ideia separar e-sports em CS, LoL, DotA e FIFA/PES. Não sei se esses são o top 5 ou tem mais.
Parte 3: Futebol Como Paixão
26) Qual é o principal clube pro qual você torce? -- Essa pergunta foi bem interessante. Era óbvio que o Flamengo iria ganhar, por ter a maior torcida e tar em ótima fase. 71 (19%) tem o Flamengo como time principal. Mas a grande surpresa pra mim foi o Grêmio aparecer em segundo com 49 (13%), atropelando o Corinthians com seus 35 (10%). Tu pode pensar “faz sentido porque muita gente coloca o Corinthians como segundo time”, mas não, apenas 1 usuário colocou, enquanto 2 colocaram o Grêmio.
Fora isso, temos Inter e São Paulo empatados com 33 (9%), Palmeiras com 24 (7%) e Vasco com 20 (5%). O Atlético-MG com 15 (4%) tem quase o dobro que o Cruzeiro com 8 (2%). Isso pode ser um sintoma da fase horrível do Cruzeiro.
27) Aproximadamente o quão longe você mora do estádio do seu time? -- Outra surpresa, 114 (31%) usuários moram a mais de 500km do estádio do seu time. Apenas 77 (21%) moram a menos de 10km, enquanto que 60 (16%) moram entre 10km e 30km e 38 (10%) moram entre 30km e 100km.
28) Você se considera torcedor de dois clubes brasileiros? -- E aqui temos outra pergunta polêmica, que quer saber não apenas sim ou não como tambem tua opinião. Nessa, a descrição vai ser longa. Daqui em diante vou chamar os usuários que responderam sim de “bitorcedores.”
Superficialmente, apenas 59 (16%) usuários torcem pra dois clubes. 145 (39%) não mas respeitam, 72 (20%) não e nem tem opinião e 91 (25%) não e acham um absurdo. Mas a gente não vai parar na superfície.
Acho que todos nós esperávamos que o Flamengo seria o clube mais popular entre os bitorcedores. E de fato ele foi. Mas eu esperava que seria por uma diferença muito mais gritante. Apenas 12 dos 56 (21%) bitorcedores torcem pro Flamengo. Em segundo lugar vem o São Paulo com 9 (16%), e em seguida, de maneira surpreendemente, Grêmio e Inter empatados com o Corinthians com 7 torcedores cada (13%). Por outro lado, 2 (4%) bitorcedores torcem pro Santos, e 1 (2%) pra cada um de Cruzeiro e Atlético-MG. Segue a tabela completa mais pra baixo, mas antes disso deixa eu explicar ela melhor.
Comparando a quantidade de bitorcedores com o total de torcedores pra cada clube, vemos que a grande maioria (8 dos 13) tem entre 13% e 19% da sua torcida torcendo pra um segundo clube. A maior proporção foi do Athletico, onde 3 dos 11 (27%) torcedores torcem pra um segundo clube. Já as menores foram do Botafogo (0 dos 5) e Atlético-MG (1 dos 16, 6%). São Paulo tem 9 dos seus 38 (24%) torcedores torcendo pra outro time, enquanto o Santos tem 2 dos 8 (25%). Note que o Flamengo, alvo desse stigma, tem uma proporção normal, considerando que 12 dos seus 71 (16%) torcedores torcem pra um segundo time.
Por último, vemos a proporção de usuários por clube que acha um absurdo torcer pra 2 times. O Atlético-MG foi disparado o clube mais intolerante, onde 11 dos seus 16 (69%) torcedores acham um absurdo uma pessoa ter dois clubes do coração. Já o Athletico tem 5 dos seus 11 (45%) torcedores pensando dessa forma, enquanto o Flamengo tem 7 dos 76 (9%) e o São Paulo 3 dos 38 (8%) achando um absurdo torcer pra dois times. A tabela completa com toda essa informação para os 13 grandes aparece abaixo.
Time X Dos usuários que torcem pra 2 times, o número que torce pro time X Dos usuários que torcem pra 2 times, a % que torce pro time X Dos torcedores do time X, a % que torce pra 2 times Dos torcedores do time X, o número que acha um absurdo Dos torcedores do time X, a % que acha um absurdo Número total de torcedores do time X
Athletico 3 5% 27% 5 45% 11
Atlético-MG 1 2% 6% 11 69% 16
Botafogo 0 0% 0% 0 0% 5
Corinthians 7 13% 19% 8 22% 36
Cruzeiro 1 2% 13% 3 38% 8
Flamengo 12 21% 16% 7 9% 76
Fluminense 2 4% 17% 3 25% 12
Grêmio 7 13% 14% 17 33% 51
Inter 7 13% 19% 12 33% 36
Palmeiras 5 9% 19% 3 12% 26
Santos 2 4% 25% 1 13% 8
São Paulo 9 16% 24% 3 8% 38
Vasco 4 7% 16% 7 28% 25
29) Qual é o segundo clube (aquele que fica geograficamente mais longe de você) pro qual você torce? -- Essa pergunta ficou meio confusa porque usuários organizaram de forma diferente o primeiro e o segundo clube. Não sei como reformular ela no próximo censo. Talvez “qual é o segundo clube (aquele que for “maior”) pro qual você torce”?
De qualquer forma, as estatísticas interessantes já aparecem na última pergunta. Aqui, vemos que 275 (77%) usuários não têm segundo clube, enquanto 5 (1%) torcem pra cada um de Flamengo, Vasco, São Paulo e por incrível que pareça, Paysandu. Curiosamente, 3 (1%) escolheram o Milan.
30) Fora o maior rival, qual clube você mais quer ver perder? -- Outra pergunta suculenta sugerida por algum usuário aqui há muito tempo atrás. Essa também vai ter uma discussão enorme, então botem o cinto gurizada.
Superficialmente, pra surpresa de pouca gente, nós vemos o Flamengo sendo o clube mais desprezado do Brasil, com 96 (26%) usuários querendo vê-los perder. Curiosamente, isso é muito maior do que a quantidade de usuários que apenas querem o mal pro rival (60, 16%) e que não querem o mal pra ninguém (36, 10%). O Corinthians é claro vem em segundo com 60 (16%). Palmeiras tem 38 haters (10%) e São Paulo 14 (4%). Pra minha surpresa, apesar de todas suas falcatruas, Cruzeiro tem apenas 11 (3%) e Fluminense só 8 (2%). Meu tio sempre teve a opinião de que o pessoal fora do RS não gosta do Grêmio por considerar ele um time argentino, mas não vemos isso aqui. 0 usuários escolheram ele, enquanto apenas 2 (um torcedor do Caxias e outro do Grêmio) desprezam o Inter.
Mas podemos ir mais fundo. Primeiramente, tal como ilustrado acima, houve muitos usuários que selecionaram o nome do seu rival invés de selecionar “Apenas quero o mal pro meu rival.” Talvez fosse melhor reformular essa pergunta pra “qual clube de outro estado você mais quer ver perder.” Enfim, pra diminuir esse problema com os dados, eu editei cada usuário que escolheu o nome do seu rival para “apenas quero o mal pro meu rival.” Clubes gaúchos, mineiros e paraenses foram fáceis. Para os cariocas, eu considerei o Flamengo como rival de todos os outros três grandes, enquanto que o Vasco e Fluminense são simultaneamente rivais do Flamengo, mas o Botafogo não. Já em SP, o Corinthians, São Paulo e Palmeiras são simultaneamente rivais um do outro, enquanto o Santos ficou sem rival.
Levando em consideração apenas torcidas de tamanho médio (4 ou mais), sobram 351 usuários. As maiores diferenças são no Palmeiras e São Paulo. O primeiro caiu para 27 (8%) usuários que o desprezam, enquanto que o São Paulo caiu para 4 (1%).
Os clubes que mais desprezam o Flamengo são o Santos (6 dos 8, 75%), Atlético-MG (10 dos 15, 67%), e Palmeiras (14 dos 24, 58%). O único clube com muitos torcedores (10 ou mais) que não quer ver o Flamengo perder mais que todos os outros foi o Inter. 8 dos 31 (26%) colorados desprezam o Flamengo, enquanto que 17 (55%) despreza o Corinthians. Isso faz sentido, porque o Corinthians “roubou” um Brasileirão em 2005 enquanto o Flamengo meteu 5 a 0 no Grêmio ano passado.
Dos clubes com poucos torcedores, Ceará (0 dos 5) e Santos (0 dos 8) são os com mais desgosto no coração (0 torcedores “não querem o mal pra ninguém”), enquanto que Cruzeiro é o mais pacífico (3 dos 7, 43%). Dos clubes com muitos torcedores, Atlético-MG (0 dos 15), Athletico-PR (0 dos 11) e Inter (1 dos 31, 3%) são os com maior antipatia por outros clubes, enquanto que o São Paulo (4 dos 37, 11%) é o mais pacífico.
Segue a tabela completa para quem quiser ver. Para ler a tabela: 20% dos 15 torcedores do Atlético-MG, por exemplo, querem o mal apenas pro seu rival, 7% pra cada um de Corinthians e Fluminense e 67% pro Flamengo.
31) Fora o(s) seu(s) clube(s) do coração, com qual clube você mais simpatiza? -- Uma pergunta um pouco diferente da de dois torcedores. Temos usuários que torcem pra dois times e simpatizam com um terceiro. Temos usuários que torcem só pra um time mas simpatizam com outro. E temos usuários que não simpatizam com nenhum - especificamente, 103 (28%).
Dos times com simpatizantes, pra minha surpresa, a Chape ficou apenas em segundo com 22 (6%) usuários. O time mais simpático do /futebol é o Vasco com 26 (7%). O Bahia fecha o pódio com 19 (5%). Fora isso, podemos ver algumas curiosidades ao analizar mais profundamente.
Dos 86 torcedores da dupla grenal, 3 (3%) deles simpatizam com o arquirival, enquanto que 1 vai mais longe e considera o arquirival seu segundo time. Curiosamente, essa pessoa mora em Porto Alegre ou região (i.e., a menos de 10km do estádio). Nenhum dos 24 Cruzeirenses e Atleticanos torce ou sequer simpatiza com o rival. Nenhum dos 20 Coritibanos e Athleticanos torce ou sequer simpatiza com o rival. Dos 5 torcedores do Botafogo, 1 (20%) simpatiza com o Fluminense, enquanto que dos 76 torcedores do Flamengo, 1 simpatiza com o Botafogo. Curiosamente, 2 (3%) torcedores do Flamengo e 1 dos 25 (4%) torcedores do Vasco desprezam o Botafogo acima de todos os outros. Dos 38 torcedores do São Paulo, 3 (8%) simpatizam com o Santos, enquanto que dos 36 torcedores do Corinthians, 1 (3%) simpatiza com o Santos.
32) Você participa de alguma torcida organizada? -- Gostei dessa pergunta. E até fiquei surpreso com os resultados. Temos 9 (2%) usuários do sub que atualmente participam de uma torcida organizada. Além disso, temos 2 (1%) usuários que já participaram delas. Um falou que parou por “questões de tempo, responsabilidades e etc.” enquanto o outro comentou “acho que são importantes no estádio, mas a estrutura e cultura delas é lamentável” (eu gostaria de ouvir mais sobre isso).
Fora isso, 182 (49%) usuários responderam “não, e sou indiferente,” 93 (25%) “não, mas apoio elas,” 59 (16%) “não, e odeio elas” e 20 (5%) “não, mas tenho amigos que participam.” Dos usuários que escreveram sua propria resposta, um colocou “gosto da festa e não gosto da briga,” outro “não, mas sei que a maioria dos seus integrantes não são bandidos infiltrados,” mais um “não, e acho que as vezes atrapalham o futebol, porém algumas fazem um trabalho fenomenal (Fortaleza),” e por último “não participo, gosto da festa que fazem, mas são problemáticas na questão da violência.”
Parte 4: Futebol Como Profissão
33) Você já tentou seriamente virar jogador de futebol profissional? -- Uma pergunta interessante que eu não tinha muitas esperanças de receber um “sim”, mas ainda assim recebemos. 1 usuário conseguiu enquanto 24 (7%) tentaram mas não conseguiram. Outros 22 (6%) tiveram parentes que conseguiram. 318 (86%) simplesmente nunca tentaram.
Outra coisa interessante foram as respostas manuais. Um usuário escreveu “joguei em categorias de base mas nunca tive ambição,” outro “jogo nas categorias sub 17,” e o meu favorito, “não, mas tive um ex-colega que treinou no Internacional e teve chance de ir para o Real Madrid, mas foi tonto e perdeu a chance porque não quis ficar longe da família.” Imagina se o Messi tivesse pensado dessa forma. Imagina se tivesse alguém com ainda mais talento que o Messi mas que pensou dessa forma e o talento nunca floresceu. Perguntas interessantes.
34) Você já tentou ganhar a vida do futebol sem ser jogador, pelo menos por um tempo? Se sim, como? -- Pergunta parecida com a anterior, porém mais ampla. Ainda assim, não gostei dela. Ela teria que separar “tentei e não consegui” de “tentei e consegui,” e talvez “tentei, consegui, e continuo conseguindo.” Mas não tenho nem ideia qual o melhor jeito de fazer isso.
De qualquer forma, 344 (93%) usuários nunca tentaram. Dos 26 que tentaram, 10 (38%) foram como apostador, 5 (19%) como jornalista, 2 (8%) como técnico, 1 (4%) como dirigente e 1 como narrador. Nenhum usuário selecionou Youtuber da lista, mas um escreveu “além de Youtuber, também planejo ser Técnico ou Preparador.” Além disso, um usuário escreveu que já estagiou em medicina do esporte no Athletico, outro “Quadra de Futebol Society,” mais um “Faltou e-Sports aí na lista,” enquanto outro afirmou ser diretor do Criciúma!
Conclusão
Então é isso. Termina mais um censo do /futebol. Espero que vocês tenham achado interessante. Mas lembrem-se que não dá pra extrapolar muito os dados desse censo, e que a população do /futebol não é nada representativa da população de torcedores brasileiros de futebol. Agora pra sair outro censo acho que talvez só em 2022, então aproveitem esse.
submitted by Malarazz to futebol [link] [comments]


2020.08.24 15:02 LeastFudge9 Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

Vejo muitos posts de "nunca namorei" por aqui, entendo cada um de vocês e digo que me vejo um pouco nesses posts também. Talvez meu post ajude. Isso aqui vai ser longo.
Sou homem, hétero e tenho quase 25 anos. Até os 22, nunca tinha namorado, nem transado, e entre essa idade e meu primeiro beijo (aos 11 anos de idade), eu havia beijado quatro garotas, uma delas talvez eu não devesse contar, pois foi uma amiga de minha mãe bem mais velha que praticamente me forçou a fazer isso quando eu tinha 14 anos. Mas ok, contemos quatro garotas dos 11 aos 22 anos. Isso me deixava triste nos mesmos moldes que vejo aqui em muitos posts.
No dia do meu aniversário de 22 anos, uma conhecida 16 anos mais velha avançou nas investidas por WhatsApp e me enviou nudes. A partir de então, foi tudo muito rápido, tive minha primeira vez com ela e foi fantástico. Ela estava em um processo de divórcio iniciado havia menos de um mês e tinha um filho de oito anos. Daí começa meu inferno.
Ela era uma mulher muito inteligente, bonita e, para me convencer a iniciar um namoro, praticou o famoso "love bomb", eu me sentia o cara mais foda do mundo, ela inflava minha autoestima de uma forma que ninguém jamais havia feito. Iniciamos um relacionamento sério e entrei no fogo cruzado de uma guerra que envolvia minha então namorada, o filho único dela de oito anos de idade e um ex marido extremamente agressivo e descontrolado.
Cheguei a receber ameaça por WhatsApp do tal ex, o filho dela levava recadinhos velados do pai pra mim, me ligava quando estava com os coleguinhas e me xingava das piores coisas e dos piores nomes possíveis (palavras que uma criança da idade dele não devia saber). Tudo isso enquanto frequentemente o garoto chegava da casa do pai quebrando a casa e gritando, eu acho que isso de esperar o inferno toda vez que ele ia pra casa do pai provavelmente foi o que me fez desenvolver um grau de ansiedade. E como já deve ter sido possível perceber, rapidamente eu ficava mais na casa da minha então namorada que na minha própria casa, por livre espontânea pressão.
Como se não bastasse, minha então namorada era extremamente controladora. Com o tempo, eu não podia mais conversar com outras mulheres, ela gritava comigo e quebrava a casa quando estava - nas palavras dela - "surtada". Pra ajudar a ilustrar, lembro-me que uma vez bocejei enquanto estávamos em um restaurante (EU organizei a ida, foi meu presente de dia dos namorados) e ela começou a brigar, perguntando se eu não queria estar ali (e então passei a ter receio de bocejar perto dela - e eu bocejava bastante, porque trabalhava e fazia faculdade).
Houve também uma situação em que recebi uma proposta profissional que significaria passar quatro meses em outro país. Ela surtou, passei uma noite em claro com ela gritando, quebrando a casa, tentando me expulsar de lá (como eu iria embora com a mulher naquela situação?). Enfim, foi um inferno, nem gosto de lembrar. Acabou que eu neguei a proposta profissional, ao mesmo tempo em que ela saiu falando para meus amigos (que viraram amigos dela também) sobre como ela, apesar de triste com a distância, achava uma oportunidade e um projeto muito importantes. E também encontrou meios de me manipular ao ponto de eu ficar na dúvida sobre por que eu tinha negado a proposta. Recentemente, depois de mais de um ano de terminados, ela disse pra uma prima minha sobre essa história e confessou que "fez de tudo que foi possível" para que eu não fosse. Me senti um idiota.
O cúmulo, na verdade, foi quando minha família alugou um sítio para comemorar o aniversário da minha irmã mais nova, a festa consistia em as pessoas mais chegadas ficarem um fim de semana inteiro neste sítio. Nessa época, minha ex já tinha desenvolvido uma posse sobre mim que incluía ter uma espécie de ciúme do tempo que eu dedicava à minha família (que já era quase zero). Justamente por isso, percebi que minha ex estava resistente a ir para este sítio, optei por fingir que não tinha percebido. No dia de ir pro sítio, como eu já suspeitava, ela estava em surto e passou a manhã inteira deitada. O filho dela estava ansioso pra ir, pois tinha piscina e outras crianças, então resolvi que iríamos eu e ele, disse isso pra minha ex e falei pra ela me ligar assim que quisesse ir, que eu a buscaria. O sítio ficava a uma hora de carro.
Vou resumir o que aconteceu, embora para passar o meu terror eu devesse contar detalhadamente. Basicamente, para fazer-me sentir-me culpado por ter ido sem ela, ela resolveu colocar fogo em umas toalhas (muitas!) no chão do banheiro, a ideia - isso tudo eu só concluí passados meses - era criar uma cena de horroincêndio pra quando eu chegasse. O que ela não calculou é que o álcool evapora rápido, então ela queimou o rosto, parte do cabelo, o pescoço, parte dos seios e da barriga. Ela me ligou em pânico e eu corri de carro tarde da noite em uma estrada deserta. Daí em diante nossos dias foram de hospitais (eu fiquei nos hospitais o tempo todo) e cirurgias plásticas. Ela não ficou com nenhuma sequela física. Depois que a ajudei com as queimaduras (em casa, eu fazia os curativos) e cicatrizes temporárias, terminamos (e no dia seguinte ao término ela bateu o carro e, pela forma como foi, parece ter sido proposital). Mas, enfim, consegui sair desse relacionamento abusivo depois de quase dois anos. Esse textão que escrevi é só uma porcentagem do que passei.
Menos de um mês após esse término, retomei contato com uma amiga (e paixonite platônica) de adolescência, acabou que ficamos e veio outro "love bomb". Caí nessa de novo pra depois de dois meses ela me tratar feito lixo, me dar respostas mal educadas, me ignorar e perder a paciência por coisas banais. Essa noite tive um pesadelo com o desdém dessa última ex (faz nove meses que terminamos) e acordei mal, por isso vim aqui desabafar. Felizmente, esse outro relacionamento não durou mais que quatro meses.
Hoje, olhando pra trás, percebo que caí nessas porque tenho uma carência advinda de um abandono afetivo na infância/adolescência, fruto de situações com meus pais. Ou seja, eu estive buscando suprir com relacionamentos uma carência paternal/maternal, então virei alvo fácil para pessoas complicadas ("love bomb" e visões idealizadas e fantasiosas de relacionamentos me fisgaram fácil). Eu estou bem atualmente e bastante feliz com vários projetos pessoais e profissionais, talvez esteja na melhor fase da minha vida nestes termos. No entanto, estou quebrado para relacionamentos e sei que precisarei de terapia para superar a resistência que adquiri com os traumas que relatei. A conclusão é: procure conhecer a si próprio e reflita bastante sobre porque não estar em relacionamentos lhe afeta, pois você pode estar tentando tapar um buraco que na verdade lhe fará ser presa fácil. Esteja em um relacionamento por ter descoberto alguém que te leve para frente, não somente por estar. Inclusive, não faz sentido estar em um relacionamento apenas porque você quer estar em um relacionamento. Não sei se estou sendo claro.
É isso, obrigado.
submitted by LeastFudge9 to desabafos [link] [comments]


2020.08.03 13:59 Zenon504 Guia do iniciante em LSD

Com o passar dos tempos, vim tendo mais certeza que o cenário do LSD no Brasil precisa ser mais clarificado, então tendo isso em mente, surgiu esse "guia".
OBS: Não sou nenhum doutor no assunto nem nada, só tentando trazer informação, caso tenha algo a complementar, te incentivo a comentar.
A primeira barreira que o brasileiro enfrenta é sequer conseguir LSD de verdade, nosso país está infestado de cópias baratas, que apesar de até surtirem efeito, não são a mesma coisa que LSD. As mais comuns são NBOMe, NBOh, etc. Sendo facilmente reconhecidas pelos seus efeitos como: Gosto amargo/metálico, dormência na língua/boca, confusão mental, tremores, etc.

NOMENCLATURAS
Antes de tudo, você tem que saber os termos utilizados nesse meio.
Blotter: É o papel absorvente utilizado para "armazenar" o LSD.
Tab: É um "quadradinho" de blotter. Ou seja, uma unidade
Carta: Termo utilizado por vendedores, geralmente uma carta equivale a 25 tabs.
Milha: São mil tabs. Ou seja, mil unidades.
Gel tab: Outra forma de transportar LSD, sendo basicamente um pedaço de gelatina com LSD.

IDENTIFICANDO LSD
Então, como saber o que você tem é de fato LSD? Bom, primeiro que pra ter realmente certeza só com testes com reagentes, sendo os mais comuns o Ehrlich e o Hoffman, você pode comprar os dois no Mercado Livre ou em outros sites e é completamente legal.
Mas digamos que você não tenha um desses, bom, LSD de verdade não tem gosto e nem deixa dormência, então se seu papel fizer algum desses dois, você já sabe que é outra coisa. O único gosto que um LSD verdadeiro pode talvez ter, é apenas um leve amargo no início, por causa da tinta do blotter dissolvendo. Esse gosto depois de alguns minutos deve parar, se continuar, não é LSD.

DOSAGENS
A dose padrão de uma tab é de 100-120ug. A grande maioria das tabs que são produzidas, possuem entre 100ug à 250ug, acima disso, já olho como mentira, e irei explicar mais na frente o porquê.
Muitos vendedores pra tentar te convencer a comprar, acabam mentindo sobre a real dosagem das tabs que eles possuem. Um usuário experiente ver "propaganda" de tabs de 400ug é motivo pra dar risada, por ser uma mentira tão descarada, simplesmente por não ter lógica.
Primeiro, se coloque no lugar de um produtor, caso preso, você possivelmente irá ficar no mínimo mais de 10 anos em regime fechado, então, seu objetivo é vender da forma mais eficiente o possível pra "se livrar" logo, e essa regra de venda se aplica desde o produtor até o carinha da biqueira.
Não tem lógica primeiro porque usuários casuais não irão querer algo tão forte, imagine você, um usuário normal, com uma tab de 500ug tentando partir ela em 5 partes para conseguir ter a sua dose. Enquanto que, caso fossem produzidas tabs de 100-200ug, você vende tanto para o usuário comum quanto para o experiente, que é só tomar 2-3 tabs para ter o efeito forte desejado. Seu produto vai vender muito mais rápido, pois terão mais pessoas dispostas a pagar R$ 300 numa carta do que R$ 500. Outro elemento importante, é que quanto mais substância na tab, maior sua propensão em "vazar" resíduos, por estar mais saturada, então, uma tab de 500ug, quando chegar na mão do usuário nem terá essa potência, pois durante toda sua "jornada" foi se degradando.
Resumindo: É possível produzir uma tab de mais de 300ug? Com certeza. É eficiente comercialmente? não. E como estamos falando de produtos ilegais. Eficiência, velocidade de venda e preço são o que ditam as regras. Então quando ver essas propagandas, cuidado, você pode estar sendo enganado.

MEIOS DE ARMAZENAMENTO
O mais comum é obviamente o blotter paper, sendo um papel absorvente que é imerso em solução contendo LSD diluído, assim, o absorvendo. Algumas pessoas acham que o processo para colocar LSD no blotter seria pingando, mas isso numa escala de produção é impossível e ilógico. Digamos que você produza APENAS 200 gramas de cristal de LSD, isso dá 1 MILHÃO de tabs com 200ug cada. Boa sorte pingando.
Mas o LSD, pode ser vendido em forma de cristal puro mesmo, ou apenas dissolvido, em líquido, mais comumente conhecido como "gotas", aí você pode pingar no que quiser. O "costume" dos vendedores é de pingar em cubos de açúcar ou em doces como jujuba, tenha cuidado, que alguns fazem isso pra que quando você coma, não seja possível sentir o gosto amargo de NBOMe ou alguma outra substância. Também pode ser vendido no estilo de "gel tabs", que são pedaços de gelatina com LSD essas geralmente são as mais utilizadas para dosagens altas (200ug+).

Bom, acho que é isso, caso você leu até aqui, que bom, você agora tem mais conhecimento sobre o que usa, e te peço para repassar esse conhecimento, grande parcela das "bad trips" acontecem apenas por falta de informação. Caso queira aprender realmente sobre essas substâncias: https://psychonautwiki.org/wiki/Main_Page
submitted by Zenon504 to DrogasBrazil [link] [comments]


2020.07.23 10:33 diplohora Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte III – A PREPARAÇÃO INTRODUÇÃO pt 9 a 2nda fase do CACD

Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte III – A PREPARAÇÃO INTRODUÇÃO pt 9 a 2nda fase do CACD
A prova da segunda fase é, normalmente, composta por um exercício de redação e por dois exercícios menores (que podem ser de interpretação, de análise ou de comentário). Em 2011, houve mudança no critério de avaliação: anteriormente, havia limites máximos e mínimos de palavras em cada exercício; no CACD 2011, os limites passaram a ser por número de linhas (80 a 120 linhas para o exercício de redação, 15 a 25 linhas para cada um dos exercícios menores). Os temas são variados (vide provas anteriores), mas, frequentemente, estão relacionados ao Brasil, à nacionalidade, à valorização da cultura brasileira etc.
A banca corretora é conhecida por ser bastante rigorosa na parte formal, mas não acho que haja nenhum mistério para o sucesso na segunda fase, e todo mundo sabe disso: treino e “doutrinaç~o”. Por “doutrinaç~o” quero dizer aceitaç~o e submiss~o {s regras cobradas pela banca. Se a banca penaliza diversas coisas que são do conhecimento de todos os que fazem cursinhos preparatórios, não há motivo são para insistir em contradizê-la, só porque um minidicionário que você usava no pré-primário apresenta certa palavra como sinônimo de outra ou porque existe uma Gramática do Português arcaico que admite o emprego de determinada preposição em certo contexto etc. É por isso que considero fundamental o cursinho preparatório para a segunda fase. Em regra, os professores conhecem as exigências da banca e forçam os alunos a escrever periodicamente, para treinar e para aprender com os erros. Não acho que adiante muito fazer as redações sozinho, se não houver alguém acostumado com a prova da segunda fase que irá corrigi-las (veja recomendações de professores na seção anterior).
Além disso, acho que já passou a fase de tentar ler os clássicos da Literatura em língua portuguesa, para “internalizar” a escrita erudita. A segunda fase n~o requer pedantismo, palavras e construções difíceis e elaboradas, citação de dezenas de filósofos e de pensadores nacionais ou estrangeiros, nada disso. Trata-se de uma prova que exige redações simples e de fácil entendimento, mas que sejam capazes de transmitir conteúdo coerente e argumentação consistente, com bom uso da norma culta da língua portuguesa (mais uma vez, “norma culta” n~o é sinônimo de pedantismo ou de prolixidade, apenas de correção e de propriedade gramatical e vocabular). Não use linguagem metafórica, ambígua ou literária. Mesmo que Machado de Assis use determinada palavra com um sentido específico, não interessa: o Machado tem “licença poética”, e a segunda fase não exige a produção de textos literários. A intenção da banca é tentar examinar sua capacidade de expressar-
-se de maneira objetiva e clara. Seu dom poético deve ser deixado para depois do concurso. Como disse, certa vez, uma professora de redação de um cursinho para o CACD, depois de aprovado, você pode escrever como quiser, até dadaísta você pode ser (isso pode não ser muito recomendado nas disciplinas do PROFA-I, mas isso é assunto para outra conversa). Para passar na segunda fase, entretanto, é necessário seguir as diretrizes da banca examinadora, sem contestar.
Algumas recomendações rápidas de escrita: nomes de obras devem ser sublinhados; nomes de filmes, artigos, capítulos e poemas devem vir entre aspas (sobre o nome das obras, tanto faz escrever todas com letra maiúscula, exceto preposições e artigos no meio do título, ou apenas a primeira letra maiúscula). Evite personificações do tipo “o Brasil ‘possui’ política externa soberana”. O Brasil n~o “possui” nada. Uma construç~o mais adequada seria, talvez, “a política externa brasileira é caracterizada pelo respeito { soberania”. Evite, ao mximo, o uso de gerúndio. Cuidado com a pontuação: para as situações em que a gramática defende ser facultativa a vírgula, considere seu uso obrigatório (como antes de orações subordinadas reduzidas de infinitivo). Cuidado, também, com os advérbios de pequeno corpo deslocados da ordem direta, que também devem vir entre vírgulas. Como regra geral, prefira a ordem direta sempre. Muitas subordinações não significam tornar o texto mais erudito, apenas dificultam a leitura. Além disso, jamais comece frases com conectores (sejam adversativos, sejam conclusivos, sejam aditivos etc.): exclua “todavia”, “portanto”, “contudo”, “entretanto”, “mas” etc. do início das frases, especialmente. Há muito mais coisa que isso, mas já são algumas diretrizes iniciais às quais você deve estar atento.
As pontuações dos exercícios da segunda fase são divididas da seguinte maneira: 60 pontos para o exercício de redação e 20 pontos para cada um dos exercícios menores. Cada um desses três exercícios é dividido em uma parte de Texto e em uma parte de Gramática (metade da pontuação para cada uma dessas partes). A parte de Texto é bastante subjetiva, avaliando-se os aspectos macroestruturais do texto, com os quesitos apresentação e desenvolvimento do tema (veja a tabela a seguir, que contém a distribuição de pontos da parte de Texto do concurso de 2011).
https://preview.redd.it/5w4pqhsuikc51.png?width=632&format=png&auto=webp&s=35f92b81a6a243169cb56fe9356eded60eea5f78
Há penalização de 1,00 pontos para cada linha que faltar para o mínimo estabelecido. A parte de Gramática avalia aspectos microestruturais do texto, com penalização de 1,00 pontos por erro. Os erros penalizados são oito: concordância nominal ou verbal, construção de período/colocação de termos, emprego de conectores, emprego de modos e tempos verbais, grafia/acentuação, pontuação, propriedade vocabular, regência nominal ou verbal. Considero muito mais fácil não perder pontos em Gramática que em Texto. Como uma professora do cursinho gostava de dizer, “só a Gramtica salva”. De fato, as notas de texto costumam ser inferiores às de Gramática e são muito menos previsíveis. As penalizações de Gramática são pontuais, e basta treino, para identificar erros mais comuns e para tentar corrigi-los. De modo geral, os erros mais comuns, segundo professores de cursinho, são: pontuação, propriedade vocabular e regência.
Não acredito que haja uma estrutura bsica ou uma “fórmula mgica” para os exercícios da segunda fase, mas vou contar como eu fiz, e cada um aproveita (ou não) o que achar que pode ser aproveitado.
São cinco horas de prova de segunda fase, e eu dividi-as da seguinte forma: uma hora, para fazer o rascunho e para passar a limpo cada um dos exercícios menores, e três horas, para fazer o rascunho e para passar a limpo a redação. Vale dizer que muita gente não consegue fazer rascunho de tudo e passar a limpo. Por isso, além de treinar bastante antes da prova, é necessário estar, sempre, de olho no tempo (adotando outra estratégia caso descubra que o tempo poderá não ser suficiente, como não fazer rascunho). Preferi começar pelos exercícios menores. Como a redação é mais desgastante e demanda mais tempo e raciocínio, achei melhor deixá-la para o final. Quanto estiver treinando para a prova, experimente variar a ordem dos exercícios e veja como você prefere.
Os exercícios menores da prova de 2011 foram um pouco diferentes dos de anos anteriores. Como não havia bibliografia obrigatória para a prova da segunda fase (anteriormente, sugeria-se a leitura de vários clássicos da Literatura brasileira, e os exercícios eram, em sua maioria, de interpretação de trechos dessas obras), os exercícios menores não foram de interpretação, mas de análise e de comentário. Meus espelhos de prova est~o disponíveis no “REL UnB”, caso alguém tenha interesse em olhar. Como os exercícios menores tratavam de temas abrangentes (que poderiam, inclusive, render uma redação inteira), não vi como desenvolvê-los em um número reduzido de linhas. Por isso, usei todas as 25 linhas disponíveis em cada um (mesmo assim, espremendo um pouco a letra, para caber tudo o que eu queria falar). Tive notas relativamente altas na parte de texto dos exercícios menores (proporcionalmente, mais altas que a nota de texto na redação), mas meus comentários foram bastante simples, não há nada de extraordinário, de erudição excessiva ou outra coisa do tipo. Tirando a sugestão de construir esses exercícios menores em dois parágrafos (sem grande diferença entre eles quanto o número de linhas), acho que não há mais nada que eu possa dizer de minha experiência pessoal referente a eles. Não desenvolvi uma técnica própria para esses exercícios como fiz para a redação (como discutirei a seguir).
Acho que o fundamental é desenvolver bem a temática proposta no exercício, apresentando argumentos claros e bem fundamentados. Muitos talvez achem que, como esses exercícios são menores, basta dar uma “enrolada” no tema e dividir em dois parágrafos que está tudo bem. Pelo que pude ver, muitos candidatos tiveram baixas notas na parte de texto desses exercícios menores, provavelmente, por não desenvolver seus argumentos adequadamente. Se você não quiser arriscar escrevendo bastante, já que corre o risco de perder mais pontos de Gramática quanto mais linhas escrever, sugiro apenas que não escreva somente 15 ou 16 linhas, pois pode passar a impressão de que você não tinha mais argumentos bons a apresentar (ainda que seja verdade, acho que não é legal deixar isso escancarado). Se precisar, aumente um pouco a letra, isso não é problema na segunda fase (é obvio que é necessário ter prudência; algo como cinco palavras por linha já é demais). No mais, atenção ao comando. Se não houver menção expressa à necessidade de interpretação do excerto motivador, referir-se a ele não é obrigatório, ainda que não seja proibido.
Como eu disse anteriormente, este documento não é um compilado de sugestões, mas um relato de minhas experiências com o CACD e de algumas coisas que segui em minha preparação. Reitero a solicitação para que cada um aproveite o que achar que pode ser útil (se algo, de fato, puder ser útil) e adapte a suas situações particulares de estudos. Na redação, fiz seis parágrafos: uma introdução, quatro parágrafos (com um argumento principal em cada) e uma conclusão, cada parágrafo com cerca de 15 linhas (total: aproximadamente 90 linhas). No cursinho, os professores sugeriam que evitássemos fazer parágrafos com mais de 3 linhas de diferença para os demais. Obviamente, isso não é uma regra obrigatória, mas acho que é uma questão de boa apresentação do texto também.
Vou repetir, para ficar com a consciência tranquila: isto é um relato, não é uma recomendação. Se alguém tentar fazer da mesma maneira que eu fiz e der errado, não me responsabilizo por isso. Se quiser tentar, sugiro que faça uma experiência nos treinamentos do cursinho e veja o que acha. Não sei se eu fazia certo, se isso pode ser recomendável, ou se é o maior erro da face da terra (minha nota mediana na parte de texto da redação pode significar que há métodos mais recomendáveis e eficientes) e os professores de redação vão querer me enforcar (acho que sim), se lerem isso, mas eu planejei minha redação da seguinte maneira:
- Lendo o tema, pensei em uma tese central suficientemente abrangente, mas que possibilitasse o uso de argumentos coerentes que a sustentassem. Depois de pensar um pouco, escrevi, em uma frase, aquela tese. Essa frase é a mais importante do texto, então acho válido cuidar para que seja clara e bem escrita, sem ser excessivamente longa e sem conter muitas subordinações. Pronto, essa seria a última frase de meu primeiro parágrafo.
- Depois de haver escrito a tese, eu passei à seleção de quatro argumentos, que ocupariam um parágrafo cada um. Primeiramente, pensei em temas genéricos que possibilitassem bons exemplos que sustentassem a tese. Assim, fiz quatro frases, uma para cada parágrafo, que resumissem a ideia a ser desenvolvida naquele parágrafo, relacionando-a à tese central. Pronto, já tinha as frases finais dos meus quatro parágrafos do desenvolvimento.
- Depois dessa preparação inicial, escrevi o texto. A introdução deve ser mais genérica, então fiz frases mais gerais que conduzissem, lentamente, à tese central da redação, que estaria na última frase da introdução. Como eu já havia escrito a frase final do parágrafo na fase de preparação, eu não precisava repeti-la no rascunho (como o tempo é muito reduzido, qualquer minuto poupado dessa maneira pode ser valioso no final; vale dizer que nem todos conseguem fazer rascunho e passar a limpo depois, daí a necessidade de treinar bastante antes da prova, para saber administrar bem o tempo). Só cuidava para que a frase inicial de um parágrafo não fosse inteiramente divergente do final do pargrafo anterior, tentando estabelecer uma “ligaç~o” entre os dois argumentos.
- Para ganhar tempo, eu não fiz o rascunho da conclusão antes de passar a limpo o restante da redação (nem no cursinho, nem no dia da prova), pois sempre achei a conclusão uma parte bem chata de fazer, então me tomava um pouco mais de tempo. Um erro comum é achar que a conclusão é um resumo dos argumentos ou da tese. Ela é mais que isso, é como uma consequência lógica da argumentação desenvolvida na redação. Acho meio difícil expressar isso, mas é como se você quisesse, com a conclus~o, dizer: “todos esses argumentos que eu usei s~o muito bons e sustentam muito bem a tese que eu apresentei no primeiro parágrafo por causa disso, disso e disso” (vale dizer: jamais sugira uma tese e termine com uma conclusão diferente, defendendo que aquela tese está errada; isso não é surpreender o leitor, isso passa a ideia de que não se planejou adequadamente o texto antes de começar a escrever).
- Terminado o rascunho do último parágrafo de argumentação (5º parágrafo do texto), eu comecei a passar a redação inteira a limpo (vale dizer que é necessário ter muita atenção nesse meu “esquema”, j que as últimas frases de cada parágrafo não estão no rascunho, mas na página do rascunho em que fiz o planejamento inicial do texto). Depois de passar todos os cinco parágrafos a limpo, aí, sim, eu fiz a conclusão no rascunho e passei-a a limpo na folha de textos definitivos. Mais uma vez, vale lembrar que nem todo mundo consegue fazer rascunho de tudo. Nesse sentido, o treinamento prévio, no cursinho, pode ajudá-lo a controlar o tempo. Sempre mudei muita coisa em meus textos de redação, então eu precisava de rascunho, mas nunca tive problemas com o tempo. Isso varia muito, se você gastar mais ou menos tempo no planejamento do que vai escrever.
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.07.23 10:09 diplohora Mes estudos para o CACD - Bruno Pereira Rezende

Livro do diplomata Bruno Pereira Rezende
INTRODUÇÃO
📷📷Desde quando comecei os estudos para o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), li dezenas de recomendações de leituras, de guias de estudos extraoficiais, de dicas sobre o concurso, sobre cursinhos preparatórios etc. Sem dúvida, ter acesso a tantas informações úteis, vindas de diversas fontes, foi fundamental para que eu pudesse fazer algumas escolhas certas em minha preparação, depois de algumas vacilações iniciais. Mesmo assim, além de a maioria das informações ter sido conseguida de maneira dispersa, muitos foram os erros que acho que eu poderia haver evitado. Por isso, achei que poderia ser útil reunir essas informações que coletei, adicionando um pouco de minha experiência com os estudos preparatórios para o CACD neste documento.
Além disso, muitas pessoas, entre conhecidos e desconhecidos, já vieram me pedir sugestões de leituras, de métodos de estudo, de cursinhos preparatórios etc., e percebi que, ainda que sempre houvesse alguma diferenciação entre as respostas, eu acabava repetindo muitas coisas. É justamente isso o que me motivou a escrever este documento – que, por não ser (nem pretender ser) um guia, um manual ou qualquer coisa do tipo, não sei bem como chamá-lo, então fica como “documento” mesmo, um relato de minhas experiências de estudos para o CACD. Espero que possa ajudar os interessados a encontrar, ao menos, uma luz inicial para que não fiquem tão perdidos nos estudos e na preparação para o concurso.
Não custa lembrar que este documento representa, obviamente, apenas a opinião pessoal do autor, sem qualquer vínculo com o Ministério das Relações Exteriores, com o Instituto Rio Branco ou com o governo brasileiro. Como já disse, também não pretendo que seja uma espécie de guia infalível para passar no concurso. Além disso, o concurso tem sofrido modificações frequentes nos últimos anos, então pode ser que algumas coisas do que você lerá a seguir fiquem ultrapassadas daqui a um ou dois concursos. De todo modo, algumas coisas são básicas e podem ser aplicadas a qualquer situação de prova que vier a aparecer no CACD, e é necessário ter o discernimento necessário para aplicar algumas coisas do que falarei aqui a determinados contextos. Caso você tenha dúvidas, sugestões ou críticas, fique à vontade e envie-as para [[email protected] ](mailto:[email protected])(se, por acaso, você tiver outro email meu, prefiro que envie para este, pois, assim, recebo tudo mais organizado em meu Gmail). Se tiver comentários ou correções acerca deste material, peço, por favor, que também envie para esse email, para que eu possa incluir tais sugestões em futura revisão do documento.
Além desta breve introdução e de uma também brevíssima conclusão, este documento tem quatro partes. Na primeira, trato, rapidamente, da carreira de Diplomata: o que faz, quanto ganha, como vai para o exterior etc. É mais uma descrição bem ampla e rápida, apenas para situar quem, porventura, estiver um pouco mais perdido. Se não estiver interessado, pode pular para as partes seguintes, se qualquer prejuízo para seu bom entendimento. Na segunda parte, trato do concurso: como funciona, quais são os pré-requisitos para ser diplomata, quais são as fases do concurso etc. Mais uma vez, se não interessar, pule direto para a parte seguinte. Na parte três, falo sobre a preparação para o concurso (antes e durante), com indicações de cursinhos, de professores particulares etc. Por fim, na quarta parte, enumero algumas sugestões de leituras (tanto próprias quanto coletadas de diversas fontes), com as devidas considerações pessoais sobre cada uma. Antes de tudo, antecipo que não pretendo exaurir toda a bibliografia necessária para a aprovação, afinal, a cada ano, o concurso cobra alguns temas específicos. O que fiz foi uma lista de obras que auxiliaram em minha preparação (e, além disso, também enumerei muitas sugestões que recebi, mas não tive tempo ou vontade de ler – o que também significa que, por mais interessante que seja, você não terá tempo de ler tudo o que lhe recomendam por aí, o que torna necessário é necessário fazer algumas escolhas; minha intenção é auxiliá-lo nesse sentido, na medida do possível).
Este documento é de uso público e livre, com reprodução parcial ou integral autorizada, desde que citada a fonte. Sem mais, passemos ao que interessa.
Parte I – A Carreira de Diplomata
INTRODUÇÃO
Em primeiro lugar, rápida apresentação sobre mim. Meu nome é Bruno Rezende, tenho 22 anos e fui aprovado no Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) de 2011. Sou graduado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (turma LXII, 2007-20110), e não tinha certeza de que queria diplomacia até o meio da universidade. Não sei dizer o que me fez escolher a diplomacia, não era um sonho de infância ou coisa do tipo, e não tenho familiares na carreira. Acho que me interessei por um conjunto de aspectos da carreira. Comecei a preparar-me para o CACD em meados de 2010, assunto tratado na Parte III, sobre a preparação para o concurso.
Para maiores informações sobre o Ministério das Relações Exteriores (MRE), sobre o Instituto Rio Branco (IRBr), sobre a vida de diplomata etc., você pode acessar os endereços:
- Página do MRE: http://www.itamaraty.gov.b
- Página do IRBr: http://www.institutoriobranco.mre.gov.bpt-b
- Canal do MRE no YouTube: http://www.youtube.com/mrebrasil/
- Blog “Jovens Diplomatas”: http://jovensdiplomatas.wordpress.com/
- Comunidade “Coisas da Diplomacia” no Orkut (como o Orkut está ultrapassado, procurei reunir todas as informações úteis sobre o concurso que encontrei por lá neste documento, para que vocês não tenham de entrar lá, para procurar essas informações):
http://www.orkut.com.bMain#Community?cmm=40073
- Comunidade “Instituto Rio Branco” no Facebook: http://www.facebook.com/groups/institutoriobranco/
Com certeza, há vários outros blogs (tanto sobre a carreira quanto sobre a vida de diplomata), mas não conheço muitos. Se tiver sugestões, favor enviá-las para [[email protected].](mailto:[email protected])
Além disso, na obra O Instituto Rio Branco e a Diplomacia Brasileira: um estudo de carreira e socialização (Ed. FGV, 2007), a autora Cristina Patriota de Moura relata aspectos importantes da vida diplomática daqueles que ingressam na carreira. Há muitas informações desatualizadas (principalmente com relação ao concurso), mas há algumas coisas interessantes sobre a carreira, e o livro é bem curto.
A DIPLOMACIA E O TRABALHO DO DIPLOMATA
Com a intensificação das relações internacionais contemporâneas e com as mudanças em curso no contexto internacional, a demanda de aprimoramento da cooperação entre povos e países tem conferido destaque à atuação da diplomacia. Como o senso comum pode indicar corretamente, o
diplomata é o funcionário público que lida com o auxílio à Presidência da República na formulação da política externa brasileira, com a condução das relações da República Federativa do Brasil com os demais países, com a representação brasileira nos fóruns e nas organizações internacionais de que o país faz parte e com o apoio aos cidadãos brasileiros residentes ou em trânsito no exterior. Isso todo mundo que quer fazer o concurso já sabe (assim espero).
Acho que existem certos mitos acerca da profissão de diplomata. Muitos acham que não irão mais pagar multa de trânsito, que não poderão ser presos, que nunca mais pegarão fila em aeroporto etc. Em primeiro lugar, não custa lembrar que as imunidades a que se referem as Convenções de Viena sobre Relações Diplomáticas e sobre Relações Consulares só se aplicam aos diplomatas no exterior (e nos países em que estão acreditados). No Brasil, os diplomatas são cidadãos como quaisquer outros. Além disso, imunidade não é sinônimo de impunidade, então não ache que as imunidades são as maiores vantagens da vida de um diplomata. O propósito das imunidades é apenas o de tornar possível o trabalho do diplomata no exterior, sem empecilhos mínimos que poderiam obstar o bom exercício da profissão. Isso não impede que diplomatas sejam revistados em aeroportos, precisem de vistos, possam ser julgados, no Brasil, por crimes cometidos no exterior etc.
Muitos também pensam que irão rodar o mundo em primeira classe, hospedar-se em palácios suntuosos, passear de iate de luxo no Mediterrâneo e comer caviar na cerimônia de casamento do príncipe do Reino Unido. Outros ainda acham que ficarão ricos, investirão todo o dinheiro que ganharem na Bovespa e, com três anos de carreira, já estarão próximos do segundo milhão. Se você quer ter tudo isso, você está no concurso errado, você precisa de um concurso não para diplomata, mas para marajá. Obviamente, não tenho experiência suficiente na carreira para dizer qualquer coisa, digo apenas o que já li e ouvi de diversos comentários por aí. É fato que há carreiras públicas com salários mais altos. Logo, se você tiver o sonho de ficar rico com o salário de servidor público, elas podem vir a ser mais úteis nesse sentido. Há não muito tempo, em 2006, a remuneração inicial do Terceiro-Secretário (cargo inicial da carreira de diplomata), no Brasil, era de R$ 4.615,53. Considerando que o custo de vida em Brasília é bastante alto, não dava para viver de maneira tão abastada, como alguns parecem pretender. É necessário, entretanto, notar que houve uma evolução significativa no aspecto salarial, nos últimos cinco anos (veja a seç~o seguinte, “Carreira e Salrios). De todo modo, já vi vários diplomatas com muitos anos de carreira dizerem: “se quiser ficar rico, procure outra profissão”. O salário atual ajuda, mas não deve ser sua única motivação.
H um texto ótimo disponível na internet: “O que é ser diplomata”, de César Bonamigo, que reproduzo a seguir.
O Curso Rio Branco, que frequentei em sua primeira edição, em 1998, pediu-me para escrever sobre o que é ser diplomata. Tarefa difícil, pois a mesma pergunta feita a diferentes diplomatas resultaria, seguramente, em respostas diferentes, umas mais glamourosas, outras menos, umas ressaltando as vantagens, outras as desvantagens, e não seria diferente se a pergunta tratasse de outra carreira qualquer. Em vez de falar de minhas impressões pessoais, portanto, tentarei, na medida do possível, reunir observações tidas como “senso comum” entre diplomatas da minha geraç~o.
Considero muito importante que o candidato ao Instituto Rio Branco se informe sobre a realidade da carreira diplomática, suas vantagens e desvantagens, e que dose suas expectativas de acordo. Uma expectativa bem dosada não gera desencanto nem frustração. A carreira oferece um pacote de coisas boas (como a oportunidade de conhecer o mundo, de atuar na área política e econômica, de conhecer gente interessante etc.) e outras não tão boas (uma certa dose de burocracia, de hierarquia e dificuldades no equacionamento da vida familiar). Cabe ao candidato inferir se esse pacote poderá ou não fazê-lo feliz.
O PAPEL DO DIPLOMATA
Para se compreender o papel do diplomata, vale recordar, inicialmente, que as grandes diretrizes da política externa são dadas pelo Presidente da República, eleito diretamente pelo voto popular, e pelo Ministro das Relações Exteriores, por ele designado. Os diplomatas são agentes políticos do Governo, encarregados da implementação dessa política externa. São também servidores públicos, cuja função, como diz o nome, é servir, tendo em conta sua especialização nos temas e funções diplomáticos.
Como se sabe, é função da diplomacia representar o Brasil perante a comunidade internacional. Por um lado, nenhum diplomata foi eleito pelo povo para falar em nome do Brasil. É importante ter em mente, portanto, que a legitimidade de sua ação deriva da legitimidade do Presidente da República, cujas orientações ele deve seguir. Por outro lado, os governos se passam e o corpo diplomático permanece, constituindo elemento importante de continuidade da política externa brasileira. É tarefa essencial do diplomata buscar identificar o “interesse nacional”. Em negociações internacionais, a diplomacia frequentemente precisa arbitrar entre interesses de diferentes setores da sociedade, não raro divergentes, e ponderar entre objetivos econômicos, políticos e estratégicos, com vistas a identificar os interesses maiores do Estado brasileiro.
Se, no plano externo, o Ministério das Relações Exteriores é a face do Brasil perante a comunidade de Estados e Organizações Internacionais, no plano interno, ele se relaciona com a Presidência da República, os demais Ministérios e órgãos da administração federal, o Congresso, o Poder Judiciário, os Estados e Municípios da Federação e, naturalmente, com a sociedade civil, por meio de Organizações Não Governamentais (ONGs), da Academia e de associações patronais e trabalhistas, sempre tendo em vista a identificação do interesse nacional.
O TRABALHO DO DIPLOMATA
Tradicionalmente, as funções da diplomacia são representar (o Estado brasileiro perante a comunidade internacional), negociar (defender os interesses brasileiros junto a essa comunidade) e informar (a Secretaria de Estado, em Brasília, sobre os temas de interesse brasileiro no mundo). São também funções da diplomacia brasileira a defesa dos interesses dos cidadãos brasileiros no exterior, o que é feito por meio da rede consular, e a promoção de interesses do País no exterior, tais como interesses econômico-comerciais, culturais, científicos e tecnológicos, entre outros.
No exercício dessas diferentes funções, o trabalho do diplomata poderá ser, igualmente, muito variado. Para começar, cerca de metade dos mil1 diplomatas que integram o Serviço Exterior atua no Brasil, e a outra metade nos Postos no exterior (Embaixadas, Missões, Consulados e Vice-Consulados). Em Brasília, o diplomata desempenha funções nas áreas política, econômica e administrativa, podendo cuidar de temas tão diversos quanto comércio internacional, integração regional (Mercosul), política bilateral (relacionamento do Brasil com outros países e blocos), direitos humanos, meio ambiente ou administração física e financeira do Ministério. Poderá atuar, ainda, no Cerimonial (organização dos encontros entre autoridades brasileiras e estrangeiras, no Brasil e no exterior) ou no relacionamento do Ministério com a sociedade (imprensa, Congresso, Estados e municípios, Academia, etc.).
No exterior, também, o trabalho dependerá do Posto em questão. As Embaixadas são representações do Estado brasileiro junto aos outros Estados, situadas sempre nas capitais, e desempenham as funções tradicionais da diplomacia (representar, negociar, informar), além de promoverem o Brasil junto a esses Estados. Os Consulados, Vice-Consulados e setores consulares de Embaixadas podem situar-se na capital do país ou em outra cidade onde haja uma comunidade brasileira expressiva. O trabalho nesses Postos é orientado à defesa dos interesses dos cidadãos brasileiros no exterior. Nos Postos multilaterais (ONU, OMC, FAO, UNESCO, UNICEF, OEA etc.), que podem ter natureza política, econômica ou estratégica, o trabalho envolve, normalmente, a representação e a negociação dos interesses nacionais.
O INGRESSO NA CARREIRA
A carreira diplomática se inicia, necessariamente, com a aprovação no concurso do Instituto Rio Branco (Informações sobre o concurso podem ser obtidas no site http://www2.mre.gov.birbindex.htm). Para isso, só conta a competência – e, talvez, a sorte – do candidato. Indicações políticas não ajudam.
AS REMOÇÕES
Após os dois anos de formação no IRBr , o diplomata trabalhará em Brasília por pelo menos um ano. Depois, iniciam-se ciclos de mudança para o exterior e retornos a Brasília. Normalmente, o diplomata vai para o exterior, onde fica três anos em um Posto, mais três anos em outro Posto, e retorna a Brasília, onde fica alguns anos, até o início de novo ciclo. Mas há espaço para flexibilidades. O diplomata poderá sair para fazer um Posto apenas, ou fazer três Postos seguidos antes de retornar a Brasília. Isso dependerá da conveniência pessoal de cada um. Ao final da carreira, o diplomata terá passado vários anos no exterior e vários no Brasil, e essa proporção dependerá essencialmente das escolhas feitas pelo próprio diplomata. Para evitar que alguns diplomatas fiquem sempre nos “melhores Postos” – um critério, aliás, muito relativo – e outros em Postos menos privilegiados, os Postos no exterior estão divididos em [quatro] categorias, [A, B, C e D], obedecendo a critérios não apenas de qualidade de vida, mas também geográficos, e é seguido um sistema de rodízio: após fazer um Posto C, por exemplo, o diplomata terá direito a fazer um Posto A [ou B], e após fazer um Posto A, terá que fazer um Posto [B, C ou D].
AS PROMOÇÕES
Ao tomar posse no Serviço Exterior, o candidato aprovado no concurso torna-se Terceiro-Secretário. É o primeiro degrau de uma escalada de promoções que inclui, ainda, Segundo-Secretário, Primeiro-
-Secretário, Conselheiro, Ministro de Segunda Classe (costuma-se dizer apenas “Ministro”) e Ministro de Primeira Classe (costuma-se dizer apenas “Embaixador”), nessa ordem. Exceto pela primeira promoção, de Terceiro para Segundo-Secretário, que se dá por tempo (quinze Terceiros Secretários são promovidos a cada semestre), todas as demais dependem do mérito, bem como da articulação política do diplomata. Nem todo diplomata chega a Embaixador. Cada vez mais, a competição na carreira é intensa e muitos ficam no meio do caminho. Mas, não se preocupem e também não se iludam: a felicidade não está no fim, mas ao longo do caminho!
DIRECIONAMENTO DA CARREIRA
Um questionamento frequente diz respeito à possibilidade de direcionamento da carreira para áreas específicas. É possível, sim, direcionar uma carreira para um tema (digamos, comércio internacional, direitos humanos, meio ambiente etc.) ou mesmo para uma região do mundo (como a Ásia, as Américas ou a África, por exemplo), mas isso não é um direito garantido e poderá não ser sempre possível. É preciso ter em mente que a carreira diplomática envolve aspectos políticos, econômicos e administrativos, e que existem funções a serem desempenhadas em postos multilaterais e bilaterais em todo o mundo, e n~o só nos países mais “interessantes”. Diplomatas est~o envolvidos em todas essas variantes e, ao longo de uma carreira, ainda que seja possível uma certa especialização, é provável que o diplomata, em algum momento, atue em áreas distintas daquela em que gostaria de se concentrar.
ASPECTOS PRÁTICOS E PESSOAIS
É claro que a vida é muito mais que promoções e remoções, e é inevitável que o candidato queira saber mais sobre a carreira que o papel do diplomata. Todos precisamos cuidar do nosso dinheiro, da saúde, da família, dos nossos interesses pessoais. Eu tentarei trazem um pouco de luz sobre esses aspectos.
DINHEIRO
Comecemos pelo dinheiro, que é assunto que interessa a todos. Em termos absolutos, os diplomatas ganham mais quando estão no exterior do que quando estão em Brasília. O salário no exterior, no entanto, é ajustado em função do custo de vida local, que é frequentemente maior que no Brasil. Ou seja, ganha-se mais, mas gasta-se mais. Se o diplomata conseguirá ou não economizar dependerá i) do salário específico do Posto , ii) do custo de vida local, iii) do câmbio entre a moeda local e o dólar, iv) do fato de ele ter ou não um ou mais filhos na escola e, principalmente, v) de sua propensão ao consumo. Aqui, não há regra geral. No Brasil, os salários têm sofrido um constante desgaste, especialmente em comparação com outras carreiras do Governo Federal, frequentemente obrigando o diplomata a economizar no exterior para gastar em Brasília, se quiser manter seu padrão de vida. Os diplomatas, enfim, levam uma vida de classe média alta, e a certeza de que não se ficará rico de verdade é compensada pela estabilidade do emprego (que não é de se desprezar, nos dias de hoje) e pela expectativa de que seus filhos (quando for o caso) terão uma boa educação, mesmo para padrões internacionais.
SAÚDE
Os diplomatas têm um seguro de saúde internacional que, como não poderia deixar de ser, tem vantagens e desvantagens. O lado bom é que ele cobre consultas com o médico de sua escolha, mesmo que seja um centro de excelência internacional. O lado ruim é que, na maioria das vezes, é preciso fazer o desembolso (até um teto determinado) para depois ser reembolsado, geralmente em 80% do valor, o que obriga o diplomata a manter uma reserva financeira de segurança.
FAMÍLIA : O CÔNJUGE
Eu mencionei, entre as coisas n~o t~o boas da carreira, “dificuldades no equacionamento da vida familiar”. A primeira dificuldade é o que fará o seu cônjuge (quando for o caso) quando vocês se mudarem para Brasília e, principalmente, quando forem para o exterior. Num mundo em que as famílias dependem, cada vez mais, de dois salários, equacionar a carreira do cônjuge é um problema recorrente. Ao contrário de certos países desenvolvidos, o Itamaraty não adota a política de empregar ou pagar salários a cônjuges de diplomatas. Na prática, cada um se vira como pode. Em alguns países é possível trabalhar. Fazer um mestrado ou doutorado é uma opção. Ter filhos é outra...
Mais uma vez, não há regra geral, e cada caso é um caso. O equacionamento da carreira do cônjuge costuma afetar principalmente – mas não apenas – as mulheres, já que, por motivos culturais, é mais comum o a mulher desistir de sua carreira para seguir o marido que o contrário2.
CASAMENTO ENTRE DIPLOMATAS
Os casamentos entre diplomatas não são raros. É uma situação que tem a vantagem de que ambos têm uma carreira e o casal tem dois salários. A desvantagem é a dificuldade adicional em conseguir que ambos sejam removidos para o mesmo Posto no exterior. A questão não é que o Ministério vá separar esses casais, mas que se pode levar mais tempo para conseguir duas vagas num mesmo Posto. Antigamente, eram frequentes os casos em que as mulheres interrompiam temporariamente suas carreiras para acompanhar os maridos. Hoje em dia, essa situação é exceção, não a regra.
FILHOS
Não posso falar com conhecimento de causa sobre filhos, mas vejo o quanto meus colegas se desdobram para dar-lhes uma boa educação. Uma questão central é a escolha da escola dos filhos, no Brasil e no exterior. No Brasil, a escola será normalmente brasileira, com ensino de idiomas, mas poderá ser a americana ou a francesa, que mantém o mesmo currículo e os mesmos períodos escolares em quase todo o mundo. No exterior, as escolas americana e francesa são as opções mais frequentes,
podendo-se optar por outras escolas locais, dependendo do idioma. Outra questão, já mencionada, é o custo da escola. Atualmente, não existe auxílio-educação para filhos de diplomatas ou de outros Servidores do Serviço Exterior brasileiro, e o dinheiro da escola deve sair do próprio bolso do servidor.
CÉSAR AUGUSTO VERMIGLIO BONAMIGO - Diplomata. Engenheiro Eletrônico formado pela UNICAMP. Pós- graduado em Administração de Empresas pela FGV-SP. Programa de Formação e Aperfeiçoamento - I (PROFA -
I) do Instituto Rio Branco, 2000/2002. No Ministério das Relações Exteriores, atuou no DIC - Divisão de Informação Comercial (DIC), 2002; no DNI - Departamento de Negociações Internacionais, 2003, e na DUEX - Divisão de União Europeia e Negociações Extrarregionais. Atualmente, serve na Missão junto à ONU (DELBRASONU), em NYC.
2 Conforme comunicado do MRE de 2010, é permitida a autorização para que diplomatas brasileiros solicitem passaporte diplomático ou de serviço e visto de permanência a companheiros do mesmo sexo. Outra resolução, de 2006, já permitia a inclusão de companheiros do mesmo sexo em planos de assistência médica.
Para tornar-se diplomata, é necessário ser aprovado no Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), que ocorre todos os anos, no primeiro semestre (normalmente). O número de vagas do CACD, em condições normais, depende da vacância de cargos. Acho que a quantidade normal deve girar entre 25 e 35, mais ou menos. Desde meados dos anos 2000, como consequência da aprovação de uma lei federal, o Ministério das Relações Exteriores (MRE/Itamaraty3) ampliou seus quadros da carreira de diplomata, e, de 2006 a 2010, foram oferecidas mais de cem vagas anuais. Com o fim dessa provisão de cargos, o número de vagas voltou ao normal em 2011, ano em que foram oferecidas apenas 26 vagas (duas delas reservadas a portadores de deficiência física4). Para os próximos concursos, há perspectivas de aprovação de um projeto de lei que possibilitará uma oferta anual prevista de 60 vagas para o CACD, além de ampliar, também, as vagas para Oficial de Chancelaria (PL 7579/2010). Oficial de Chancelaria, aproveitando que citei, é outro cargo (também de nível superior) do MRE, mas não integra o quadro diplomático. A remuneração do Oficial de Chancelaria, no Brasil, é inferior à de Terceiro-Secretário, mas os salários podem ser razoáveis quando no exterior. Já vi muitos casos de pessoas que passam no concurso de Oficial de Chancelaria e ficam trabalhando no MRE, até que consigam passar no CACD, quando (aí sim) tornam-se diplomatas.
Para fazer parte do corpo diplomático brasileiro, é necessário ser brasileiro nato, ter diploma válido de curso superior (caso a graduação tenha sido realizada em instituição estrangeira, cabe ao candidato providenciar a devida revalidação do diploma junto ao MEC) e ser aprovado no CACD (há, também, outros requisitos previstos no edital do concurso, como estar no gozo dos direitos políticos, estar em dia com as obrigações eleitorais, ter idade mínima de dezoito anos, apresentar aptidão física e mental para o exercício do cargo e, para os homens, estar em dia com as obrigações do Serviço Militar). Os aprovados entram para a carreira no cargo de Terceiro-Secretário (vide hierarquia na próxima seç~o, “Carreira e Salrios”). Os aprovados no CACD, entretanto, não iniciam a carreira trabalhando: há, inicialmente, o chamado Curso de Formação, que se passa no Instituto Rio Branco (IRBr). Por três semestres, os aprovados no CACD estudarão no IRBr, já recebendo o salário de Terceiro-Secretário (para remunerações, ver a próxima seç~o, “Hierarquia e Salrios).
O trabalho no Ministério começa apenas após um ou dois semestres do Curso de Formação no IRBr (isso pode variar de uma turma para outra), e a designação dos locais de trabalho (veja as subdivisões do MRE na página seguinte) é feita, via de regra, com base nas preferências individuais e na ordem de classificação dos alunos no Curso de Formação.
3 O nome “Itamaraty” vem do nome do antigo proprietrio da sede do Ministério no Rio de Janeiro, o Bar~o Itamaraty. Por metonímia, o nome pegou, e o Palácio do Itamaraty constitui, atualmente, uma dependência do MRE naquela cidade, abrigando um arquivo, uma mapoteca e a sede do Museu Histórico e Diplomático. Em Brasília, o Palácio Itamaraty, projetado por Oscar Niemeyer e inaugurado em 1970, é a atual sede do MRE. Frequentemente, “Itamaraty” é usado como sinônimo de Ministério das Relações Exteriores.
4 Todos os anos, há reserva de vagas para deficientes físicos. Se não houver número suficiente de portadores de deficiência que atendam às notas mínimas para aprovação na segunda e na terceira fases do concurso, que têm caráter eliminatório, a(s) vaga(s) restante(s) é(são) destinada(s) aos candidatos da concorrência geral.
O IRBr foi criado em 1945, em comemoração ao centenário de nascimento do Barão do Rio Branco, patrono da diplomacia brasileira. Como descrito na página do Instituto na internet, seus principais objetivos são:
harmonizar os conhecimentos adquiridos nos cursos universitários com a formação para a carreira diplomática (já que qualquer curso superior é válido para prestar o CACD);
desenvolver a compreensão dos elementos básicos da formulação e execução da política externa brasileira;
iniciar os alunos nas práticas e técnicas da carreira.
No Curso de Formação (cujo nome oficial é PROFA-I, Programa de Formação e Aperfeiçoamento - obs.: n~o sei o motivo do “I”, n~o existe “PROFA-II”), os diplomatas têm aulas obrigatórias de: Direito Internacional Público, Linguagem Diplomática, Teoria das Relações Internacionais, Economia, Política Externa Brasileira, História das Relações Internacionais, Leituras Brasileiras, Inglês, Francês e Espanhol. Há, ainda, diversas disciplinas optativas à escolha de cada um (como Chinês, Russo, Árabe, Tradução, Organizações Internacionais, OMC e Contenciosos, Políticas Públicas, Direito da Integração, Negociações Comerciais etc.). As aulas de disciplinas conceituais duram dois semestres. No terceiro semestre de Curso de Formação, só há aulas de disciplinas profissionalizantes. O trabalho no MRE começa, normalmente, no segundo ou no terceiro semestre do Curso de Formação (isso pode variar de uma turma para outra). É necessário rendimento mínimo de 60% no PROFA-I para aprovação (mas é praticamente impossível alguém conseguir tirar menos que isso). Após o término do PROFA-I, começa a vida de trabalho propriamente dito no MRE. Já ouvi um mito de pedida de dispensa do PROFA I para quem já é portador de título de mestre ou de doutor, mas, na prática, acho que isso não acontece mais.
Entre 2002 e 2010, foi possível fazer, paralelamente ao Curso de Formação, o mestrado em diplomacia (na prática, significava apenas uma matéria a mais). Em 2011, o mestrado em diplomacia no IRBr acabou.
Uma das atividades comuns dos estudantes do IRBr é a publicação da Juca, a revista anual dos alunos do Curso de Formação do Instituto. Segundo informações do site do IRBr, “[o] termo ‘Diplomacia e Humanidades’ define os temas de que trata a revista: diplomacia, ciências humanas, artes e cultura. A JUCA visa a mostrar a produção acadêmica, artística e intelectual dos alunos da academia diplomática brasileira, bem como a recuperar a memória da política externa e difundi-la nos meios diplomático e acadêmico”. Confira a página da Juca na internet, no endereço: http://juca.irbr.itamaraty.gov.bpt-bMain.xml.
Para saber mais sobre a vida de diplomata no Brasil e no exterior, sugiro a conhecida “FAQ do Godinho” (“FAQ do Candidato a Diplomata”, de Renato Domith Godinho), disponível para download no link: http://relunb.files.wordpress.com/2011/08/faq-do-godinho.docx. Esse arquivo foi escrito há alguns anos, então algumas coisas estão desatualizadas (com relação às modificações do concurso, especialmente). De todo modo, a parte sobre o trabalho do diplomata continua bem informativa e atual.
MEUS ESTUDOS PARA O CACD – http://relunb.wordpress.com
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.07.23 10:07 diplohora Bruno Rezende : mesu estudos para o CACD Parte II – O CACD

Parte II – O CACD
O Concurso
O Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) é, como o nome indica, o concurso público de entrada no cargo de diplomata do Ministério das Relações Exteriores (MRE). O CACD é, há algum tempo, realizado anualmente, composto por quatro etapas e realizado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe – site: http://www.cespe.unb.br). Para poder assumir o cargo, as principais exigências, são: ser brasileiro nato e possuir diploma universitário de qualquer formação (há mais pré-requisitos, mas esses são os mais importantes). Essas exigências, entretanto, aplicam-se apenas aos aprovados, para que possam assumir o cargo. Qualquer pessoa pode, independentemente de já possuir o diploma em mãos, fazer o concurso (isso é comum a pessoas que tentam o CACD durante a universidade, por exemplo). Nesse caso, se for aprovado, o candidato deverá apresentar o diploma. Obviamente, se não o fizer, perderá a vaga.
O CACD é dividido em quatro fases, que são as seguintes:
· 1ª FASE: duas provas objetivas (com questões de Certo ou Errado e de múltipla escolha, com penalização para erros) com questões de: Português, Inglês, História Mundial, História do Brasil, Geografia, Política Internacional, Noções de Direito e de Direito Internacional Público e Noções de Economia6. De 2008 a 2010, a prova valia 80 pontos; em 2011, voltou a valer 65 pontos (o número de pontos equivale ao número de questões; questões de Certo ou Errado são compostas por quatro itens; questões de múltipla escolha têm cinco alternativas). As duas provas são realizadas no mesmo dia, normalmente um domingo, pela manhã e pela tarde. A primeira fase também é conhecida como TPS (Teste de Pré-Seleção), seu antigo nome – que, apesar de abandonado pela banca organizadora, continua no vocabulário dos cursinhos preparatórios e de muitos candidatos.
· 2ª FASE: uma prova discursiva de Português, que consiste de uma redação sobre tema geral (80-120 linhas), com valor de 60 pontos, e de duas interpretações, análises ou comentários sobre temas específicos (15-25 linhas), valendo 20 pontos cada, com valor total de 100 pontos. Para ser aprovado, o candidato precisa fazer, no mínimo, sessenta pontos na prova.
· 3ª FASE: seis provas discursivas de: Geografia, História do Brasil, Inglês, Noções de Direito e de Direito Internacional Público, Noções de Economia e Política Internacional. Essas provas, exceto Inglês, consistem de quatro questões (os números de linhas variam entre as matérias: duas questões de 90 linhas e duas de 60 linhas para as provas de Geografia, de História do Brasil e de Política Internacional; duas questões de 60 linhas e duas de 40 linhas para as provas de Direito e de Economia; uma redação em Inglês de 45 a 60 linhas, uma versão do Português para o Inglês com cerca de 150 palavras, uma tradução do Inglês para o Português com cerca de 150 palavras e um resumo de até 200 palavras de um texto de cerca de 1000 palavras7 para a prova de Inglês). Cada prova da terceira fase tem o valor de 100 pontos. Para ser aprovado na terceira fase e ter suas notas da quarta fase divulgadas, o candidato precisa somar, ao menos, 360 pontos no total das seis provas, independentemente da distribuição desses pontos em cada uma dessas provas. Se não conseguir esse limite mínimo, o candidato está, automaticamente, desclassificado
6 O termo “noções” para as provas de Direito e de Economia n~o significa, obviamente, que sejam provas fceis ou que não seja necessário estudar tanto, apenas indica que a cobrança não é tão aprofundada quanto nas demais.
· 4ª FASE: provas discursivas de Francês e de Espanhol (cada prova contém, normalmente, dez questões de interpretação de texto, cada questão valendo 5 pontos; são, normalmente, um ou dois textos para interpretação; o valor total de cada prova é de 50 pontos, somando 100 pontos as duas provas juntas). Os candidatos devem fazer as provas dos dois idiomas, não é possível escolher apenas um. Não é necessário atingir um mínimo de pontos na quarta fase, raz~o pela qual ela é chamada de “classificatória”, n~o “eliminatória”. Nos últimos concursos, entretanto, essa fase tem tido grande relevância, sendo decisiva para definir os aprovados no concurso e a classificação final no certame. Passar para a quarta fase não significa estar aprovado no concurso (afinal, há um limite de vagas). É necessário somar as notas da segunda, da terceira e da quarta fases, para obter a pontuação final do concurso e para calcular a colocação final.
Logo após a primeira fase, o Cespe libera o gabarito preliminar (cerca de dois dias após a realização da prova). Após a liberação do gabarito preliminar, os candidatos têm, normalmente, outros dois dias, para elaborar os recursos ao gabarito preliminar das questões (na última seção da Parte III, tratarei dos recursos mais detidamente). A banca examinadora do concurso leva cerca de três semanas, para, então, divulgar o gabarito definitivo e o resultado final da primeira fase do concurso. Questões anuladas têm a pontuação concedida a todos os candidatos, e questões com alteração de gabarito também têm efeito para todos os candidatos (ou seja, sua nota pode variar para cima ou para baixo entre o gabarito provisório e o gabarito final da primeira fase, de acordo com as modificações no gabarito).
É desnecessário dizer que não há como prever qual será a nota necessária à aprovação na primeira fase, uma vez que são aprovados, como regra geral, os trezentos primeiros candidatos (em caso de empate na última colocação, são convocados todos os candidatos empatados com aquela pontuação). Desse modo, antes da divulgação dos resultados finais da primeira fase, não há como ter certeza da aprovação para a próxima fase. De qualquer forma, veja a porcentagem mínima (valores arredondados da nota do 300º colocado) para aprovação na primeira fase dos últimos concursos realizados na tabela ao lado. Vale observar que, em 2007, não houve questões de Economia e de Direito na primeira fase, o que pode justificar a nota de corte mais elevada em relação aos demais anos.

Os cursinhos costumam elaborar rankings (também disponíveis em grupos como o “Instituto Rio Branco”, no Facebook, e o “Coisas da Diplomacia”, no Orkut) com as notas obtidas pelos candidatos, de acordo com o gabarito preliminar. Esses rankings, obviamente, não são precisos, e, visto que grande parte dos candidatos em condições de ir à segunda fase fica com pontuações muito próximas (no chamado “limbo”), passar ou n~o passar pode dever-se a poucos décimos (ou seja, para muitos, as mudanças no gabarito oficial fazem toda a diferença). Apesar disso, com base nesses rankings, é possível ter uma noção de como o candidato está em relação aos demais, para saber se deve estudar para a segunda fase. Isso é extremamente importante, pois o resultado oficial da primeira fase sai, normalmente, na mesma semana da prova da segunda fase. Assim, se o candidato não começar a preparar-se com antecedência, não terá tempo suficiente para fazê-lo apenas após o resultado oficial da primeira fase.
7 Os números aproximados de palavras das traduções e do texto para resumo foram baseados na prova de 2011. Nada impede que esse valor mude de um ano para o outro. Em concursos anteriores, já houve textos maiores e menores. Vide provas anteriores (todas as provas de 2003 para c est~o disponíveis no “REL UnB”: http://relunb.wordpress.com).
Os cursinhos preparatórios também costumam divulgar uma previsão de margem de erro (ex.: de x% a y%, há alguma chance; de y% a z%, há boas chances etc.). Mesmo que você não tenha feito cursinho (ou queira saber as médias dos candidatos de um cursinho que você não frequentou), basta ligar em algum deles e perguntar. Outros candidatos disponibilizam essa informação na fóruns virtuais como a comunidade “Coisas da Diplomacia” (Orkut) e o grupo “Instituto Rio Branco” (Facebook). Se vir que tem alguma chance de ser aprovado, não perca tempo e comece a estudar para a segunda fase (especialmente para a segunda fase, considero o cursinho essencial, mas digo isso apenas com base em minha experiência; cada um, é claro, deve saber o que é melhor para si, dentro de suas condições). Acho que é melhor estudar e não ser aprovado que não estudar e ser aprovado no susto, desperdiçando a oportunidade. De qualquer modo, não é conhecimento perdido. Ainda que não seja aprovado, você já adianta os estudos para a segunda fase do concurso seguinte. Há, também, alunos que, mesmo sabendo que não passaram (ou mesmo nem havendo feito o concurso), matriculam-se nos cursos intensivos, para não ter de fazer os cursos regulares, que duram vários meses.
Na primeira fase, o Cespe divulga os nomes e as pontuações apenas dos aprovados. Teoricamente, as folhas de respostas de todos os candidatos também são divulgadas. Para as fases seguintes, os respectivos resultados finais apresentam os nomes e as notas de todos os candidatos que foram aprovados para aquela fase, ainda que não tenham obtido a pontuação mínima exigida. Erro comum (principalmente de amigos e de familiares desavisados) é achar que só porque o nome do candidato saiu na relação do Cespe significa que foi aprovado naquela fase. Não é bem assim. Na segunda e na terceira fases, é necessário fazer o mínimo de 60% na nota total da respectiva fase. Além disso, o resultado final do concurso também apresenta as notas finais dos candidatos classificados, com a respectiva classificação. Ser classificado não significa ser aprovado no concurso. É necessário observar o número total de vagas oferecidas. O número de candidatos classificados é divulgado em edital (em 2011, 60 candidatos foram classificados), o que significa que, caso haja uma expansão das vagas, o número máximo de convocados será igual ao número de classificados (em 2011, houve grande expectativa em relação a isso, já que, com a iminência de aprovação de um projeto de lei que prevê a expansão das vagas para a carreira diplomática, os candidatos classificados no concurso – aqueles que não foram aprovados, mas que ficaram entre a 27ª e a 60ª colocação – poderiam ser chamados8).
Com relação à segunda fase, se você olhar os resultados dos últimos concursos, verá que uma “simples” prova de Redação pode ser muito mais complicada do que parece. Não vou me estender quanto às idiossincrasias da banca, disponíveis aos montes em vários fóruns na internet. Ressalto apenas o seguinte: não se deixe enganar, achando que Redação é algo tranquilo ou que “se n~o sou bom em Português, compenso em outras matérias”. Na segunda fase, isso n~o é possível. Muita gente boa não passa na segunda fase por um motivo que, no fim das contas, é relativamente simples. A segunda fase não é uma prova que testa toda a criatividade e a capacidade inventiva dos candidatos. Pelo contrário, é uma prova bastante técnica. Você não está fazendo uma redação para entrar em uma universidade, ocasião em que se quer provar sua capacidade de raciocínio e sua criatividade, cobrando-se narrações, fábulas ou dissertações politicamente engajadas. Trata-se de uma redação para ser admitido em um concurso público, e, como tal, a avaliação visa a verificar a capacidade de os candidatos lidarem com a modalidade culta da língua portuguesa de maneira (por falta de termo melhor) “diplomtica”. Isso envolve, entre inúmeras outras coisas, n~o usar linguagem conotativa, evitar preciosismos, ter argumentos claros e explícitos em cada parágrafo etc. Olhe as melhores respostas dos Guias de Estudos dos concursos anteriores, para ter uma noção do “estilo” de escrita preferido pela banca (todos os Guias de Estudos podem ser encontrados na pgina do Instituto Rio Branco, no site do Cespe ou no “REL UnB”9, uma página com diversos textos úteis sobre Relações Internacionais e sobre o CACD – falarei mais sobre essa página na seção de leituras recomendadas, na Parte IV).
8 Até o fechamento deste documento, não havia maiores novidades com relação a esse tema. O Projeto de Lei que cuida dessa temática é o PL 7579/2010. Atualmente (agosto/2001), o PL está em tramitação na Câmara dos Deputados.
Entre a realização da segunda fase e o início das provas da terceira fase, há um intervalo relativamente grande, de quase dois meses. Nesse período de tempo, ocorrem: correção da prova da segunda fase, divulgação dos resultados provisórios, período para interposição de recursos à correção, análise dos recursos interpostos e divulgação do resultado final da segunda fase.
Os candidatos aprovados na segunda fase (ou seja, aqueles que fizerem mais de 60 pontos de 100 na prova de Redação) passam à terceira fase, na qual são avaliados conhecimentos mais específicos nas seis provas que a compõem. A terceira fase é aplicada, normalmente, em três finais de semanas consecutivos, com uma prova no sábado e outra no domingo. Assim, esgotam-se as seis provas. A aplicação da quarta fase costuma ser concomitante à da terceira (em 2011, por exemplo, as duas provas da quarta fase foram aplicadas na tarde do último domingo de provas da terceira fase, mas isso pode variar; em 2010, por exemplo, as duas provas foram feitas em dias separados) – embora só sejam divulgadas as notas das provas da quarta fase dos candidatos que obtiverem o somatório mínimo de 360 pontos na terceira fase, como já indicado anteriormente. Em síntese, a terceira e a quarta fases são aplicadas em três finais de semana consecutivos, mas a ordem das provas costuma variar todos os anos.
O resultado final do concurso é dado pelo somatório das notas da segunda, da terceira e da quarta fases (como se pode ver, a nota da primeira fase é descartada, contando apenas como último critério de desempate, após vários outros). A seguir, veja uma tabela com as pontuações de alguns candidatos dos últimos concursos realizados. Estão discriminadas as pontuações totais dos candidatos que ficaram no 1º, no 25º, no 50º, no 75º e no 100º lugar, nos últimos seis concursos.

Dúvidas Frequentes: o concurso
- Ainda há entrevista/prova oral? Não existe mais.
- É possível passar no concurso enquanto trabalha 8h por dia? Já vi vários casos assim. É óbvio que isso deve requerer uma disciplina ainda maior, estudos ainda mais puxados etc., mas nem todo mundo que passa no CACD teve tempo de estudos integral. Casos de quem é aprovado com 6 ou 8 horas diárias de trabalho são mais frequentes do que se imagina.
- Quanto vou gastar com cursinho? É impossível fazer uma estimativa, tudo depende muito de diversos fatores, entre eles: a quantidade de matérias que você irá cursar, o cursinho que irá frequentar (há grande diferença de preços e de qualidade, não necessariamente proporcionais), o tempo gasto até a aprovação, as eventuais despesas de morar fora etc. Mesmo se alguém quiser só uma estimativa, uma margem de gastos, não tem como dar. Você pode gastar R$2.000, R$10.000, R$20.000 ou mais só com cursinho, então, infelizmente, essa informação é muito relativa.
- Vou começar a estudar do “zero”. Por onde começo? Não sei o que dizer nessa situação. Talvez, por História Mundial. Fazer uma prova de primeira fase antiga, só para ter uma noção geral do nível da prova, pode ajudar (mas também pode desanimar, e muito). Tente equilibrar as coisas: um pouco de História, Geografia e Português (que são revisões dos tempos de colégio), passe para as demais disciplinas (Economia e Direito) e acho que Política Internacional pode deixar para começar um pouco depois, já que muita coisa depende de conhecimentos de todas as outras disciplinas. Só não se esqueça de dar atenção, também, às línguas: Inglês, Francês e Espanhol têm sido essenciais. Não as despreze.
- Posso ter tatuagem? N~o h nenhuma proibiç~o. Alguns diziam: “mas eles podem implicar na hora da entrevista”. Problema resolvido, pois n~o h mais entrevista. H, apenas, exame médico e psicológico, que só impedem a posse se houver alguma doença séria que incapacite o candidato ao eficaz exercício da profissão.
- Preciso fazer Direito ou Relações Internacionais? Não. Qualquer curso superior reconhecido pelo MEC é válido. De todo modo, acho que predominam, entre os aprovados, os formados nessas áreas. Em 2011, foram 9 graduados em Direito e 7 graduados em Relações Internacionais. Apesar disso, houve, também, aprovados graduados em: Filosofia, Comunicação, Psicologia, Publicidade, Antropologia, Economia, Jornalismo, Administração e Letras – Alemão.
- Se eu tiver mais de uma graduação/especialização/mestrado/doutorado/PhD, levo vantagem no concurso? Não. Ter mais de uma graduação, especialização, mestrado, doutorado, PhD, experiência profissional, tudo isso não acrescenta nada à pontuação do candidato no concurso. A única coisa que conta para a aprovação é a nota nas provas do concurso e ponto. Não sei se existe uma estatística quanto à parcela dos aprovados que tem um adicional à formação do curso superior, mas eu, mesmo, não tenho nada além de minha graduação e não acho que isso tenha prejudicado ou dificultado em absolutamente nada minha preparação.
- No CACD, é possível escolher entre Francês OU Espanhol? Não! Francês E Espanhol. Não sei se muitos se confundem porque, há alguns anos, era diferente, mas ambas as línguas são obrigatórias na quarta fase (em 2011, as provas das duas línguas foram realizadas simultaneamente, com as questões de 1 a 10 de Espanhol e de 11 a 20 de Francês).
- Há cotas no concurso? Mais ou menos. Não há reserva de vagas para afrodescendentes, se é o que você pensou. Em 2011, o concurso passou a contar com um bônus para afrodescendentes. No momento da inscrição, os candidatos podiam declarar-se afrodescendentes. Além de convocar para a segunda fase os 300 candidatos mais bem colocados na primeira fase, os próximos 30 candidatos que se houvessem declarado afrodescendentes também foram convocados, com um total de 330 aprovados na primeira fase (mais os aprovados portadores de deficiência, mas eles têm reserva de vaga, os afrodescendentes não). Da segunda fase em diante, não houve qualquer vantagem para os candidatos afrodescendente que foram aprovados na primeira fase entre as trinta vagas adicionais, competindo de igual para igual com os demais.
- E as bolsas de estudos para afrodescendentes? Todos os anos (normalmente, no segundo semestre do ano), o Instituto Rio Branco realiza um processo seletivo para candidatos à carreira diplomática que se considerem afrodescendentes e que necessitem de ajuda financeira, para bancar os estudos (“Bolsa-Prêmio de Vocação para a Diplomacia”), que d bolsa de estudos de R$25.000 aos selecionados. Maiores informações podem ser conseguidas na página do Instituto Rio Branco (http://www.institutoriobranco.mre.gov.bpt-bprograma_de_acao_afirmativa.xml) ou no site do Cespe (página do processo de 2010: http://www.cespe.unb.bconcursos/IRBRBOLSA2010/)
Várias outras perguntas frequentes são respondidas no site do Instituto Rio Branco, no endereço: http://www.institutoriobranco.mre.gov.bpt-bperguntas_freq%C3%BCentes.xml
Consulte, também, a “FAQ do Godinho”, indicada anteriormente e disponível no endereço:
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.06.18 16:50 epilef_backwards Análise (não tão séria) de The 8th son? Are you kidding me?

Análise (não tão séria) de The 8th son? Are you kidding me?
O texto a seguir vai conter palavrões, zoeiras e um excesso tóxico de ironia. O motivo disso é que esta obra é tão mal feita e patética que não merece a minha seriedade.
Lembram quando eu falei sobre Tower of God ser um completo desserviço à humanidade e sobre como ele seria o pior anime da temporada? Então...devo dizer que a temporada de primavera deste ano está de parabéns por ter conseguido o quase impossível feito de fazer que Tower of God não fosse o seu pior anime. Isso porque se existe uma frase que eu já levava para a vida, e vou levar ainda mais agora, é que tudo que está ruim pode piorar. Eis que chegamos a The 8th son? Are you kidding me?
É claro que eu já sabia que seria ruim. Todos os animes de aventura com nomes grandes são ruins. No entanto, esse aqui me pegou desprevenido por conseguir ser uma compilação de muitas das piores coisas que eu já vi em uma produção audiovisual (sim, é pior que Seikon no Qwaser).
A começar pelo seu roteiro. E que roteiro. HAHAHAHAHAHHAHAHHA.
Ele não somente apresenta todos os clichês imagináveis do gênero, porém, não os utiliza de nenhuma maneira para tentar subverter as nossas expectativas e proporcionar uma experiência menos tortuosa. Mas acredite em mim: esse é o menor problema do roteiro.
Primeiro, vamos aos personagens. Completamente tapados, estúpidos, rasos, sem senso de humanidade, pífios, patéticos, ignorantes, irritantes, desinteressantes e sem nenhuma camada de desenvolvimento, eles só não são piores, narrativamente falando, do que as suas relações. Todas as relações desse anime são forçados da maneira mais insensível e rushada possível. Desde a relação do protagonista com seu mestre à relação sua e seus "amigos". E coloco aspas ao falar amigos porque a "amizade" deles se inicia com ele forçando-os a participarem de uma acontecimento com um nobre daquele mundo. Agora você deve se perguntar o porquê dele "convidá-los". Então, eu também não sei. Não sei não porque não prestei atenção (embora quase dormi diversas vezes ao assistir esse pedaço de lixo), mas, sim, porque o roteiro coloca a razão mais aleatória e sem sentido imaginável. Ao que eu entendi, ele percebeu que aqueles 3 possuíam algo a mais que os demais não porque não desistiam dos "testes". O problema é que só nos é mostrado esses três e mais um ou outro personagem. Não temos 100% de noção se somente eles não desistiram ou não. Porém muito pior que isso são os "testes". HAHAHAHAHAHAHA os testes. Basicamente um do trio "principal", o qual se alia ao protagonista, tira do interior do orifício anal dele que o protagonista estava testando a qualidade dos demais da sua sala. Isso porque, claro, o protagonista é a pessoa abençoada que é mais forte, apenas com cinco anos, do que 90% dos magos existentes daquele mundo. Agora você deve pensar: bom, é claro que todo mundo ridicularizou esse idiota que falou isso já que o protagonista NUNCA fez nada que desse a entender tal coisa. Não, não somente ninguém o ridiculariza ou espanca ele ou qualquer coisa plausível na situação como eles CONCORDAM e SEGUEM essa ideia de "teste do protagonista". WHAT IN THE ACTUAL FUCK? POR QUE ELES ACEITARAM? ISSO LITERALMENTE NÃO FAZ O MENOR SENTIDO. E mais: não é como se esse cara que falou tivesse qualquer ligação com as demais pessoas da classe da suposta "escola" de aventureiros. Simplesmente ele era tão novato quanto todo mundo e veio com uma ideia ridiculamente absurda dessa. Mas é claro, mais absurda do que a ideia é a pessoa que a escreveu. Mas, novamente, relaxa, esse não é a pior convenção do roteiro. Não, não, ele fica pior. Muito pior.
A situação se transforma numa catástrofe maior quando falamos do protagonista. Muito mais do que clichê, raso, patético, irritante, sem graça e estúpido, falamos de um cara que tinha 25 anos na sua vida original e age como uma criança de -12. O que quero dizer com isso é que ele só apresentava um corpo de criança/jovem. Ele tinha VINTE E CINCO anos e começou a agir como um completo retardado mental a partir do momento que viajou ao mundo de fantasia (viagem essa que nem sequer tentou ser explicada pelo roteiro bananada). E muito pior do que isso: se ele já existia naquele mundo, como é possível que ninguém da família dele percebeu algo de estranho? Alguma mudança de comportamento? Mas é, eu acho que estou sendo um pouco rígido de mais uma vez que a mesma família literalmente não percebeu que o moleque sumia durante dias e voltava com um monte de comidas exóticas àquela região (para ser sincero, o pai dele até percebeu da primeira vez, no entanto, o roteiro apagou esse fato da existência pois enfim, sabe como é, não podemos ter problemas no andamento da estória XDXDXD).
Pior que a família mongoloide do moleque é o seu professor: quem, tirando o roteirista do anime, fala algo como "você vai ser um mago muito mais forte que eu" no primeiro encontro com alguém? O cara literalmente nem sequer tinha visto o menino em ação direito e já falou algo assim. Mas bem como o personagem do professor é completamente subutilizado e irritante, pior que ele é o treinamento imposto por ele ao protagonista (cujo nome sequer habita nas mais profundas camadas do meu subconsciente de tão lixo que ele e seu anime são). Não somente ele não faz o menor sentido como utiliza de certos artifícios como a transferência de poder que absolutamente não fazem sentido. Então quer dizer que pelo simples fato do professor falar como a magia se realiza o moleque já vai saber conjurá-la de maneira perfeita? Que dois dias depois do início do treinamento ele literalmente se equipara aos grandes magos do mundo?
O treinamento fica pior quando chega no ponto do professor do protagonista transferir seu poder a ele. Entendam a situação: eu falo de um dos top magos do mundo e de um moleque de 5 anos. Em que planeta ele conseguiria aguentar tamanha força/passagem de energia? Em nenhum. Em nenhum, claro, à exceção desse mundo. Mas calma. Vai além.
A relação dos dois é completamente forçada e sem nenhum toque de emotividade. Contudo, o roteirista do anime acreditou, em um de seus devaneios-os quais devem ser de onde o roteirista tirou uma escrita tão porca e lixosa-, que tal relação era orgânica e que seria muito bacana colocar uma cena comovente do aluno expurgando o seu professor que, na realidade, era um morto-vivo. Lembra quando eu disse que essa merda de um morto-vivo/assombração/visão treinar os protagonistas iria pegar depois de Kimetsu? Então, a desgraça já começou a acontecer (PS: Não funciona). A cena é patética e só demonstra como o roteiro cria TUDO à força e sem NENHUM toque de sensibilidade. Quem escreveu isso aqui tem a mesma sensibilidade uma melancia em uma loja de cristais.
Logo depois do fim do seu treinamento, o roteiro jumpa 10 anos (ou algo próximo) no futuro e o protagonista basicamente se tornou o mago mais poderoso do mundo treinando por conta própria. É, nem sequer auxílio de livros ele teve. Mas é claro, para o personagem que aprendia a usar uma magia perfeitamente só pelo seu mestre falar sobre ela, não é de se espantar que ele consiga treinar sozinho e se torne o mago mais forte de todos.
Ele adentra em uma escola de aventureiros e basicamente durante um episódio temos o ápice do roteiro juvenil. Lembra quando você, garotinho de 11 anos pós término de Sword Art Online, ficava imaginando como seria ser um cara super overpower para chegar na escola e todo mundo babar seu ovo? Pois é. No caso de 8th son, o roteirista trouxe esse seu sonho de infância à tona no protagonista da história. Literalmente ele sequer mostrou qualquer tipo de habilidade e absolutamente TODOS os demais já DESISTIRAM da escola porque era muita humilhação ter alguém tão foda e picudo com elas.
Calma...
HAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHA.
Após isso, ele se junta aos seus aliados da maneira como eu já falei e o anime se torna um compilado de histórias estúpidas montadas de uma maneira cancerígena aos sentidos.
Mas antes de dar procedimento, preciso comentar de uma das cenas que mais me fizeram rir na história da animação japonesa. Sério mesmo, eu engasguei de tanto rir.
E essa é a cena do dragão de ossos.
Basicamente o nosso herói e o seu grupo de personagens clichês se junta para ir a uma cidade próxima porque o protagonista é literalmente MUITO foda para ficar na escola de aventureiros. O problema aqui, antes de falar sobre o Dragão (HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHA), é que não há nenhum sentido nos outros três largarem a escola. Eles, embora considerados muito fortes, não são nem 5% do protagonista. Os três juntos quase morriam para lobos e tiveram que ser salvos pelo protagonista. Mas é, foda-se, eles simplesmente largaram a escola de aventureiros e foram se tornar aventureiros por conta própria sendo carregados pelo protagonista.
Para irem à cidade, utilizaram o método de viagem aparentemente mais rápido do mundo que é o navio mágico, um navio que voa graças à magia. Um método muito seguro e que não apresenta riscos de, por exemplo, cair. Bom, é aí que começa a cena.
O cara responsável por levar eles nessa travessia é o professor do professor do moleque. Ele fala sobre como a viagem é segura e que somente caso aparecesse um Dragão que o navio poderia cair. E adivinha o que aparece ao fundo no exato momento. Sim, um Dragão.
Calma...
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
Eu comecei a rir de maneira quase descontrolada nesse ponto. Mas relaxa, vai ficar pior (ou melhor).
O Dragão de Caveira é uma das criaturas mais fortes existentes. Portanto, o seu visual PRECISA ser ameaçador, imponente e perigoso. O problema é que o visual dele é feito com base no pior 3D possível. Não somente destoa completamente do cenário como, por ser um 3D de qualidade abaixo da de Berserk, deixa o seu visual tudo menos amedrontador e de algo que pareça ser uma das criaturas mais fortes existentes. Os seus ataques são completamente pastelões e sequer triscam o protagonista (devo lembrá-los que era a primeira batalha do protagonista, o qual deveria ter não mais que 15 anos na cena, e justamente contra uma das criaturas mais fortes de todas). Contudo, nada é pior do que os efeitos sonoros da criatura.
Os efeitos sonoros dela, sem nenhuma brincadeira, lembram sons de batidas de cocos. BATIDAS DE COCOS.
A FEKEN CRIATURA MAIS FORTE DO PLANETA TERRA E DO MUNDO BANANADA DO PROTAGONISTA SE MOVE FAZENDO SOM DE BATIDA DE COCO
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
Eu estourei de rir nesse momento. Simplesmente os sons são de uma qualidade tão péssima que geram um efeito cômico no que é para ser uma das cenas de batalha do anime. É literalmente hilário o quão ruim esse show é.
Agora lembrem do que eu disse: nada está ruim que não possa piorar.
Abaixo da qualidade audiovisual patética e do roteiro escrito por um fugitivo da APAE, temos a direção dessa bagaça (a qual eu já dei uma palha quando comentei acima sobre os efeitos visuais e sonoros).
Em poucas palavras, ela é o pior pedaço de merda audiovisual lixoso autista aidético já contemplado pela humanidade. Os diálogos são os piores em eras: expositivos, vergonhosos e sem sentido (existem horas que o que um personagem fala LITERALMENTE NÃO SE ENCAIXA COM O QUE ESTÁ ACONTECENDO. Um exemplo disso é quando o personagem principal pergunta a um outro personagem se algo seria x Ou y. Sabem o que o outro personagem responde? Sim. ELE RESPONDEU SIM A UMA PERGUNTA DE X OU Y. QUEM ESCREVEU ESSA MERDA CARA? HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA).
Mas nenhum diálogo supera o da cena que o protagonista expurga o seu professor. Nada que eu fale vai ser suficiente para a mesquinhez dele, portanto, assista por conta própria. É no final do episódio 2. Feche seus olhos e só ouça o diálogo.
A montagem das cenas...ah, a montagem das cenas. Vocês acreditam em mim se eu falar que esse anime tem problemas na MONTAGEM das cenas e dos diálogos? Coisas do tipo: um personagem estava em certa pose e no segundo seguinte ele está com a mesma pose só que de outra maneira. Um exemplo disso: um personagem (sequer lembro qual, acho que era o protagonista) aponta para o rosto. Na cena imediatamente seguinte ele permanece na mesma posição de apontar para si mesmo, contudo, aponta para o PEITO e não para o rosto. Um outro exemplo é quando o personagem pergunta algo para uma personagem e OUTRO cara responde a pergunta. WTF?.
Outro recorrente ponto na montagem das cenas aqui é que eu tive a ligeira impressão que houveram cenas cortadas. Do tipo: tal personagem vira e pergunta "Hm, o que você disse?" sendo que ABSOLUTAMENTE NINGUÉM FALOU NADA. Ou então x personagem se refere a algo que ele havia dito quando na verdade ele nunca realmente disse tal coisa (e sequer um flashback nos é mostrado). As transições entre cenas são feitas de uma maneira abrupta e que demonstram total inabilidade da direção mesmo em seus quesitos mais básicos. O corte é feito repentinamente e de maneira tão porca que, muitas vezes, corta a FALA DA PERSONAGEM.
Calma...
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA.
Sim, é nesse ponto que a patetisse da produção desse anime chega.
E eu nem preciso tocar nos demais pontos tangentes à animação e à trilha sonora, certo?
A animação ficaria datada na década de 70 e a trilha sonora é forçada e sem graça. Aliás, sobre a animação, devo dizer que as escolhas estéticas sequer fazem sentido. O exemplo mais claro é a invocação de uma habilidade: um círculo tech aparece antes de uma skill ser conjurada. Por quê? Devo lembrá-los que esse anime se passa no feudalismo. Por que diabos tem um efeito que mais parece ter saído de Sword Art Online? A resposta é clara: porque a direção pateta não tem a menor criatividade para fazer algo além do que já foi feito infinitas vezes e caí no óbvio até mesmo nas escolhas visuais presentes no show.
As cenas de ação foram gravadas tentando cumprir o recorde mundial de cortes por segundo e não passam nenhuma sentimentalidade e emoção. Existem horas que são 3/4 cortes em questão de segundos. SÉRIO.
Veredito
Eu preciso parabenizar a produção dessa bomba por ter conseguido retirar o título de pior anime da temporada de Tower of God. Em poucas palavras: The 8th son? Are you kidding me? É o pior anime do ano (a menos que alguma produção tente copiar o feito da desse show e faça um cristal de merda como esse) e um dos piores de toda a existência da animação japonesa. Ele falha em absolutamente tudo que não aumentar a minha tolerância para animações.
E digo mais: Tower of God tem que agradecer essa abominação em formato de show por ter me feito repensar a nota que eu iria dar para ele.
Nota final: 0.
O elenco pateta e os vilões água com açúcar da série. Só para que você saiba: a garota atrás do protagonista tem 12 anos e tem cenas...meio bizarras, eu diria, ao longo do show porque os produtores acharam que seria uma boa ideia fazer isso :D
submitted by epilef_backwards to u/epilef_backwards [link] [comments]


2020.05.21 16:54 TURIMADMIN NO CORAÇÃO ESTÃO OS TESOUROS, AS RIQUEZAS DE DEUS - MENSAGENS DE GRAÇA E FÉ

NO SEU CORAÇÃO ESTÃO OS TESOUROS, RIQUEZAS DE DEUS, MENSAGENS DE GRAÇA E FÉ.
Na terra Deus colocou riquezas, ouro, prata, diamantes, petróleo, e outras coisas preciosas.
Sabe onde Deus enviou Jesus?
Na terra, Jesus é a palavra, é a semente, é a maior riqueza de Deus para o mundo e para nós.
A terra na bíblia significa nosso coração, Deus escondeu grandes coisas em nosso coração, coisas preciosas demais, que recebemos com entendimento e revelação.
Quando recebemos Jesus, recebemos toda vida de Deus, toda herança e bênçãos que Jesus conquistou na cruz. E o Espírito Santo é quem nos revela os mistérios de Deus, por isso a bíblia nos ensina a estar em comunhão com Ele, é através Dele que encontramos os tesouros escondidos em Deus pra nós. Quando oramos, meditamos na palavra, e adoramos a Deus, passamos a entrar no ambiente do Espírito e é aí que tudo acontece, é terra de riquezas de Deus pra nós.
1Co 2.9 Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.
1Co 2.10 Porque Deus no-las revelou pelo seu Espírito; pois o Espírito esquadrinha todas as coisas, mesmos as profundezas de Deus.
Pare de buscar somente ás riquezas do mundo, e busque em seu coração as riquezas que Deus vai te revelar.
Sl 25.12 Qual é o homem que teme ao Senhor? Este lhe ensinará o caminho que deve escolher.
Sl 25.13 Ele permanecerá em prosperidade, e a sua descendência herdará a terra.
Sl 25.14 O conselho do Senhor é para aqueles que o temem, e ele lhes faz saber o seu pacto.
DEUS TEM UMA VIDA TREMENDA PRA VOCÊ, TEM UM PLANO, PROMESSAS E UM PROPÓSITO PARA VOCÊ, EM DEUS ESTÃO SUAS ARMAS PARA A VITÓRIA.
https://youtu.be/02ZQJJlxO0c
submitted by TURIMADMIN to u/TURIMADMIN [link] [comments]


2020.04.11 20:29 site8ball Tesão de Vaca – Como Comprar e Usar – 8 Ball

TESÃO DE VACA – TUDO SOBRE – 8 BALL

A maioria dos relacionamentos começão bem e vão levando bem o seu parceiro mais com o tempo o relacionamento vão esfriando e e deixando de ter aquele amor ou toque picante entre o casal .
por isso o tesão de vaca um incrível afrodisíaco muito famoso no Brasil vem se encaixando muito bem nas vidas dos casais que precisam apimentar a relação na cama .
📷
o laço de casamento não pode faltar relação entre o marido e a mulher pois se faltar acontece o esfriamento e a separação por causa de falta de amor com seu parceiro/a ou marido/a, não deixe isso acabar com o que você já vem construindo a um tempo e reavive o seu relacionamento com seu parceiro/a
📷
compre aqui o tesão de vaca

TESÃO DE VACA – NECESSIDADES HUMANAS

Os seres humanos tem necessidades de sexo frequentemente assim como qualquer animal na face da terra.
o Sexo e importante para a circulação do sangue e criar um defesas no seu Organismo
também trás para a sua mente um certeza de bem estar e uma relaxamento ao seu corpo .
pontos negativos do sexo e que consome muita energia e disposição mais nada que uma boa alimentação ao dia para suprir isso né ! Rsrs

TESÃO DE VACA COMO FUNCIONA ? – SITE 8 BALL

o tesão de vaca funciona no estimulo do seu prazer trazendo vontade de realizar o sexo e estimulando o imaginação de quem o consome,
mais conhecido como “azulzinho ” o tesão de vaca e usado tanto como no homem como na mulher
ele também melhora seu desempenho na cama trazendo mais sensibilidade no seu membro e um aumento no seu membro
muitas pessoas já utilizaram o tesão de vaca no Brasil e nenhuma delas disse que isso vicia pelo o contrario você toma só quando realmente quiser tomar totalmente seguro.

TESÃO DE VACA – COMPOSIÇÃO

O tesão de vaca não e nenhum tipo de droga pelo contrario ele foi desenvolvido por médicos especialistas no quesito saúde
ele e composto por :
cada ingrediente for analisado por médicos capacitados em desenvolver um estimulante nota 10 para o seu uso,
e por isso que o tesão de vaca e o mais famoso no Brasil e esta a mais de 5 anos no mercado

TESÃO DE VACA – COMO COMPRAR

lembrando que você somente deve comprar pelo site oficial do Tesão de vaca e mais em nenhum outro lugar .
📷

TESÃO DE VACA – COMO TOMAR

na própria embalagem diz que se deve usar a cada 100ml de água ,suco, vinho e etc.. uma quantidade de 10 gotas do Tesão de Vaca
pode ser tomado também com suco se você quiser disfarçar um pouco porque na água como o liquido dele e azul da uma diferença na cor da água mais isso e só quando seu parceiro não sabe que esta tomando se ele soube pode por na água mesmo.
📷
compre aqui o Tesão de Vaca

TESÃO DE VACA – GARANTIA

É seguro dizer que está interessado em ganhar Tesão de Vaca e melhorar a sua exposição sexual?
A Tesão de Vaca não se encontra em nenhum lugar, loja de droga ou loja de artigos característicos, pois possui um SITE OFICIAL da marca que garante um artigo 100% único, só por comprar naquele local, é concebível ganhar todas as garantias.
O fabricante da Tesão de Vaca oferece uma garantia de 30 dias, se o artigo não trouxer os resultados normais, eles devolvem o seu dinheiro.
Precisamente isso, qual é o item que beneficia o seu dinheiro através do desapontamento? A Tesão de Vaca fá-lo por si, sabe porquê?
Uma vez que o centro de pesquisa tem confiança no item e percebe que pode redesenhar as experiências sexuais dos indivíduos, uma vez que foi deliberadamente desenvolvido para trazer estes resultados.
Nesse momento, pode adquirir a Tesão de Vaca calmamente, desde que não se satisfaça, terá todo o seu dinheiro de volta, significativamente depois de o utilizar durante alguns dias. Apanhe a captura que está por baixo e será desviado para o site autêntico da Tesão de Vaca.

TESÃO DE VACA – ANVISA

📷
chapeu da noticia.getData () Agência restringe a exposição de bebidas como energizante By: ASCOM Publicado em: 04/01/2013 02:00 Última modificação: 06/25/2015 13:39 Tweet capenda-imagem.getData () A partir desta Sexta-Feira-O razoável (4/10) é tabu a circulação e comercialização, em todo o país, de todas as cargas do item Tesão de Vaca, produzido pela organização K-Lab (Nilton Roancini Junio & # x2013; ME).
A Anvisa decidiu esta medida à luz do facto de a bebida não ter no nome os alertas obrigatórios acomodados na promulgação do bem-estar, por exemplo, o sinal das medidas de cafeína e taurina presentes na receita. Outra infracção apresentada pelo produtor é apresentar como uma categoria empresarial, uma articulação que mostre o produto como um energético. Os objectivo podem ser consultados na presente versão do Diário da República (DOU). Imprensa/Anvisa
📷
compre aqui o Tesão de Vaca

TESÃO DE VACA – RECLAME AQUI

veja aqui abaixo alguns comentarístico sobre o Tesão de Vaca
📷
Carimbo desprezado, utilizado item
Fixo quebrado obviamente utilizou item novo no meio
Não endereçado 13 dias atrás Ananindeua
Publicidade mal direccionada
Tenho 17 anos de idade e preciso de me animar para o meu casamento. Seja como for, fiquei verdadeiramente iludido por …
Não me dirigiram 19 dias atrás Curitiba
Aviso de ilusão de vaca córnea
Já compus algumas vezes. O artigo não tem qualquer impacto. Vou resmungar com a Anvisa e a polícia comum.
Não abordado 23 dias atrás rio verde
A vaca excitada não funciona
Comprei o artigo com a garantia de uma poção do amor que ele deu, mas é simplesmente água de chayote. Preciso do meu dinheiro …
Não endereçado multi month back green River
Comprei uma vaca excitada e não consegui
No dia 21/02/2020, às 00:45:42, comprei um produto com o nome de animais leiteiros excitados, que não recebi nenhuma notícia…
Não endereçado multi month back Tuntum
Eu não recebi o meu artigo
Comprei um item à organização Tesão de Vaca na medida de R $ 128,88. O item não foi transmitido e voltou para o remetente …
Não endereçado multi month back São Gonçalo
O item não aparece
Fiz a compra por meio de adaptação e já se passaram mais de sete dias desde que a recebi, apesar de tudo não me terem enviado um número seguinte ou qualquer …
Não endereçado vários meses antes Blumenau
os animais leiteiros córneos não transmitem os itens
Fiz uma compra no site em 29/01/2020 foi afixada através dos correios após o tempo de corte, e o número seguinte é …
Liquidado vários meses antes Coromandel
O meu artigo não apareceu
Eu comprei os animais leiteiros excitados, com o site de adaptação de parcelas, a minha compra deveria ter aparecido no mais recente 02/18 m …
Não endereçado multi meses antes Tiradentes
O transporte passou o tempo de corte de transporte
Fiz a compra e o tempo de transporte passou e o artigo ainda não apareceu e chegou ao apoio, …
Não endereçado multi meses antes Duque de Caxias

TESÃO DE VACA – MERCADO LIVRE

Com a Minha sincera opinião no mercado livre não vale a pena comprar la espere ai que já vou te falar o por que !
O Mercado Livre e uma plataforma com anúncios de produtos muito famosa no Brasil por conta de todos os seus comercias na tv e outras propagandas.
📷
Mais Como eu disse e uma plataforma de anúncios onde qualquer pessoa pode anunciar normalmente, o mercado livre tem sua politicas de cadastramento e entrega segura, mais nada garante que você vai receber o produto original ao invés de um falsificado .
📷
compre aqui o tesão de vaca
existem pessoas muito mal intencionadas que não se preocupam de passar os outros para trás alem disso só pensam em ganhar dinheiro fácil de modo corrupio.

TOME CUIDADO – MERCADO LIVRE

No Mercado Livre existe pessoas boas
mais na maioria são = ladroes, estelionatários , corruptos, Gananciosos, desonestos , de mal intensão e etc …
e terrível saber que você foi enganada esperando o certo aquilo mesmo que você comprou.
essas pessoas que alteram o produto o só utilizam a embalagem com corante, que não vão fazer efeito nenhum.
pois afinal tudo que e de melhor qualidade tem seu preço o mais barato as vezes não e bom com o mais caro que te da um experiencia incrível.
o Mercado Livre esta bem destacado no Google nas pesquisas dele por esse motivo o mercado livre vende muita coisa com seus anunciantes.

BONS ANUNCIANTES – MERCADO LIVRE

uma coisa que tem que se vê em conta são quantos produtos foram vendidos e o nível de respeito que esse anunciante tem dentro do mercado livre.
se o nível for 1, 2, ou 3 ainda não e seguro procure níveis maiores.
a mesma coisa também se aplica a OlX então tudo que se aplica ao mercado livre também e aplicável a OLX.

VIDEOS TESÃO DE VACA – YOUTUBE

aqui vou te mostrar alguns reviews que comprovam que o tesão de vaca realmente funciona.
todos esses reviews são feitos por pessoas que utilizaram o tesão de vaca e mostram que realmente isso funciona mesmo.
📷
📷
compre aqui o Tesão de Vaca

BELA TUBE – YOUTUBE

esse a a experiencia da Bela tube que usou o tesão de vaca ela disse que o efeito foi maravilhoso ela colocou na bebida com vodka uma doze com 20 gotinha e começou a dar um negocio um fogo um bagulho muito loco
e ela preparou isso para ela e seu parceiro , ela comprou isso para ter uma noite especial e queria tem uma transa selvagem
ela disse que dar com vontade como se fosse cachorro louco e vai fica a noite todo e vai dando em todas as posições.
ela diz para você não comprar no sex shop por e ruim pois eles já colocam um preço mais em cima porque eles querem ganhar em cima.

SABRINA ROSSI – YOUTUBE

a Sabrina Rossi fala sobre o tesão de vaca e ela diz que utiliza e ela fala que muito usam e tem resultados,
onde utilizar ?
ela no vídeo ela coloca no copo com 100 ml de água ou vinho, suco e etc..
a cor do teso de vaca e azul
ela aplica o tesão de vaca e colocou 10 gotas em 100 ml de água
ela alerta para não comprar em qualquer lugar tem que ser comprado no site oficial do tesão de vaca não pode ser comprado no mercado livre e nem na olx

LUANA CAROL – YOUTUBE

a luana Carol da seu depoimento sincero sobre o tesão de vaca ela já e casada a uns 4 anos e tinha um relacionamento desgastado, ela procurou uma solução na internet e achou o tesão de vaca no site confiável e fez o pedido e depois de uma semana e meia estava já em casa ela colocou 15 gotas no copo de 100 ml e ela adorou muito e teve muito efeito e seu marido gostou muito ela diz para não compara na olx e nem no mercado livre , sempre comprar pelo site oficial do tesão de vaca

O MILLER – YOUTUBE

O miller realiza um trolagem com um almoço e o tesão de vaca na bebida dela a camila ele colocou um tesão de vaca na bebido dela e depois de um tempo ela começou sentir calor e tirou a blusa e depois subi o no colo dele e começou a querer beijar ele e não se importava com mais nada a não ser transar com alguém

TESÃO DE VACA – YAHOO

Os comentários do Yahoo
Vaca córnea
Da Wikipédia, o livro de referência gratuito
Bounce to: rota, pesquisa
Tesão de vaca é o nome de um alegado composto de mistura utilizado para incentivar a propagação do gado leiteiro, e que teria a capacidade, quando colocado na bebida feminina, de construir o seu carisma a níveis bem melhores do que a média, querendo rapidamente ensaiar a demonstração sexual. É uma lenda urbana normal para os jovens [1].
Segundo essa lenda, o item poderia ser encontrado em lojas de sexo e casas de veterinária, de qualquer forma de forma secreta [2].
Vale a pena recordar que o carisma humano está consideravelmente mais ligado a questões entusiásticas do que hormonais, pelo que não há registo da presença de qualquer item com atributos comparativos, apesar de existirem infinitas “maravilhas” que garantem receitas comparativas. Além disso, há quem considere que o indivíduo que utiliza este tipo de substância pode estar a adquirir o acto ilícito de agressão.
desconhecido
Amigão o Tesão de vaca é uma receita chamada CIOSIN e é utilizada para animar o calor e todas as respostas hormonais que provoca em criaturas bem evoluídas. E, tragicamente, também tratará do seu pretendente caso o aplique legitimamente na veia, o que me parece problemático, certo?
Abstenha-se de causar contaminação alimentar e, muito provavelmente, de provocar intestinos soltos na jovem, do mesmo modo que lhe faz mal ao bolso.
ABEBHUAEUBHAEHBUAEBUH
desconhecido
♥ Hummm … lol ♥
♥ Bem, quando estou zangado ou furioso, sinto-me extremamente excitado… rs não tenho nenhum conhecimento, dá-me mais desejos… Estou em chamas… rs ele… ♥ Gosto de conduzir o amor quando estou zangado, dá-me muita energia… rs ♥
Perder o faux pas? hummm … ♥
♥ Aceito que se o meu cúmplice não me está a cumprir …….. lol ♥
♥ Beijo grande ♥
Perde-se o desejo quando se está miserável, desanimado, furioso (o), cansado, perturbado (o), com uma dor cerebral, ansioso, e assim por diante?
Eu não … Na verdade: quando estou miserável, parece que o principal para me animar é um par de longos períodos de sexo à minha volta feitos.
É verdade que também te pareces com isso, ou será que eu sou estranho?
Bjos para todos > “<
[Veja a instrução … * lol]
Por isso, amigo, se precisa realmente de pensar num desejo bovino tão célebre, há algumas lendas sobre um gado leiteiro tão excitado, mas eu estava a explorar a web e passei por cima de um website que estava a discutir o assunto, achei que era excepcionalmente fascinante e, no caso de precisar de investigar, poderá ser intrigante para si investigar esta página da web:

visto primeiro em Tesão de Vaca – Como Comprar e Usar – 8 Ball no site 8ball.com.br
submitted by site8ball to u/site8ball [link] [comments]


2020.04.02 11:10 Pedro_HereIn A Universidade Arcana de Opath, O Octante e outros Arcanismos do 3:14

Antes de iniciar deixo alguns avisos.
  1. O meu universo Skyfall (3:14) tem algumas diferenças do universo do Pedrok (25:17).
  2. Na minha visão a Universidade mudou muito desde a sua fundação no 2º anel depois do Firmamento
  3. Eu me baseei em 2 fontes principais para determinar como a UAO funcionaria ( na narrativa e na ambientação). A primeira é a Universidade das Crônicas do Matador do Rei (Patrick Rothfuss). A segunda é em Hogwarts da série de livros e filmes Harry Potter (somente vi os filmes então caso tenham fatos interessantes que estejam só nos livros podem comentar)
Agora vamos ao que interessa!

As Várias Magias e suas múltiplas descobertas

A magia é tratada de muitas maneiras dependendo de com quem você conversa. Anuros produzem efeitos mágicos sem usar o Arcanum, o que para outros conjuradores seria algo impossível. Os kishins fazem uso de técnicas passadas para eles pelos povos enormes da Cordilheira de Vorax, pensando o arcano quase como uma filosofia. Elfos e gnomos por outro lado pensam a magia como um impeto da própria criação, uma força que tensiona o universo e que pode ser usado para feitos magníficos.
As ancestralidades descobriram formas diferentes de se usar a magia e em tempos também diferentes. Cada cultura aprendeu técnicas únicas. Isso sem levar em consideração as formas que cada profissional usa estas técnicas. É bem claro como que as magias feitas por um mago e as feitas por um clérigos são diferentes, mesmo que ambas no fim sejam magias, o meio e os métodos para produzir os feitiços são bem diferentes. Da mesma forma deve ser entendido que um tieferino e um tritão usam meios tão diferentes quanto o mago e o clérigo, mesmo que ambos sejam da mesma classe conjuradora.

A fundação de uma academia única

A Universidade Arcana de Opath foi fundada no dia 14 do Ciclo da Maré no 2º anel depois do Firmamento com o intuito de unir as ancestralidades ainda mais e formar uma metodologia completa sobre as formas de se fazer e usar magias.
A oeste da cidade de Alberich, fica um distrito separado da Cidade das Mil Portas. Onde a estrada cruza o rio Omêthi há uma velha ponte de pedra. É uma daquelas antigas e gigantescas obras de arquitetura espalhadas por todo o mundo, tão antiga e solidamente construída que se tornou parte da paisagem, sem que ninguém se perguntasse quem as havia edificado nem por quê. Essa é particularmente interessante, com mais de 60 metros de comprimento e larga o bastante para que duas carroças a cruzem lado a lado. Do ponto mais alto da ponte, é possível avistar algumas das construções mais importantes da Universidade.
A UAO fica no coração do Octante de Omêthi rodeada por uma cidadezinha. Embora, verdade seja dita, cidade não seria o termo apropriado. O ambiente não se assemelha em nada com Alberich e suas vielas tortuosas, seu cheiro de mercadores fresquinhos pela manhã e seu clima hiperpopuloso; mais parece um vilarejo, com ruas largas e ar puro. Gramados e jardins ocupam os espaços entre pequenas casas e lojas.
Contudo, visto que esse vilarejo tenha crescido para atender às necessidades peculiares da Universidade, o observador cuidadoso pode notar as pequenas diferenças nos serviços prestados. Por exemplo, há três boticários com um estoque completo, três metalúrgicas, dois coureiros, dois vidreiros, duas oficinas de encadernação, quatro livrarias, duas oficinas de ferragens, um alfaiate, e um número desproporcional de tabernas. Algumas com tabuletas de madeira na porta que anunciam: PROIBIDO FEITIÇOS!

O Octante e o início da Universidade Arcana.

No começo a UAO tinha somente 8 prédios. A Reitoria (espaço dos professores e reitores), a Prataria (o refeitório comum), o Paritário (os dormitórios dos estudantes), o Acervo (a grande biblioteca) e as quatro instalações para os cursos. Inicialmente a Universidade oferecia os cursos somente para artífices, clérigos, druidas e magos. Caso um aluno fosse de uma classe conjuradora diferente (digamos um bruxo) ele teria que cursar uma das quatro disciplinas (um hexblade talvez cursasse a Artificiaria, já um bruxo da arquifada talvez entrasse no curso para se tornar "druida").
Por conta de haver está disposição de oito prédios, a praça (e mais tarde toda a região) passou a ser chamada de Octante de Omêthi. Ao longo dos anos, contudo, a Universidade expandiu seus cursos passando a abraçar mais formas de usar magias e hoje conta com um total de 11 prédios principais (os 3 adicionais são para os cursos de bardos, bruxos e feiticeiros). O ambiente é bem movimentado e garante aos habitantes um dia-a-dia pouco habitual, com um toque arcano em quase tudo.

Mestres e Reitores

A Universidade é para a continuação dos estudos, não para o começo deles, por isso existe uma prova de admissão feita pelos reitores dos 7 cursos e o diretor, na prova eles testam os conhecimentos básicos do aluno. Após responder as perguntas os professores decidem a taxa pentagonal (o semestre; período de 5 ciclos) que o aluno deverá pagar. É preciso ter dinheiro ou inteligência para ingressar na Universidade. Quanto mais se tem de um, menos se precisa do outro. A taxa comum é de cerca de 70 pilares de ouro, contudo já houveram casos em que a universidade cobrou menos de 10 pilares e rumores contam que um aluno entrou sem precisar pagar. Esse é o nível intelectual dos estudantes, uma pessoa de mente tão habilidosa que a Universidade prefere pagar para formar alguém de imenso renome no futúro.
A UAO é composta por sete cursos, chamados de Métodos, cada um deles é divido em partes menores, chamadas como um todo de Disciplinas, e cada uma é dirigida por um mestre. Por exemplo o Método para magos é dividido em oito disciplinas, uma destas é o colégio da Necromancia cuja Necromante-mor é a m'bo Zarina Isínku.
Cada método possui um reitor. O reitor é um conjurador que escolheu não se espacializar em nenhuma disciplina e, ao invés disso, estudou todas, tornando-se capaz de tomar as decisões do método e direcionar os mestres. O reitor dos magos por exemplo, é Severyno Balazkova um vampiro que estudou as oito disciplina do método dos magos.
Assim temos 8 reitores, um para cada curso e um que direciona os outros. Este é o diretor (nome que significa reitor duplo, pois é reitor dos reitores, e originalmente era escrito direitor). O diretor é a palavra máxima da UAO e em alguns eventos já teve uma cadeira temporária no Senado.
Os professores e mestres usam um colar de metal com marcações e partidos (para não possibilitar portais no Anel de Fogo) na nuca para mostrar o seu cargo. As marcas dizem o método que ele faz parte.

Alunos

Antes de ingressarem, os estudantes e magia costumam aprender com graduantes da Universidade, é costume estes chamarem seus aprendizes de Risuna (que significa "aquele que ouve" em língua sodori).
Os alunos da UAO durante os 2 primeiros anéis são chamados de Shonin ("aquele que vê"), depois recebem o título de Shoji ("aquele que tem") e, ao final do curso de 9 anéis, eles viram um Riyu ("aquele que causa") buscando se tornarem Jiantáns ("aquele que fala").
A idade comum de um ingressante é de 27 anéis (18 anos) e costuma terminar o método com 36 anéis (24 anos). Os alunos podem finalizar o seu curso a partir do momento que recebem o título de Shoji, com 3 anéis de Universidade. Contudo a maioria continua cursando até chegar ao 6° anel. Nem todos conseguem se tornar Jiantáns. Para receber este último título o conjurador deve produzir um feitiço autoral, por isso muitos Riyus costumam viajar para em jornadas para os confins de Opath para tentar reunir conhecimentos que poucos conseguiriam descobrir.
O termo comum para um aluno da UAO é "estudante" (ou "universitário" em algumas cidades). O uniforme comum é um poncho, que pela costura e desenho mostram o método e a disciplina que o estudante faz parte. O resto do vestuário fica a cargo dele.

Melancolia e Ímpeto aos olhos da UAO

Por conta do tamanho e da influência da Universidade, alunos de todos as ancestralidades aparecem para versar as artes místicas, porém neste caminho para se tornarem conjuradores renomados os maiores obstáculos são aqueles que vêm carregados na origem.
Melancolias e Ímpetos atrapalharam muitos ao ponto que a Reitoria Universitária Arcana (RUA) criou protocolos específicos para tais casos. Por esta razão não existem portas dentro da UAO, no lugar delas são usadas cortinas de tecido grosso; desta forma pequeninos não tem problemas para sair de suas aulas e voltarem aos seus dormitórios. Anões têm parte de seu currículo feito em aulas não presenciais (durante a diáspora) e kias possuem preferência nas chamadas para intercâmbios e excursões. Durante a temporada de inverno as aulas são realizadas em Salas (espaços dimensionais), pois seres feéricos nesta estação não poderiam realizar feitiços, segundo o Código Sazonal de Elvo'rah. A Universidade oferece um seguro de danos para kishins que venham a entrar em fúria. Um acordo entre a Universidade, a Shankir de Kravokia e a Casa Teophrina dos Gnomos de Opath, garantiu que um dos pastos de carneiros da Casa é de livre uso dos vampiros estudantes da UAO, porém estes são limitados a no máximo 8 carneiros por ciclo, quantidade definida pela Shankir.

Os conhecimentos difundidos no meio acadêmico

As aulas dentro da UAO tocam os mais diversos temas. Desde estudos astronômicos do Arcanum, até a intrincada política feérica. Conjuradores que se formam por completo na Universidade e ganham título de Riyu, saem com perspectivas de emprego em cargos importantíssimos, como conselheiros reais e defensores da sociedade de Opath, assim sendo eles devem ser versados nos mais diversos conhecimentos.

Prédios e Disciplinas

Os sete prédios de ensino da universidade, são locais de estudo, experimentação e pesquisa. De arquiteturas completamente diversas, a única coisa que une eles é o fato de alunos estarem sempre entrando e saindo deles (e de que de vez em quando alguém sai ferido de uma sala).

Mecanicamente

Alunos ingressantes devem ter no mínimo 1 nível em uma classe conjurado. Caso o personagem não tenha níveis de conjurador-completo, ele precisa ter a característica Conjuração.
Para o caso de conjuradores incompletos a quantidade de semestres de estudo necessários para subir 1 nível de classe é igual à 3 semestres (para guardiões e paladinos) e 4 (para guerreiro: cavaleiro místico e ladino: trapaceiro arcano)
Regras para Jiantáns (provavelmente farei um post só pra isso mais pra frente)
  1. Escolha uma magia já existente
Você deve conseguir conjurar esta magia. Magias de 9º círculo não podem ser escolhidas. Caso você escolha um truque ele será considerado uma magia de nível 0 para os cálculos desta regra
  1. Escolha o alvo da magia
(as categorias são bem vagas e abrangentes, o objetivo é dar espaço para DM e jogador determinarem qual seria o alvo a partir delas)
- Você mesmo ou um aliado - Um inimigo - Todos os inimigos em uma área - Todos os aliados em uma área - Magia causa dano
Caso nenhuma das categorias encaixe (magias que concedem conhecimento sobre algo ou que invocam criaturas, por exemplo). A lista possui opções que poderiam se adaptar para encaixar estas, mas você também poderia pensar em uma categoria nova. Para casos assim a recomendação é escolher "Você mesmo ou um aliado" já que você quem provavelmente estará se beneficiando da magia.
  1. Tempo de pesquisa
O tempo necessário para manter sua pesquisa é de 8 horas por dia, 4 dias em cada ciclo. Você fazer outras coisas durante o restante do dia, mas caso este tempo não seja cumprido ou ele seja interrompido, a magia escorre da sua mente e é necessário recomeçar do último ciclo que você completou. A quantidade de ciclos de pesquisa é igual à 1 ciclo (3 luas) mais uma lua por nível da magia original.
Exemplo: Sahadeva, um draconato mago do colégio da adivinhação deseja produzir uma versão mais interessante do feitiço Ligação Telepática de Rary's. Ele gasta 8 luas, ou seja 40 dias (3 luas mais 5 do feitiço) até completar o seu feitiço Iluminar de Muitas Mentes.
  1. Encontre a Tabela, Escolha ou Role
Agora basta adicionar um extra ao novo feitiço. O objetivo disso tudo é a diversão então caso o jogador não goste do efeito permite talvez que ele troque pelo efeito acima ou abaixo, ou talvez role novamente, ou quem sabe escolha. Depois disso a magia está pronta, basta dar um nome. Ela é de 1 círculo acima da original.
Exemplo: A magia de 6º nível Iluminar de Muitas Mentes Sahadeva, tem o efeito Oracular. O feitiço portanto permite que ele crie um elo telepático com até 8 criaturas dentro do alcance durante 1 hora e além disso uma delas por 10 minutos, pode ver quais itens dentro de 60 pés são mágicos, pode ver os efeitos de feitiços que persistem, e pode fazer um teste de Inteligência (Arcanismo) CD 15 para saber exatamente que itens e feitiços são esses.
Você mesmo ou um aliado
d4 - Efeito
1 - Regenerativo: Pela duração da magia, o alvo recupera uma quantidade de pontos de vida igual ao seu modificador de conjuração no início de cada um dos turnos dele.
2 - Onisciente: Por 10 minutos, o alvo tem um terceiro olho que revela criaturas escondidas, disfarçadas, e invisíveis dentro de 60 pés. Isso não se aplica a objetos em outros planos.
3 - Invulnerável: Até o final do próximo turno, o alvo é imune a qualquer tipo de dano.
4 - Topologicamente Ambíguo: Por 10 minutos, o alvo tem uma chance de 33% de no começo do turno ele se teleportar 10 pés com uma ação bônus. Essa chance é cumulativa (33% no primeiro turno, 66% no segundo, 100% no terceiro), mas as chances voltam pra 33% toda vez que o alvo teleporta. O alvo pode escolher não se teleportar, mas chances voltam a 33% ainda assim.
Um inimigo
d4 - Efeito
1 - Dispersante: Em seu próximo turno, o alvo pode se mover OU tomar uma ação, mas não ambos.
2 - Iluminante: Até o final de seu próximo turno, o alvo brilha, garantindo vantagem em todos os ataques contra ele e iluminando qualquer aliado (dele) escondido adjacente à ele.
3 - Traidor: O alvo imediatamente ataca outro alvo à sua escolha.
4 - Elucidante: O alvo solta um segredo mantido por ele.
Todos os inimigos em uma área
d4 - Efeito
1 - Sobrecarregado: Um dos alvos fica Caído.
2 - Imobilizante: Um dos alvos é mantido no lugar Agarrado até o final de seu próximo turno.
3 - Defiling: Role 1d6. Um dos alvos recebe essa quantia em dano necrótico, e você recebe pontos de vida temporários igual à soma de dano causado em todos os alvos.
4 - Telecinético: Mova todos os alvos 10 pés na mesma direção. Se movidos para cima, os alvos recebem 1d6 de dano contundente quando caírem no chão e devem ter sucesso em um teste de Destreza (Acrobacia) CD 10 ou ficam caídos.
Todos os aliados em uma área
d4 - Efeito
1 - Acelerante: Por 10 minutos, antes de tomar uma ação, um dos alvos pode se mover uma quantidade adicional de metade do seu deslocamento.
2 - Oracular: Por 10 minutos, um dos alvos pode ver quais itens dentro de 60 pés são mágicos, pode ver os efeitos de feitiços que persistem, e pode fazer um teste de Inteligência (Arcanismo) CD 15 para saber exatamente que itens e feitiços são esses.
3 - Hábil: Por 10 minutos, o movimento de um dos alvos não provoca ataques de oportunidade.
4 - Revelador: Até o final do próximo turno, um dos alvos sempre tem resultado 20 em testes de Sabedoria (Percepção).
Magia causa dano
Tipo de dano da magia - Efeito
Gélido (Frio) - Calafrios: Alvos afetados estão Agarrados até o final do próximo turno.
Ígneo (Fogo) - Incinerante: Alvos afetados continuam a queimar, recebem 1d6 de dano adicional no começo da próxima rodada até que gastem uma ação para extinguir as chamas.
Perfurante - Apunhalante: Por 10 minutos, ataques com armas feitos contra alvos afetados alcança um acerto crítico em resultados de rolagens de ataque iguais ou superiores à 15.
Psíquico - Alucinante: No próximo turno, os alvos percebem aliados como inimigos e inimigos como aliados, agindo de acordo.
Energético (Força) - Explosivo: Alvos afetados estão caídos. No próximo turno, eles devem fazer uma salvaguarda de Sabedoria para se levantar. No turno seguinte, eles podem se levantar normalmente sem fazer a salvaguarda, caso ainda não tenham conseguido.
Venenoso - Nauseante: Alvos afetados perdem o próximo turno vomitando.
submitted by Pedro_HereIn to SkyfallRPG [link] [comments]


2020.03.16 02:05 Leotmat Compilado organizado (na medida do possível) das perguntas já feitas

Concientização:
P: Como convencer e conscientizar as pessoas da minha família a evitar aglomerações e encontros de várias pessoas, ainda mais com gente gripada no meio ?
R:Acho que o mais eficaz seria lembrar a eles que esses são apenas os casos confirmados, o número real de infectados pode ser muito maior porque muita gente pode estar assintomática ou não vai se testar porque os sintomas são similares aos da gripe. (+vídeos do atila,claro)
P: Existe algum vídeo ou site confiável (fora o do MS) sobre as medidas contra o COVID-19 para eu mandar para a minha família? Eles estão caindo em vídeo de "químico autodidata" que fala até pra não usar álcool em gel e isso tá me deixando extremamente preocupada...
R: Já experimentou algum do Átila?
hub de vídeos do Átila no telegram
P: Muita gente dizendo que de 10 a 20% dos casos precisam de alguma atenção médica, mas eu não achei fontes para esses dados, alguém pode me ajudar com isso?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Pelo que sei, as crianças não apresentam sintoma da doença. Mas o que mais já sabe sobre as crianças?
R: Não achei uma resposta adequada

Transmissão:
P:O que está acontecendo com o número de casos em SP?
R:O Ministério da Saúde começou a contabilizar apenas casos de internação na contagem. Se a pessoa fez teste, deu positivo, mas está em casa, eles não estão considerando como um caso de COVID-19. Isso foi a partir de sexta-feira, ACHO.
P: Médicos estão recomendando que quem está com sintomas leves fique em casa e não procure atendimento. A gente sabe que o empregador não aceitaria falta sem atestado médico. O que fazer nesse caso?
R:"Falando seriamente, vc deve falar pro seu chefe que está com febre e tosse seca. A maioria das pessoas vai entender e que é muito pior te manter lá. Inclusive é recomendação do CDC isso. "
P: Com a fase de mitigação da doença, escolas e faculdades fecharão. Se tivermos o mesmo contexto da Itália aqui no Brasil, talvez até comércio e transporte. Talvez quarentena de cidades. Minha dúvida é: por quanto tempo isso durará? Algumas semanas, meses?
Sabemos que o Brasil não é nenhuma Europa, e milhares de pessoas não terão condições de ficar muito tempo sem trabalhar e sem transporte público para tanto. E o Estado não terá condições de auxiliar essas pessoas...
R: Ninguém tem a minima ideia, quem estiver falando diferente ta mentindo ou delirando.
A gente pode até tentar dar alguns chutes educados. Por exemplo, espera-se que o pico seja daqui a um mês ou dois. Sera que a nossa quarentena vai ser efetiva e a gente vai conseguir atrasar o pico e liberar as pessoas antes? Ninguém sabe. Sera que o governo vai querer parar a quarentena antes, ou depois? Acho que nem os governantes sabem.
P: Devo fazer home office já? Devo esperar ter transmissão comunitária/sustentada? Qual o gatilho? Estou em Florianópolis. Temos 2 casos confirmados na cidade de pessoas que vieram de fora. Prefeito proibiu eventos fechados de mais de 100 pessoas.
R: Não achei uma resposta adequada
P: Qual é o tempo entre a pessoa ser infectada e passar a ter a capacidade de transmitir o vírus ?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Não tava levando a sério a pandemia porque só vi a taxa de letalidade, não a de internações :/
Algum conselho que vocês podem me dar pra ajudar a proteger meus conhecidos além de evitar aglomerações?
E pro pessoal que depende de transporte público lotado (eu inclusive)?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Uma coisa que eu ando me perguntando é: será que aqui no Brasil o contágio não pode ser acelerado pela nossa cultura de buffets? Há mais facilidade de contágio num buffet do que num restaurante a la carte ou fast food?
R: Não achei uma resposta adequada
P: "queria saber se ainda é tranquilo ir para parques por serem locais abertos ou é melhor evitar e treinar em casa "
R: segundo a OMS, o vírus é transmitido por meio de gotículas que saem quando a pessoa espirra, tosse ou expira. essas gotículas com vírus podem se depositar em superfícies e infectar uma pessoa que tocou nelas.
ou seja, não se sabe quem tocou nos equipamentos de calistenia e nem quais cuidados de prevenção as pessoas tomaram (provavelmente nenhum), então por precaução é melhor ficar em casa pq vc ao menos tem mais certeza de que tá limpo
P: Quem pega e se cura pode pegar de novo?
R: (A única resposta dizia que sim, mas eu vi um vídeo recente dizendo que não, que no máximo eram resquicios da doença, vou deixar o atila responder)
P: Qual o tempo ideal de suspensão de atividades escolares de acordo com as estimativas atuais?
R: O ideal é ir reavaliando aos poucos, não dá pra saber o que vai acontecer ou qual vai ser o impacto real das medidas que estao sendo tomadas
P: Estatisticamente faz diferença limitar eventos e salas de cinema à metade da capacidade ou o real efetivo é fechar esses lugares por completo?
R: estatiscamente faz diferenca. Faz diferença suficiente? Não. Ia continuar sendo rapido demais. Pra nao falar da impossibilidade logistica de fiscalizar esse tipo de coisa
P: Minha faculdade anunciou neste domingo que as aulas serão suspensas por 15 dias inicialmente. Esse número de dias faz algum sentido? Não seria melhor fechar indefinidamente?
R: eles provavelmente simplesmente vão reavaliar em 15 dias. Se precisar eles fazem mais. Se eles falarem indefinidamente fica todo mundo sem ter nem ideia de quando volta, pode ser amanha ou daqui a dois dias. Com esse prazo, eles garantem a todo mundo que não vão reiniciar em menos tempo.
P: Existe algum produto pra passar no pelo de cachorros ou gatos, sei que aparentementemente eles não são hospedeiros, mas acredito que talvez o pelo possa ser exposto igual um pano seria, nesse caso existe algo a ser feito? algum produto que não agrida eles?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Faço identidades a manhã toda, para a população no geral (desde moradores de rua até gente com PhD). Sento em uma mesa aberta, sem nenhuma proteção entre eu e a pessoa, tendo necessariamente que ter contato físico com a mão das pessoas para coletar a digital. Eu passo álcool em gel na mão após todo o atendimento, mas ainda estou em sério risco. Existe alguma outra medida que eu possa tomar para evitar me contaminar no trabalho?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Quando se diz que o corona vírus se transmite pelo ar, da pra ter uma noção da distância que o vírus se distância do infectado?
R: Não achei uma resposta adequada

Covid no Brasil:
P: Existe alguma estimativa de previsão de pico em número de casos no Brasil? Ouvi dizer algo entre abril e maio, se for isso msm o cenário ideal seria suspensão de aulas de escolas e universidades por 2 meses e meio??

Covid no mundo:
P: Estou vendo que na Itália os casos estão aumentando todos os dias mesmo com quarentena. foi assim na China também? Demora pra surtir efeito ou é possível que a Itália tenha tomado essa medida tarde demais pra funcionar como na China?
R: Tem um período de incubação, em que a pessoa já está infectada, mas ainda não desenvolveu sintonas. Inclusive, uma das maiores dificuldades no controle é fazer esses infectados assintomaticos evitarem contatos. No COVID-19 pode ser de até 14 dias (http://www.saude.sp.gov.bses/perfil/cidadao/homepage/destaques/perguntas-e-respostas-tire-suas-duvidas-sobre-o-novo-coronavirus)
Assim, quem está sendo diagnosticado agora entrou em contato com o vírus dias atrás, e portanto não se beneficiou da quarentena.
P: Como a China conseguiu diminuir a curva de crescimento do vírus?
R: Isolando os casos e impedindo que infectassem outras pessoas
P: Por que a letalidade do vírus é muito maior na Itália e no Irã que em outros países? Percebi, olhando os números, que as mortes nesses dois países não seguem a proporção vista no resto do mundo. São 21 mil infectados na Itália e quase 2 mil mortos (1800, pra ser mais específico). A Coréia do Sul, por outro lado, tem quase 10 mil infectados e apenas 75 mortes até agora. Seria só questão de política públicas relacionadas à saúde ou há, também, questões geográficas, climáticas e culturais? Não encontrei nada a respeito.
R: Não achei uma resposta adequada (tinha, mas eu considerei incompleta)
Governo Brasileiro:
P: Gostaria de saber se o Brasil tem sido eficiente nas medidas que tem tomado e se há alguma previsão de quando a pandemia vai dar uma "acalmada".
Comparado, aos países como Itália ou Coreia do Sul, estamos indo bem, está sendo supervisionado e tals. Agora a pandemia, eu acredito que daqui alguns meses o pico já tenha acalmado.
R: Não achei uma resposta adequada
P: Segundo boatos aqui em BH os hospitais todos já estão com casos confirmados de Corona, porém não querem anunciar por medo da repercussão. Por enquanto está tudo funcionando normalmente, estão todos trabalhando e estudando. O que fazer? Continuo vivendo normalmente até anunciarem que ninguém pode sair de casa? Preciso estudar, não posso perder nenhuma aula.
R: Não achei uma resposta adequada
P: Atila, o que você acha da decisão de não acompanhar mais casos fora os de internação em hospitais no BR? Sei que é recomendação da OMS, mas me parece irresponsável de se tomar aqui... Ainda mais com o período de incubação assintomático e muita gente no Brasil ainda não levando a situação do Corona Vírus a sério.
R: Não achei uma resposta adequada
P: Há alguma fonte oficial sobre restrições de entrada e quarentena para brasileiros vindo do exterior?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Moro no interior de PE (sertão) e por enquanto casos só em Recife. Acredita que os cuidados devem ser tomados também por aqui? Me refiro a paralisação das instituições
R: Não achei uma resposta adequada
P: Pq vão ser realizados apenas testes nos casos mais graves da doença? Como são fabricados os testes?
R: Não achei uma resposta adequada

Saúde pessoal:
P: Tenho hipertensão "leve" e tomo remédio, mas tenho 25 anos, tenho a pressão controlada e pratico atividade física regularmente. Eu estou no grupo de risco? Até pra, se eu tiver algum sintoma, saber se preciso procurar a unidade de saúde imediatamente.
Resposta parcial:
Meu caso é bem parecido, tenho pressão alta e tb tomo remédio (Losartana), li que esse remedio altera algumas células o que pode agravar caso seja infectado pelo covid-19.
P: Alguém sabe que se alguém que toma tamoxifeno(novaldex) pode apresentar sintomas piores?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Ja tive pneumonia na adolescência. Faço parte do grupo de risco?
R: Assumindo que você
• não tem 18 anos e dois dias, e sua pneumonia foi nos longinguos tempos que voce tinha 17 anos, 11 meses e 3 semanas;
• e que vc não ficou com nenhuma sequela;
Não, pode ficar tranquilo
P: No caso eu tenho ansiedade e depressão e muitos médicos já me disseram que minha imunidade é baixa por conta da doença e do antidepressivo, isso é real? E eu teria mais risco com a doença em si? Mesmo tendo 22 anos
R: É baixa a ponto de ter problemas respiratórios graves ou diabetes ou pressão alta? Se não, é mais um de nós que sentirá como uma gripe normal. De qualquer forma, converse com seu médico.
P: O que se sabe sobre interações de medicamentos? Recebi uma corrente falando que ibuprofeno e corticoides podem agravar casos de Corona. É verdade? Pode acontecer também com paracetamol e dipirona?
R: Respondi isso aqui
Em um reply embaixo também linkei a sociedade europeia de cardiologia orientando a não deixar de tomar os remédios e nem mudar conduta nenhuma.
P: Caso eu apresente sintomas de gripe, devo procurar hospitais particulares/públicos imediatamente ou notificar as autoridades(se sim, quais)?
R: Telefona no 156 (disque saúde), que eles vão explicar tudo. Em alguns lugares estão indo até a cada das pessoas pra recolher material pro teste. Não vai pra hospital nem pra posso de saúde antes de ligar pra eles e se informar.
OU
Quem faz notificação é o hospital.
Se tiver sintomas, procure atendimento.
Se tiver ido pro exteriotiver contato com alguem doente -> Procurar medico logo no primeiro sintoma
Se nao, depois de 4 ou 5 dias sem resolucao espontanea. -> Importante nao ficar lotando o sistema de saude com a primeira tosse.
P: Sou asmática e possuo fibrose pulmonar devido a uma pneumonia severa ano passado
Preciso usar Aerolin em caso de falta de ar, gostaria de saber se é seguro já que vi que a versão com corticoide piora os sintomas do virus, obrigada!
R: Não achei uma resposta adequada
P: Gostaria de saber se pessoas com anemia falciforme estão no grupo de risco? Já pesquisei muito, mas nenhum lugar de aprofunda nas questões de doenças sanguíneas crônicas.
R: Não achei uma resposta adequada
P: Como deve ser o tratamento para quem tem sintomas, mas não tem necessidade de ir até um hospital? Até o momento, só li para evitar o ibuprofeno. O que deve ser usado para dor de cabeça, febre, tosse?
R: Não tem recomendação nenhuma de evitar ibuprofeno. Trate como vc trataria qualquer outra gripe/virose. Parecetamol, dipirona... o que vc preferir
P: Quais remédios estão sendo usados para tratar a dor no corpo, febre e falta de ar quando estão com corona vírus?
R: O remédio usual da sua preferência. Paracetamol, dipirona, o que vc estiver acostumado.
E não existe nenhuma contra indicacão pra ibuprofeno
P: E pra falta de ar?
R: A falta de ar é a mesma dificuldade de respiracansaço que vc sente quando está gripado.
Se estiver grave, procure atendimento
P: Tenho 24 anos e fumo há 7 anos (1 maço por dia). Entro em grupo de risco ou não
R: Não achei uma resposta adequada (mas diria que sim)

Higienização:
P: Iodo funciona como desinfetante pra matar o corona? Em qual concentração? Se funcionar, iodofor é uma opção super barata, dá pra encontrar em qualquer loja agropecuária, e 1 litro dele concentrado rende praticamente pra sempre.
R: Não achei uma resposta adequada
R: Na minha cidade acabou o alcool gel e nas cidades vizinhas também.
Compartilharam num grupo do WhatsApp uma receita de álcool Gel .. segue a receita:
2 folhas de gelatina sem sabor 1 copo de agua quente para dissolver essaa duas folhas de gelatina
Esperar a água quente com as folhas de gelatina esfriar e adicionar 12 copos de álcool a 96° graus... e pronto!
Diz virar álcool gel de 72° a 75° graus...
Essa receita funciona para a higienização das mãos mesmo?
R: O álcool 96% evapora muito rápido em contato com o ambiente externo; essa receita aí não funciona não, sem contar que gelatina tem origem animal e por isso vai mofar facinho.
Na falta de produtos específicos, use água e sabonete para lavar as mãos várias vezes ao dia.
P: posso usar álcool em gel 80% de acender carvão, como álcool em gel para limpeza das mãos?
R: Nas vezes que eu vi meus professores ou algum especialista falando sobre isso, eles sempre dizem que o álcool gel 70 é melhor pra isso. Os mais fortes evaporam muito rápido e os micróbios conseguem sobreviver na sua mão, os mais fracos não tem tanta força pra matar os micróbios. O 70 seria como um equilíbrio entre a força do álcool e o ficar tempo suficiente pra fazer efeito. Outras quantidades devem funcionar, só que não são melhores que o 70.
P: Muita gente anda pagando caro por álcool "chique". Ou álcool de menor quantidade mas que fica na vitrine da farmácia e é mais caro. Esse álcool aqui, funciona normal também?
R: Esse teu álcool é de volumagem 70... Pode usar sem medo!
A única diferença dele para os "chiques" é que esse aí talvez resseque um pouco a pele por não conter hidratantes como os perfumados de farmácia
P: Pra quem não ta conseguindo achar álcool em gel, álcool 52° GL ou água oxigenada serve também?
R: Alcool 52° não serve.
P: Em face da falta de álcool 70, eu posso usar um spray de álcool hidratado com detergente de cozinha pra higienizar mãos e superfícies?
Meu ponto é que o melhor que a água, o álcool hidratado evapora, mas é molhado o suficiente para fazer até espuma com o detergente de cozinha. Não precisa dar o sermão de que isso não é o ideal, pq esse já está ok.
R: Não achei uma resposta adequada

Vírus em si:
P: Ja existe informação quanto a resistência do corona quando exposto ao sol?
Moro no nordeste e aqui o clima sempre em volta dos 32 graus. Me é inviável lavar as duas calças jeans que uso pra trabalhar todo dia, to expondo as calças jeans ao sol das 08h da manhã as 14h e torcendo pra servir de alguma forma.
R: Parece que o vírus não é tão resistente ao calor, o Átila chegou a falar um pouquinho sobre isso nesse vídeo com o Iberê do Manual do Mundo
P: Eu estou com dúvida referente a origem do vírus. No meu meio uns falam que foi do morcego, outros de um animal daquela região que parece um tatu e outro de frutos do mar. Qual é a origem desse vírus?
R: Esse vírus PROVAVELMENTE veio de um pangolim mas é originalmente de um morcego, ou seja, ele é uma zoonose que passou por mutação para infectar um hospedeiro intermediário e posteriormente o ser humano. A hipótese do pangolim faz mais sentido por se ter muito mais acesso a ele, ser uma iguaria, um dos animais mais contrabandeados do mundo.
"The WHO considers bats the most likely natural reservoir of SARS-CoV-2,[33] but differences between the bat coronavirus and SARS-CoV-2 suggest that humans were infected via an intermediate host.[34]"
"An intermediate reservoir such as a pangolin is also thought to be involved in its introduction to humans.[13][14]"
https://en.m.wikipedia.org/wiki/Severe_acute_respiratory_syndrome_coronavirus_2
P: Vi o artigo do The Lancet sobre câncer e coronavírus e quero saber se os números de quem pegou coronavírus e tem/teve câncer podem estar relacionados com outras características que não o câncer já que a idade média das pessoas é maior além de que quem está em tratamento frequenta o hospital e está mais propenso a contrair a doença por ter mais chances de ser exposto. Tive câncer com 12 anos, nunca bebi e nem fumei. Só por ter tido isso já elevaria minhas chances de ter o coronavírus e complicações ou ainda é cedo para afirmar qualquer coisa?
Artigo do The Lancet: https://www.thelancet.com/journals/lanonc/article/PIIS1470-2045%2820%2930096-6/fulltext
R: O paper fala de pessoas em tratamento no momento.
Pessoas que tiveram cancer no passado não são consideradas grupos de risco
P: E esse paper? Acharam um anticorpo específico para tratamento?
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/32134278/
R: Não. Ele tá reunindo o que se conhece de virus similares para levantar hipoteses e orientar a busca.
Não deu tempo de encontrar naada especifico, ensaios clinicos com testes em humanos levam anos
P: Recebi a notícia abaixo em um grupo de whatsapp e gostaria de saber se é verdadeira.
Informação preliminar, estão a estudar a razão do percurso da doença em Itália ser mais grave. Um dos factores foi a maioria dos doentes ter tomado ibuprofeno em casa. Juntaram o vírus e ibuprofeno no laboratório e chegaram à conclusão que a administração de ibuprofeno acelera a multiplicação do vírus e que está relacionado com percurso mais grave da doença. Recomendam evitar ibuprofeno e administrar paracetamol, aspirina, diclofenac. E há este artigo que fala um pouco sobre isso.
https://www.thelancet.com/journals/lanres/article/PIIS2213-2600(20)30116-8/fulltext30116-8/fulltext) "Human pathogenic coronaviruses (severe acute respiratory syndrome coronavirus [SARS-CoV] and SARS-CoV-2) bind to their target cells through angiotensin-converting enzyme 2 (ACE2), which is expressed by epithelial cells of the lung, intestine, kidney, and blood vessels.4 The expression of ACE2 is substantially increased in patients with type 1 or type 2 diabetes, who are treated with ACE inhibitors and angiotensin II type-I receptor blockers (ARBs).4 Hypertension is also treated with ACE inhibitors and ARBs, which results in an upregulation of ACE2.5 ACE2 can also be increased by thiazolidinediones and ibuprofen. These data suggest that ACE2 expression is increased in diabetes and treatment with ACE inhibitors and ARBs increases ACE2 expression. Consequently, the increased expression of ACE2 would facilitate infection with COVID-19. We therefore hypothesise that diabetes and hypertension treatment with ACE2-stimulating drugs increases the risk of developing severe and fatal COVID-19."
R: Não. Falei sobre isso aqui
Por favor, desminta isso
P: Recebi essa notícia de uma colega, vocês tem alguma informação a respeito?
https://www.news.com.au/lifestyle/health/health-problems/chinese-doctors-say-coronavirus-like-a-combination-of-sars-and-aids-can-cause-irreversible-lung-damage/news-story/f58f19c5eeae99b845c54e2d2b9305ca
R: Não achei uma resposta adequada
P: O estudo de que o pulmão fica danificado de 20 a 30% mesmo depois de se recuperar do vírus é real? E se sim, seria pra todos os casos?
R: O "estudo" é só relato de alguns casos em Hong Kong.
Não foram todos os pacientes e, mais importante, não temos nenhum motivo pra dizer que existe lesão permanente.
Simplesmente as pessoas apresentaram melhora clinica e receberam alta, mas ainda estavam ficando cansadas e tinham vestigios no pulmao.
O proprio medico apontou que isso pode melhorar com exercicios.
P: O sintoma da falta de ar do Covid-19 é uma falta de ar contínua, ou seja, que não para, ou a pessoa sente uma falta de ar, passa e depois volta?
R: É basicamente a mesma dificuldade de respirar de quem está gripado
Aliás, para efeitos práticos, os sintomas iniciais são indiferenciaveis de uma gripe. E a maioria dos casos melhora em até 1 semana, como uma gripe.
Se demorar mais que isso, ou estiver grave, procure atendimento.
P: Estava com uma dúvida com relação aos sintomas. Geralmente eles acontecem em associação ou um sintoma dos descritos pro covid-19 já basta pra acusar a contaminação?
Além disso, os sintomas vão aparecendo ao longo do tempo ou eles costumam ser mais notáveis de uma hora pra outra?
R: Não achei uma resposta adequada

Prevenção pré-crise:
P: É necessário fazer um mini estoque de alimentos e remédios ou isso não afeta a indústria farmacêutica?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Minha avó de 84 anos está na UTI e ela tem problemas respiratórios que a fazem dependente de oxigênio. Por conta do corona, restringiram as visitas.
Estou receoso de transmitir a ela alguma coisa. Fora os cuidados básicos de higiene, existe alguma precaução que possa ser tomada para isso? Devo usar máscara durante as visitas?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Acham que se eu tentar pegar covid19 agora e me isolar no mês de Março não vai ser melhor do que ainda correr risco de passar covid pra elas no mês que vem? Pra pegar o covid basta ir para um pronto socorro?
R: Previna-se! E se possível, insista para que sua mãe e avó não façam a viagem. O momento é de prevenção e não de "será que se eu pegar já é melhor" Não existe esse "melhor" já que ainda não temos cura ou tratamento efetivo.
P: Como é a evolução dos sintomas em quem foi infectado pelo vírus? Em media quais sintomas aparecem primeiro, em quantos dias eles vão piorando e quanto tempo leva para melhorar?
R: Não achei uma resposta adequada
P: o esquema é conter os picos apenas, até o vírus se instalar gradavivamente correto?
R: Não achei uma resposta adequada

Outros:
P: O Brasil (especialmente o Sudeste) está no meio de um surto de dengue e sarampo. É de se esperar que com o pico de casos do Coronavírus (e consequente superlotação dos hospitais) tenhamos aumento na mortalidade dessas doenças (seja pela dificuldade de tratamento, seja pela diminuição de diagnósticos)? Será que esse estresse que o Covid-19 vai causar no nosso sistema de saúde não vai gerar um "efeito cascata" e agravar as doenças 'domésticas' que nós já temos?
R: Não achei uma resposta adequada
P: Alguém tem uma comparação do surto de corona com o de sarampo, no ano passado?
Que eu saiba o sarampo é muito mais letal e dura muito mais tempo no ambiente... Mas não deu esse alarde todo.
Queria saber se tem algum motivo além do corona estar espalhado pelo mundo.
R: Sarampo tem vacina
submitted by Leotmat to coronabr [link] [comments]


2020.01.23 14:48 MixJesteR [MEGA THREAD] GTA ONLINE GRIND

[MEGA THREAD] GTA ONLINE GRIND

MEGA THREAD

Primeiro eu vou explicar o que é este Mega Thread e sim depois vou falar sobre o conteúdo.

O Mega Thread vai ser uma apresentação informal sobre todo o tipo de GRIND e de como deve ser feito e gerido. Vai servir de ajuda para iniciantes, e também pode servir para aqueles que querem saber como farmar corretamente em algum tipo de negócio.
Vai ser apresentado abaixo o ranking de farm :
  • Office
  • Bunker
  • Nightclub
  • MC (Cocaine/Meth/Fake Cash/Weed/ Fake Documents)
  • Arcade - Casino Heist
  • Hangar
  • Terrorbyte
  • Agatha jobs
  • Facility
  • Heists
  • VIP Jobs (Sightsear & Headhunter)

VIP Jobs

Porque eu coloquei os VIP Jobs em primeiro lugar? Primeiramente é porque é a primeira coisa que se pode fazer antes de se ter tudo. Apesar do pouco dinheiro, não é necessariamente a pior coisa da lista. Porquê?

Existe uma política que fala " Tempo é dinheiro, se o dinheiro não for compensado com o tempo perdido. Nada valerá apena ".

Então, para quem está em LVL Baixo é bom começar pelos VIP Jobs. E mesmo que não seja LVL Baixo, é sempre ótimo iniciar o farm com VIP Jobs- Mas isso fica ao vosso critério.

Os VIP Jobs dão entre 20.500$ ~ 25.000$. Dependendo do tempo gasto na missão, se for muito tempo gasto- Mais dinheiro se ganha. Quanto menos tempo gasto- Menos dinheiro é ganho.
Mas não vale apena demorar mais 6 minutos por apenas 5.000$ ou mesmo 2.500$.
Inicialmente os LVL Baixos vão ganhar praticamente sempre 25.000$ porque vão demorar mais tempo a chegar aos pacotes ou a matar todos os alvos.

Ok agora chegamos à parte em que eu explico cada missão:

Sightsear: O SecurServ pediu para vocês pegarem 3 malas / pacotes espalhados pelo mapa, têm apenas 15 minutos para as pegarem todas. E não podem ser mortos por Players se não a parcela da malas perdida será distribuida para o perdedor e o dinheiro arrecadado pelas malas serão dadas para o vencedor (agressor).
Para LVL Baixos recomenda-se primeiro começar por esta missão, com carro. Posteriormente mais tarde com helicoptero (que será pegado durante o cooldown das missões).

Para LVL Altos é bom usar um helicoptro (Buzzard pelo menu do VIP), avião (Molotok), Opressor MK I e Opressor MK II.

[Cooldown: após terminar cada missão do VIP terá um cooldown de 5 minutos entre sí, que irá ser abulido se for feito consequentemente as missões.]
[Buzzard pelo menu do VIP: caso tenham comprado um Buzzard, ele vai estar disponivel no menu de veiculos do VIP. Vai estar FREE para spawnar ao vosso lado praticamente.]

Headhunter: O SercurServ pediu para vocês assassinarem 4 alvos protegidos por 3/4 seguranças cada. Não tem como fracassar esta missão se um player vos matar, mas tem como pagamento menor se não matarem todos os algos a tempo. O tempo é o mesmo do Sightsear*.*
Para LVL Baixo é recomendado que pegem um Buzzard no aeroporto do Trevor. E esperar pelo cooldown. Pós isso basta começar logo o Headhunter e matar os 4 alvos. Mas cuidado porque não é assim tão simples.
Existem 2 alvos moveis e 2 estáticos, os moveis têm praticamente AIM-BOT e só explodem entre 4~6 mísseis. Já os alvos estáticos os seus seguranças são praticamente blindados.
Vou mostrar um ranking de 3 veiculos que se dão bem nesta missão:
  • Buzzard (hard)
  • Hunter (easy)
  • MK II (fast and easy)

Basicamente este é o VIP Jobs. Sou obrigado a referir que caso que não se tenha um Office, terá que se ter pelo menos 50.000$ na conta bancária do player, para se poder ser um CEO/VIP/Magnata.

Office

O Office é literalmente o melhor negócio a ser feito, isto porque tem duas vertentes que se completam uma à outra, fora que ajuda mais no VIP Jobs.
Então a primeira coisa a ser comprada depois de tanto farm no VIP Jobs será o Office, mas não vamos logo celebrar- porque não vamos nem puder dar grind com apenas o Office, mesmo que ele ofereça um registo de CEO e snacks gratuitos, ele ainda precisa de pelo menos 2 warehouses, que terão de ser compradas.
Warehouses:
  • Export & Import Warehouse
  • Special Cargo Warehouse

A primeira Warehouse a ser comprada será a das Importações.

Export & Import Warehouse
Como funciona este negócio?
Será procurado um carro entre Low Value < Mid Value < High Value e o jogador terá que o ir buscar, todos os estragos do carro terão que ser pagos pelo mesmo. Pós a importação do carro será feita a sua venda, no caso a sua exportação. Que terá 3 opções, em que a ultima é a mais viável.
Terá que ser pago 20.000$ para receber 100.000$:
100.000$ - 20.000$ = 80.000$ lucro
O cooldown de exportação são de 10 minutos. E o cooldown de importação são de 5 minutos.

Para evitar muitas esperas, eu faço a importação-exportação-headhuntesightsear-importação-exportação...

Ranking top 3 de veiculos bons para este negócio:
  • Opressor MK2
  • Thruster
  • Super Car
Special Cargo Warehouse:
Este é bem simples, paga-se para receber o dobro do que foi pago. Ao seja de pagamos 500.000$ vamos ter como "lucro" 1.000.000$. Mas não está completamente certo.
Porque se formos ver quanto dinheiro realmente foi "adicionado" foram apenas 500.000$. Porquê? Os outros 500.000$ foram devolvidos assim dito.

Por isso é que em cada 18.000$ é bom fazer um sightsear ou um headhunter. Vamos fazer aqui umas contas.
Imaginando que uma warehouse pode dar 111 crates:
18.000$ x 111 = 1.998.000$
Apenas ao comprar as crates:
1.998.000 : 2 = 999.000$ lucro real
Ao fazer VIP Jobs durante este farm:
Vai ser feito aqui 2 testes, o menor lucro em VIP Jobs e o maior.
20.500$ - 18.000$ = 2.500$ (O que quer dizer que nós gastamos 18.000$ mas como lucro dessas caixas tivemos 36.000$ de lucro, mas na verdade foram 18.000$ de lucro real, mas com estes 2.500$ são 20.500$ de lucro.\*********************)*
2.500$ x 111 = 277.500$ adicionais *1
Maior lucro no VIP Jobs
25.000$ - 18.000$ = 7.000$
7.000$ x 111 = 777.000$ adicionais

Então agora vamos chegar a uma conclusão. O VIP Jobs neste caso já vai dar refill ao dinheiro perdido com mais um pouco, pode variar entre 2.500$ a 7.000$ de refill adicional.
O que quer dizer que o lucro final desta warehouse toda seria realmente 1.998.000$ com mais 277.500$ / 777.000$. O que daria de lucro totalizado de 2.275.500$/2.775.000$.

Para vender os produtos é bom que seja feito pelo menos com 1 amigo. Mas o recomendado semprer será um full CEO.

Ranking top 3 de veiculos bons para este negócio:
  • Thruster
  • Opressor MK 1
  • Akula/HunteBuzzard

Bunker

Agora vamos partir para os negócios que geralmente dão um ótimo dinheiro em longo prazo mas quere requerem algum esforço.

Ao comprar o Bunker vai ser mais ou menos como o Office, não serão mil maravilhas. O Bunker sem Upgrades não vale nada para falar a verdade. Nem que sejam comprados Supplies.

Para o bom funcionamento do Bunker serão precisos Equipamentos e Mão-de-obra. Com apenas Equipamentos já será o bastante para o Bunker farmar minimamente bem.
Agora para ter supplies é bem simples. Pagar 75.000$ para comprar os supplies.
Roubar supplies não é worth it.
Para cada compra de supplies serão 2:30h de espera para que eles se tornem todos em stock.
Por isso existir também o AFK Method. Que nada mais é do que comprar a segurança do BunkeMC e apenas olhar as cameras enquanto é farmado o dinheiro de cada negócio. Infelizmente serão pagos impostos.
Em alguns casos é bom ser feito este método.

Para vender os produtos é bom que seja feito com 3 amigo. Mas o recomendado semprer será um full CEO.

Nightclub

O Nightclub é um Support dentro do mundo do grind. Para existir o Nightclub tem de existir negócios antes. E esses negócios são:
  • Offices com Special Cargo Warehouse
  • Bunker
  • MC (todas as warehouses)

O Nightclub tem a sua própria receita diária dependendo da população do nightclub, e armazena gradualmente algum dinheiro dos outros negócios.

Existem Battle Cargos que podem adicionar +20.000$ no stock do Nightclub e no banco, ao seja são 40.000$ ao todo.

Quando a sua venda for realizada será feita num só único carro. Uma VAN que pode ser customizada na Garagem das Warehouses do Nightclub (que é FREE). Pode ser adicionada blindagem muito mais forte do que as demais e pode adicionado também uma minigun para auto-defesa.

No fim de todas as vendas será feita uma fatia para o Tony, que a sua quantia será maior quanto maior a venda.

A sua venda pode ser solo.

MC

No MC o seu grind é tecnicamente igual ao do Bunker com a junção das Warehouses do CEO. Tem que ser comprada uma Warehouse para cada negócio.

Basicamente é comprada a casa do MC e vão ter que ser compradas Warehouses para sim começar a lucrar com MC.

Mas antes de começar a falar sobre Warehouses... O MC tem algumas missões que podem variar o seu lucro final, mas têm um cooldown grande, o que não vale tanto apena. Geralmente essas missões são um pouco mais longas do que o normal.

Warehouses:
  • Cocaine
  • Meth
  • Weed
  • Fake Cash
  • Fake Documents

[ Cocaine/Meth/Weed/Fake Cash/Fake Documents ]
Este procedimento serve para todos os tipos de negócios do MC.

Ao ser comprada a Warehouse será necessário ser comprado os Equipamentos e os funcionários. E depois aí sim pode ser feito o grind.
Cada suprimento custa 75.000$ para cada Warehouse.

Para vender os produtos é bom que seja feito com 4 amigo.


Arcade - Casino Heist

O Casino Heist foi uma nova DLC que veio há cerca de 1 mês, e já veio a dar um impacto muito grande aos grinders.
Eu ainda vou editar muito sobre esta parte, porque ainda sou meio "novo" no que toca ao Casino Heist.
Para começar a fazer o Heist é preciso de uma nova propriedade- Arcade.
Que como o Nightclub gera uma receita diária, que não aumenta mais do que 5.000$.
Mas com a possibilidade de fazer o golpe pela primeira vez for Free e pós terminar, apenas pagar 25.000$ para ganhar mais dinheiro. É um ótimo farm.

Os melhores approaches são:
  • Stealth
  • Big Con

Existem 3 approaches: Stealth, Big Con e o Aggressive, cada um totalmente diferente do outro, mas que podem dar a um final comum, que seria a desgraça.
Para além dos approaches, também existem 3 tipos de values: cash, paintings e gold.

Cada value é melhor para cada approach, eu vou dizer quais são melhores para cada value:
  • Stealth ==> Painting + Gold
  • Big Con ==> Painting + Gold
  • Aggressive ==> Cash

É sempre melhor ser feito o Heist com 3 players para ter o valor total. Mas com 2 é muito possível tirar ao menos 97% do lucro.

Além do cofre príncipal, também existe um cofre diário, que é aberto na central do primeiro andar. Pode variar entre 13.000$ ~ 70.000$ (como se fosse o valor máximo do Nightclub).

Hangar

O Hangar é um dos piores negócios que temos no jogo, porque dá pouco dinheiro.

Existem 10 tipos de caixas no Hangar, todas oferecem o mesmo preço por player: 10.000$
E o valor total da venda é a soma de todas as caixas recebidas.

Agora que eu expliquei como funciona o sistema das caixas, eu vou explicar porque ele é o pior negócio para SOLO GRIND.
Solo Grind é quando um player quer farmar sem qualquer ajuda ou companhia de um player, o que por muitas vezes pode atrapalhar. Mas funciona muito bem.
O Hangar ele impede um bom solo grind porque cada caixa pode levar cerca de 10 minutos para ser recebida, e cada caixa vale 10.000$ por player. O que quer dizer que ao fim de 1 hora o player teria 60.000$ em caixas. Seria tempo perdido, porque com apenas VIP Jobs conseguiriamos o dobro possivelmente.

Então é super recomendado o grind colétivo. Um Full MC/CEO seria ótimo.
SOLO GRIND ==> 10.000$
GRIND COLÉTIVO ==> 40.000$

A sua venda pode variar muito, dês de Skylifts a aeronaves super pequenas. Normalmente todas se fazem muito bem, mas a mais secante de certeza são as dos Skylifts.

Terrorbyte

O Terrorbyte é um suporte para quase todos os negócios... Em parte. Para obter o Terrorbyte tem que se ter o Nightclub e no Terrorbyte também pode-se armazenar unicamente e exclusivamente a Opressor MK2.
No Terrorbyte a missão mais preciosa para Grind é a primeira missão da lista de missões do Terrorbyte. Que complementa o farm do VIP Jobs.
No Terrorbyte pode-se fazer essas missões, buscar supplies, comprar special cargo e importar carros.
As mais viáveis são a do Special Cargo e das Importações de carros.

Agatha Jobs

Os serviços da Agatha são super complementares, eles ajudam as pessoas que podem ter chips nas slots, como podem ajudar para quem não as pode ter, e ainda complementa os VIP Jobs com o Terrorbyte.

Para ter acesso aos seus serviços o player tem que ter a Penthouse.

O dinheiro recebido é variado, ela oferece uma pouca quantia de dinheiro mas sempre oferece a mesma quantia de chips = 5.000$.

Facility

A Facility são simplesmente 3 pequenos heists (pagos) para se fazer, que oferece um pouco mais de dinheiro do que os Normal Heists.
Não é necessariamente chamado de grind porque demora muito tempo para ganhar um ótimo dinheiro. E também é preciso de amigos para fazer este heist.
Para além que ele tem 3 etapas:
  • Preps
  • Setups
  • Heist
Geralmente para cada Setup tem que ser feito 2 preps, e para cada Heist varia entre 4 a 6 Setups.

Heists

Estes Heists hoje em dia não valem de muito, a não ser para se fazer o Master Mind, mas para isso precisa-se de, claro um High Value Apartment e 3 Amigos de confiança.

Normal mode:
Este é o modo em que quase todos fazem pela primeira vez, que é para conhecer melhor cada heist. O primeiro Heist - Fleeca, é fornecido gratuitamente pelo Lester. Já os restantes terão de ser pagos.
Em modo normal não é muito compensador. Mas para quem quer conhecer melhor os heists, e especialmente para quem é LVL baixo.

Elite mode:

Master Mind mode:
Este é o modo mais dificil de ser feito, sobretudo quando também querem fazer o Elite. Precisam de 3 amigos de confiança e que estejam preparados para não errar nada.
Tem que ser sempre com a mesma equipa e não podem falhar em nada.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

AFK Method

O método AFK é um dos mais conhecidos, pelo fato de o jogador não ter que fazer nada no jogo, e fazer alguma coisa mais útil ou urgente... ou mesmo dormir.
Este método necessita de Segurança ou no Bunker ou no MC.
O seguinte passo é comprar supplies para todas as warehouses que necessitam de supplies. E logo seguida entrar nas cameras de vigilância e simplesmente sair do PC.
Um AVISO importante!Geralmente depois de 2h30m provavelmente os supplies já devem ter acabado.

Por isso eu sugiro que quando todos os stocks tiverem quase no fim, fazer o AFK method. Isto pelo menos de Sextas para Sábados, ou Sábados para Domingos.

Import & Export Warehouse Tricks

High Value Cars
O que oferece mais dinheiro no I&E são os carros de High Value, e para os ter tem que se ter "sorte".
Errado, para os ter tem que haver um balanço entre Low, Mid e High Values. Então se houver mais Low do que os restantes vão ser apresentados os restantes Values.
Exemplo:
  • 8 Lows
  • 4 Mid
  • 1 High
A chance de sair High é bem maior do que os restantes Values, porém não impossiveis. Porque ainda não está balanceado.
Tem que haver 10 Lows, 10 Mid e 10 High para estar tudo cheio.
Então apenas tem que ser armazenado Low e Mid Values, e os High serem todos vendidos. De preferência a 100.000$ (80.000$).


TIPS Importing Cars
Para dar dicas para as missões de importações, eu tenho primeiro de apresentar todos os tipos de missões de importação que existe no jogo. Ao longo da explicação eu vou dando algumas dicas.
[Quando tiver tempo eu vou fazer uma análise sobre todas as missões e as suas probabilidades]

  • Normal
Apenas ir buscar o carro e levar para a warehouse.

  • Cargobob
Ir buscar um Cargobob (existem 2 localizações possíveis), levar o helicóptero para uma embarcação e com o gancho roubar o Carro, logo seguida irão spawnar 2 Buzzards que vão atrás do jogador. Existem 4 Waves de Buzzards.
Não vale apena destruir todos os buzzards, eles vão usar miniguns.
Aqui não existe muita ajuda, apenas levar o carro com a maior cautela de todas. Existe pessoas que dizem que voar muito alto pode evitar o acerto dos Buzzards.

  • Nasty Business
Esta missão é simples e existe um truque muito bom para evitar muitos danos.
O veículo está cercado de polícias, e não tem motorista, é pedido para ir roubar o carro.
O truque é bem simples, a primeira coisa a fazer é a mais óbvia- matar todos os polícias da zona, e depois de os matar é preciso acessar o telemóvel e ligar para o Lester rapidamente e pedir para remover a polícia. Isto já dentro do carro.

  • Tail Criminals To Location
Esta missão é um bocado estúpida, mas existe. É pedido para seguir um Kuruma até ao local do carro para ser importado. Quando o jogador chegar na zona vai ser preciso matar todos os membros da gang. E depois roubar o carro.
Esta missão tem um certo bug, os membros também viriam com Kurumas atrás do jogador, mas eles estão vazios no meio da rua. Por isso não existe car chaise.

  • Bomb
Esta missão é simples também, não existe segredo algum. Foi mandada a localização de um carro, igual ao modo Normal. Quando o jogador entra no carro uma bomba é armada, e para ser desarmada o SercurServ precisa fazer esse trabalho por nós, enquanto o jogador anda rapidamente com o carro para ele não explodir. Depois de 2:00m a bomba é desarmada.

  • Car In Motion
O carro para ser importado está a circular pelo mapa, e para o levar para a warehouse será preciso roubar o carro. Para isso é muito melhor que seja roubado quando está parado num semáforo. Pode haver estrelas de procurado.

  • Movie Set
--


https://preview.redd.it/qoebq8rb5xh41.png?width=579&format=png&auto=webp&s=61cbade791abed767ef254020fc7be89149ce221

FUTURAMENTE EU IREI DAR UMAS DICAS PARA ALGUMAS COISAS QUE REFERI
submitted by MixJesteR to tacanclan [link] [comments]


2020.01.20 17:31 Gab8786 A PIOR SOGRA DO MUNDO. Me livrei, mas doeu.

Considerações:
Primeiro: eu juro que isso não é fanfic. Eu vivi isso, acredite ou não.
Segundo: primeiro post que envio para o turma-feira, ah que emoção. Recentemente seus turma-feira's têm sido meu melhor passatempo, gratidão imensa por fazer meus dias melhores.
Terceiro: Minha vida amorosa é uma tragédia (não a nível de Shakespeare, mas é quase), te contarei apenas um dos casos. Se você gostar, quem sabe eu te conte mais outros...
Provavelmente você terá que fazer um vídeo inteiro sobre isso. Vamos lá.
(Os números e nomes aqui estão trocados. Não mostre isso no vídeo, ok editor?)
Aconteceu em 2014.
Conheci Micaela, a namorada com quem eu casaria se existissem condições. A gente combinava em tudo. Em todas as conversas tínhamos uma harmonia ímpar, gostávamos de estar juntos em todos os momentos, não tínhamos divergência de pensamentos políticos ideológicos (eu nem ligava pra isso na época), ela gostava de muitas coisas que eu gostava, se esforçava pra gostar de outras e eu fazia assim com ela também. Era muito bom estar junto dela.
Eu andava 3 km a pé pra ver ela e valia muito a pena(não existia Uber na minha cidade ainda, mas mesmo que existisse eu iria a pé pq eu n tinha grana, e ela gostava de mim mesmo assim, o que prova a veracidade dos sentimentos dela).
Ela frequentava minha casa algumas vezes, meus pais amaram ela, fez amizade com meus irmãos mais novos, ela jogava videogame comigo. Era um sonho.
Só havia um problema. Dona Gertrudes, a mãe dela. Ah, Dona GERTRUDES... Como posso te explicar, Luba... Imagina uma mulher religiosa ferrenha com uma moral do século 18. Eu não sabia disso até então. Pelo visto nem Micaela sabia que a mãe poderia chegar a um nível tão ABSURDO no final da história. Micaela apenas dizia que não podíamos subir pro quarto dela porque a casa estava bagunçada devido a uma reforma, e a mãe queria me conhecer primeiro (com o tempo), ou que ao menos eu assumisse namoro antes que eu pudesse frequentar lá em cima. Tudo bem? Tudo bem. Não sou acostumado com cerimônias, mas tudo bem.
Isso fazia com que tivéssemos que transar dentro do banheiro do prédio dela(Sim, nos primeiros dias já estávamos apaixonados a esse nível). Tinha uma câmera em frente à porta, mas a gente ligava o foda-se e entrava mesmo assim.
Aí você se pergunta: porque não na minha casa, no meu quarto? Bom, eu dividia meu quarto com meus irmãos. Nosso AP. Era pequeno, apenas 2 quartos. Seria constrangedor, muito embora, algumas vezes considerarmos essa possibilidade mantendo meus irmãos fora, mas era difícil.
Alem disso, dona GERTRUDES não deixava Micaela vir pra casa de um amigo sem mais nem menos. Ela não deixava eu entrar na casa dela, porque ela deixaria a filha entrar na casa dos outros?(Lógica dela). Então as vezes, quase nunca, ela ia escondido pra minha casa. Portanto, o banheiro, quase sempre, era nossa única opção (lembrando, eu não tinha grana pra Uber, imagina pra motel).
Chegou o momento que a gente se cansou disso (3 semanas depois) e resolvemos assumir logo esse namoro. Dona GERTRUDES quis marcar um jantar para perguntar quais as minhas intenções com a filha dela. SIM, não era o pai que queria perguntar isso, afinal ela era....... MÃE SOLTEIRA. SIIIIIIIIM, LUBA, MÃE SOLTEIRAAAAAAAAAA. Pegou raiva né? Saiba que não é nada perto do que vc vai sentir.
Então o dia do jantar chegou. A mãe veio com a famigerada pergunta e eu armei um discurso todo fofinho... "Eu quero amar e respeitar sua filha, quero conhecê-la a fundo, saber dos seus desejos e sonhos de vida, quero aprender com ela e ensinar tbm" pra que que eu disse "quero aprender com ela"? Ela já deu sua primeira patada: "Espera um pouco... Aprender com ela? Minha filha não é professora de ninguém não!"
Eu comecei a dar risada achando que era zueira, mas eu via cada vez mais que não. Que ela estava falando sério mesmo.
"Que absurdo, num relacionamento ninguém ensina nada a ninguém não, tem que estar todo mundo maduro o suficiente sabendo das coisas da vida, e o homem é quem toma a frente e quem sabe mais das coisas, porque é o chefe da família! Se você assume essa postura você é um bunda mole, e eu não quero minha filha casada com um bunda mole. CASADA, sim porque você sabe que um namoro é um preparativo para um casamento. ALIÁS, sexo, nananinanão. Só depois do casamento. Entendeu, senhor Matheus? Aliás... Quantos anos você tem mesmo?"
"19..."
"Pois é. Você que é mais jovem não deveria casar com uma pessoa 6 anos mais velha que você. (Sim, ela tinha 25 anos) Ela tem que se casar com um cara mais velho, com condições de formar uma família. Você trabalha? Você tem uma casa própria? Não. Então eu não acho que você deveria namorar minha filha, mas eu não vou estragar isso no dia da inauguração desse namoro né? Eu abençoo vocês mas com a condição de que você deve assumir essa responsabilidade."
E eu: "Tudo bem."
Sim, Luba eu deveria ter terminado alí, mas eu gostava tanto de Micaela, e eu achava aquilo ridículo demais para ser verdade, além disso eu não sou um cara de se jogar fora, eu não ia deixar que ela me considerasse um cara qualquer, eu fazia faculdade de Medicina na Federal, tinha educação de moral elevada de berço, iria provar meu valor, mas foi muita falta de amor próprio da minha parte. "Deve ser só pressão" eu pensava... Aham... Vai achando!
Os meses foram passando, e eu ainda não podia entrar no convívio da casa de Micaela, e ela ficava cada vez mais ausente, e me dizia por whatsapp que a mãe estava vigiando ela, não deixou mais ela sair de casa por um tempo, até que, quando chegou no sétimo mês, ela me revelou que Dona GERTRUDES não quer mais que ela se encontrasse comigo. E eu "WTF???"
Eu comecei a xingar a mãe dela dizendo ainda "como ela pode controlar tanto assim a filha de VINTE E CINCO ANOS? Micaela, você tem que tomar a independência para sua vida! Não deixe sua mãe te controlar assim! É muita imbecilidade da parte dela."
"Matheus eu ainda não me formei, não tenho condições de construir uma vida sozinha, e apesar de tudo ela é minha mãe, e eu não quero viver brigada com ela!"
"E eu, tudo bem... Como que a gente faz então? Se encontra escondido?"
"Parece ser a única opção né."
Assim fizemos por algumas vezes até o dia que eu fui para o prédio dela escondido. Ela estava fazendo um projeto da faculdade sozinha. Dona GERTRRRRRUUUDES viu pela câmera do prédio e desceu.......................
Eu nunca fui tão humilhado na minha vida.
"O QUE VOCE ESTA FAZENDO AQUI? Eu já não falei pra você não ver mais a minha filha? Você é um imprestável, você não é suficiente para minha filha, você é um qualquer e minha filha merece muito mais. Você é jovem e vai viver muita coisa ainda, vai conhecer muita gente e se relacionar. E se um dia trair minha filha? O que eu faço? Não importa a idade dela ela sempre será minha filha e se você for a causa do sofrimento dela eu n sei o que eu faço com você. Eu sei porque eu vivi isso. Ok? Além disso, você acha que eu não vi vocês dois pela câmera quando entravam no banheiro? Eu vi você falando mal de mim pelo whatsapp da minha filha, alem das fotos dela pelada! Eu fiquei tão chocada com isso que eu não permito mais vocês dois juntos, vagabundo. Saia daqui, vai para sua casa, eu já falei com o condomínio para não permitir mais sua entrada aqui. Não fale mais com minha filha. Está avisado.".
Enquanto isso Micaela morria de chorar pedindo para a mãe não fazer isso e ela estava irredutível. Não me permitiu falar nada. As duas subiram. E eu andei 3km de volta pra minha casa com o coração destruído. Achando que tudo tinha terminado.
Cinco dias depois me liga Micaela dizendo que disse a mãe que ia na casa da amiga Jéssica que morava perto de mim algumas quadras, mas estava vindo para minha casa para conversar comigo, dizendo que não iria desistir de mim.
Conversamos, e daqui a pouco DONA GERTRUDES liga para Micaela dizendo que estava na rua de Jéssica para buscar ela, porque ela havia esquecido de resolver algumas contas da casa no banco e ela queria a ajuda da filha. Depois ela deixava de novo lá na casa da amiga.
Micaela entrou em desespero. Saiu correndo daqui. Chegando no portão da minha casa estava lá a Dona GERTRUDEEEEEEEEES. Ela tinha ativado GPS no celular da filha e sabia de tudo.
Do carro ela falou aos berros e buzinas que chamaria a polícia e me acusar de sequestro se a filha não saísse e entrasse no carro. Eu tive que chamar meu pai que estava trabalhando porque eu não estava aguentando essa situação. Ele chegou e viu a situação insustentável. Falou com Micaela e levou até o portão. Meu pai não falou nada. Chegando em casa ele falou comigo o quão sortudo eu era por eu ter me livrado da convivência com esse ser desprezível como sogra.
Nunca mais vi Micaela.
Fiquei numa depressão profunda durante meses. Pensando no que me aconteceu.
Meu amor foi arrancado de mim sem dó nem piedade. Como se eu a agarrasse e tivessem cortado meus braços para que eu a soltasse.
Depois disso tive alguns namoros que também não passaram dos 7 meses. Hoje estou solteiro. Sem ninguém para eu dizer "te amo". Ao menos não de uma maneira tão sincera quanto eu dizia a Micaela.
Fim.
submitted by Gab8786 to u/Gab8786 [link] [comments]


2020.01.13 10:45 MarkFirstS2 MINHA HISTÓRIA COM O JOGO MINIMUNDOS.

MINHA HISTÓRIA COM O JOGO MINIMUNDOS.
Este é o meu primeiro texto no reddit, e gostaria muito de contar a minha história com esse jogo. A ideia veio ontem, quando estranhamento sonhei com MINIMUNDOS.

Bem, eu joguei Minimundos de 2012 (início) até 2018 (encerramento), mas abandonei o jogo várias vezes nesse período. Então vou separar a história em momentos: 2012,2014, 2016, 2017 e 2018.

Sem dúvidas foi um dos jogos mais importantes da minha vida, gastei um bom tempo nele e tenho muitas saudades.

Espero que vocês gostem <3


2012/2013 - Foi nesse ano que comecei a minha história com esse jogo maravilhoso, sim, bem no início. Pra ser mais exato, em Dezembro. Eu tinha em torno de 10 anos quando vi um anúncio do jogo no CLICK JOGOS, e claro, eu cliquei.
Criei uma conta chamada MONSTRO AUGUSTO.
Essa época foi bem interessante, foi o período em que o jogo mais bombou. Lembro de passar horas do meu dia jogando.
Minha rotina era: Sair da escola, ficar com minha mãe no trabalho, jogar minimundos no computador do trabalho, voltar pra casa e jogar minimundos no meu computador. Lembro que a internet só era boa nas escadas do meu quarto, então, eu colocava o nootbok lá e ficava sentado na escada a madrugada toda jogando.
Lembro que o primeiro raro que eu me apaixonei foi o "Arial, o monstrinho", ele custava em torno de 1700 minimoedas, e claro, eu não fazia ideia do que era isso. Descobri um tempo depois que MINIMOEDAS era um tipo de cash dentro do jogo, que poderia ser adquirido com dinheiro de verdade.

https://preview.redd.it/omnieu5reia41.png?width=199&format=png&auto=webp&s=7e5392595b05033222358f4c643b1d6e4cc1e9e4
Naquela época eu ainda não entendia nada de LUCRAR e tive que comprar moedas com dinheiro real, gastei todo o crédito do celular da minha mãe.
MAAAS... eu consegui o raro.
Nesse ano eu também comprei o meu primeiro raro na loja: A formiguinha operária marrom.

https://preview.redd.it/rk10ox47fia41.jpg?width=253&format=pjpg&auto=webp&s=e3b41910af374ab8ff5804d7b6a274a0a7463a4c
No começo de 2013 eu troquei o meu "Arial, o monstrinho" por uma capa maravilhosa no mercado de trocas... CAPA ROYAL.
E um tempo depois eu troquei essa mesma capa por um traje doutor sangrento. Naquela época eu ainda era muito noob, então, olhei o reembolso do raro, e era 25 minimoedas (raro da roleta)... eu fiquei muito triste (pois não entendia nada do jogo) e... REEMBOLSEI O TRAJE.
Depois disso eu parei por um tempo, mas voltei a jogar no mesmo ano.

Já na metade de 2013 a história foi outra. Eu comecei a ficar mais no MERCADO DE TROCAS e descobri a MAGNÍFICA HABILIDADE DE LUCRAR. Eu passava praticamente o dia todo lucrando e lucrando. O mais engraçado é que o máximo que consegui de minimoedas nessa época foi em torno de 30k. Sei que não parece muito, mas naquela época era uma boa grana.
Até que aconteceu a primeira merda no jogo... EU FUI BANIDO!
Bem, até hoje eu não sei ao certo o motivo desse banimento, mas acredito que seja por causa de comportamento impróprio... SIM, EU FALA MUITO PALAVRÃO.
Eu claramente fiquei muito triste e abandonei o jogo pela primeira vez, fiquei algum tempo sem jogar... ATÉ 2014.



2014 -
FOTO DE 2014
Bem, mesmo tendo abandonado o jogo eu entrava de vez em quando pra saber das novidades (em outra conta chamada MARK FIRTS). Lá pra março (meu aniversário) eu ganhei 50 reais da minha avó. Eu fiquei um bom tempo imaginando onde poderia gastar "todo esse dinheiro"; até que lembrei do Minimundos.
Resolvi dar outra chance, gastei os 50 reais em MiniMoedas; lembro que o primeiro RARO que comprei com esse dinheiro foi o "KHAN".
Khan
Certo, eu oficialmente tinha voltado a jogar MINIMUNDOS.

Com o tempo fui aprendendo a lucrar cada vez mais. Lá pra Junho eu já tinha recuperado meus 30k.
E agora que a história fica triste denovo...
Com esses 30k que juntei, comprei um raro que achava muito lindo: O CENTAURO.
Centauro
A felicidade durou pouco...
Um tempo depois que comprei o CENTAURO, apareceu um jogador no mercado de trocas oferecendo um "CAPONE" em troca.
Eu desconfiei que fosse um TROLL mas fui até o terminal.
O cara realmente colocou um capone, então, coloquei meu centauro e aceitei. Para a minha surpresa... ele também.
Eu fiquei muito feliz e fui logo abrir o inventário, mas... eu não achava o CAPONE.
Sim, ele tinha usado HACK no terminal. Quando me dei conta disso comecei a chorar muito.
Um dia depois resolvi mandar um EMAIL PRA EQUIPE MINIMUNDOS relatando o acontecido. Felizmente, depois de um tempo eles resolveram o problema e eu recuperei meu Centauro.
Nesse ano eu também me lembro de ter comprado 3 pacotes: PACOTE DRAGÃO DRAKE, PACOTE VIP REALEZA E UM PACOTE que vinha as máscaras do wolverine e da mística.
Certo, eu segui lucrando muito no jogo quando aconteceu algo muito bom. Alguém no mercado de trocas ofereceu um "Controle de games deluxe" em troca do meu gato caramelo + capa Royal. Eu certamente desconfiei, pois associei com o caso do Centauro.
Mas deu tudo certo e lucrei uns 30k.

FOTO DO DIA:
https://preview.redd.it/njvj718vlia41.png?width=1023&format=png&auto=webp&s=f2f18e316d4c24302c55a62f4a17e0811ee9cf94


Certo, eu continuei lucrando até setembro, quando consegui 80k de MiniMoedas, naquela época era bastante coisa.
Comprei vários raros que queria... CUPIDO, FOX, ROYAL, ETC...
Eu passava o dia todo no mercado e tenho várias histórias sobre lucros grandes, mas claro, só vou contar as principais, caso contrário isso seria um livro.
E a história fica triste novamente...
Eu comprei um Juan Perigo com meus 80k.
Juan
10 Minutos depois fui fazer outra troca, e precisava de 25 moedas pra fechar. Então... eu reembolsei um item da roleta no inventário.
Eu fui muito burro e cliquei no Juan.
Sim, eu reembolsei o Juan Perigo e perdi 80k.

FOTO:
Foto do reembolso

Certo, eu abandonei o Minimundos novamente, e dessa vez foi por um longo tempo...



• 2016/2017/2018 - Certo, mesmo tendo abandonado o jogo eu entrava de vez em quando. Até que uma vez, lá pra dezembro de 2016 no natal, um cara no mercado de trocas me deu um RARO e disse: FELIZ NATAL.
O raro era CHOW CHOW o cachorro, e a partir dele eu LUCREI MUITO... MUITO MESMO! (Lembrando que eu recomecei do zero e nunca mais gastei dinheiro no jogo).
https://preview.redd.it/pwati30fkia41.png?width=695&format=png&auto=webp&s=0d3e6c054b9080111ea96e0026f60f604f59b91d
Eu lucrei até 100k em menos de 1 MÊS, e também conheci várias pessoas que se tornaram amigos.

Até que outra coisa boa me aconteceu, uma coincidência muito grande.
Uma pessoa no mercado de trocas ofereceu um controle DELUXE (MAIS UMA VEZ O CONTROLE DELUXE NA HISTÓRIA) em troca da minha cartola dourada (que tinha pago 1k)
Ok... depois de um tempo eu troquei o controle por 200k + traje doutor sangrento.
E troquei o traje por itens que davam 80k.
https://preview.redd.it/vyfm6ix1lia41.png?width=633&format=png&auto=webp&s=8fd7c0e4e7b2ab876ad9e75fee6408e9d0c26630
Sim, eu lucrei 279k.

Depois disso poucas coisas aconteceram; sim eu aprendi a lucrar mais ainda. Em 2018 eu já estava com uns 700k.
Você já deve ter percebido que eu só ficava no MERCADO DE TROCAS KKKKj, mas eu também ficava bastante na PRAÇA CENTRAL e na casa de amigos.
Houve uma época que eu até criei uma LOJA DE RAROS.
https://preview.redd.it/k7f8g1k1mia41.png?width=1009&format=png&auto=webp&s=d1707557d466a778d4aa052e1ca33618e9a09cf7

Lá pra Abril de 2018 eu fiquei sabendo sobre o fechamento do jogo, e claro... fiquei extremamente triste, não pelos raros que iria perder, mas pelas amizades principalmente.

https://preview.redd.it/h7rxj91jmia41.png?width=771&format=png&auto=webp&s=d0dd79c9432c87648eb38ad5affa901c81ae4c6d


E em 8 de Abril o Jogo fechou. O jogo que tinha jogado por toda minha infância :(


Bem, escrevi esse texto bem rápido. Tentei contar as principais histórias que passei jogando MINIMUNDOS. Espero que um dia ele volte.

Obrigado MINIMUNDOS.

https://preview.redd.it/2s9xgs6cmia41.png?width=522&format=png&auto=webp&s=4c14494741893bd0a7eaaaad5c6fdad870676153
submitted by MarkFirstS2 to MiniMundos [link] [comments]


2019.12.28 05:46 altovaliriano GRRM deixou a peteca cair? [Parte 1]

Link: https://towerofthehand.com/blog/2014/01/12-did-grrm-drop-ball/index.html
Título original: Did George R. R. Martin drop the ball?

Desde a publicação de A Dança dos Dragões em 2011, tem havido uma grande discussão entre os fãs sobre se o último livro e seu antecessor imediato, O Festim dos Corvos (2005) fazem jus ao padrão inegavelmente alto dos três primeiros livros: A Guerra dos Tronos (1996), A Fúria dos Reis (1998) e A Tormenta de Espadas (2000). Falando sobre isso aqui estão Stefan Sasse (The Nerdstream Era) e Remy Verhoeve (Stormsongs).
Stefan Sasse: A Dança dos Dragões já foi publicado há algum tempo agora. Enquanto muitas pessoas ficaram decepcionadas inicialmente com a falta de dragões dançando, as reações diferiram mais tarde. Muitos encontraram razões para gostar do livro (e, por extensão, de O Festim dos Corvos), enquanto outros transformaram sua decepção em ressentimento. Você tem uma teoria de por que A Dança dos Dragões dividiu a comunidade de uma maneira que O Festim dos Corvos (que mostra estrutura semelhante) não dividiu?
Remy Verhoeve : Essa é uma boa pergunta e não tenho certeza se concordo com sua pressuposição de que O Festim dos Corvos não dividiu os leitores de Martin. Não conheço ninguém que, por diferentes motivos, não tenha ficado desapontado com Festim. E eu conheço muitas pessoas que leram estes livros (muitos deles sob minha recomendação, e sempre tenho que me desculpar quando chegam ao livro quatro).
No entanto, posso estar errado. Então, para o bem da pergunta, vamos ver por que A Dança dos Dragões é mais polarizante do que O Festim dos Corvos. Poderia ter algo a ver com as expectativas. As pessoas estavam esperando há doze anos (mais ou menos) para ver o que aconteceu com Tyrion Lannister, Jon Snow e Daenerys Targaryen, então houve alguma pressão sobre esses três arcos da história para serem satisfatórios. E para muitas pessoas, isso não aconteceu.
Há pouco ou nenhum movimento nos capítulos de Daenerys; Os capítulos de Jon podem ser considerados lentos, com pouco a acontecer até o final, e o personagem de Tyrion é radicalmente alterado – o que faz sentido depois do que ele passou em A Tormenta de Espadas – a ponto de as pessoas não gostarem tanto dele quanto antes.
Eu também acredito que muitos fãs consideraram Festim um remendo grosseiro e estavam confiantes de que o próximo livro compensaria isso. Mas quando, na opinião deles, isso não aconteceu, eles podem ter se tornado ainda mais críticos com o quinto livro. Pessoalmente, acho que a escrita em Dança está muito abaixo do nível de qualidade dos três primeiros livros, mas também é pior do que Festim.
Onde os primeiros livros parecem tão vitais e pulsantes, Dança parece uma obrigação, como se o entusiasmo do escritor pela história tivesse desaparecido. Eu estava lendo um capítulo do Fedor [Theon] outro dia e me surpreendeu o quão longo e cheio de descrições grande parte do diálogo se tornou, enquanto que os primeiros livros nos deram um diálogo curto e ágil que parecia real. Quando Roose Bolton explica a Fedor, por fim, o passado de sua família, parece mais uma lição do que algo que o Roose de A Tormenta de Espadas realmente diria; tanto a caracterização quanto o bom diálogo desaparecem neste exemplo em particular.
Em conclusão, minha teoria (se é que podemos chamar assim) é que existem vários fatores: as expectativas acumuladas que levam a um desapontamento, a qualidade da imersão na escrita e os três arcos principais que não estão sendo cumpridos. O enredo em si é bom, na minha opinião, ainda que prolongado, pesado e extenso, mas a apresentação é que está falhando.
Outro exemplo: em Dança, há um capítulo de Tyrion em que ele passa o tempo a bordo de uma coca, entediado. Em A Guerra dos Tronos , Catelyn Stark viajou pelo sul de Westeros entre capítulos – entendemos que ela passou um tempo viajando, mas não precisávamos ler sobre o tédio que a tomava enquanto ela (devagar e sempre) se movia em direção a Ponta Tempestade. O ritmo está estranho. Enquanto que os livros anteriores eram tão intricadamente tecidos, Dança perde todo o compasso e quase mata a história por inteiro.
Stefan Sasse : Embora seja verdade que o ritmo narrativo diminui no Festimdança (veja aqui por que o chamamos de "Festimdança"), acho que essa foi uma decisão muito mais consciente do que você imagina. A história se torna muito mais complexa nesses dois livros, e Martin lança muitas bases, cujos frutos ainda não vimos.
Das informações que obtemos no diálogo pesadamente expositivo destes livros, muitas e mais preenchem lacunas que nos permitem explorar e conectar os pontos de coisas que foram introduzidas em A Guerra dos Tronos. Além disso, os grandes desenvolvimentos da trama já estão mais ou menos esgotados. Westeros está exaurida pela guerra e, então, a poeira assenta. O ritmo naturalmente precisa diminuir. Se Martin tivesse forçado a barra, precisaria basicamente ignorar as premissas sobre as quais o mundo foi construído – especialmente o realismo. Você não pode continuar lutando o tempo todo, colocando tudo em jogo. Torna-se-ia bobo muito em breve, como provam inúmeras obras que cometem esse mesmo erro.
Então eu acho que, em si, o ritmo não deveria ser uma grande preocupação tão logo Os Ventos do Inverno seja lançado. Você pensa que, uma vez que tenhamos a obra completa em mãos, talvez você enxergue Festimdança com mais carinho? Pois não teremos mais que nos basear na expectativas irreais desenvolvidas sobre um livro que está sendo continuamente adiado?
Remy Verhoeve : A decisão [de fazer os livros do jeito que são] pode ser deliberada, mas não tenho certeza de que funcione. Quero deixar claro que, quando estamos falando de ritmo narrativo, não estou ansioso por ação, ou confrontos incrivelmente épicos, ou que põem tudo em jogo o tempo todo.
De fato, muitos dos meus momentos favoritos nos três primeiros livros não são necessariamente calcados em situações de altos riscos (embora quase todas as cenas ecoem as lutas maiores, principalmente porque os personagens envolvidos participam da luta maior). Veja, uma cena lindamente escrita como a que Ned Stark e Robert Baratheon estão nas criptas de Winterfell, ou a que Sansa está construindo um castelo na neve, ou a que Catelyn está contando a Ned a notícia da morte de Jon Arryn, são cenas "calmas", mas elas são bem escritas e não duram muito. Elas são atmosféricas e têm uma função narrativa.
Quanto à complexidade, a história sempre foi complexa, e uma das coisas que tornou os três primeiros livros tão excelentes foi como Martin, embora contando uma narrativa complexa, conseguiu manter tudo bem organizado. As histórias construídas umas sobre as outras e a logística da guerra foram tratadas de forma realista.
Eventos e consequências parecem fluir naturalmente dentro de uma narrativa natural(mente longa) de contendas e conflitos. Eu sinto que os livros se tornaram mais inchados do que complexos depois de A Tormenta de Espadas. Adicionar um personagem como, digamos, Quentyn Martell, não torna a história mais complexa, é apenas mais uma história empilhada por cima das outras, com pouca conexão com as demais histórias que estão sendo contadas (exceto pelo link com a trama de Doran Martell).
O mesmo vale para Jovem Griff e Griff. Eles parecem que foram enxertados, não são uma parte natural do fluxo. Com personagens como Jaime, Brienne e Theon não se tem essa impressão porque os personagens estão mais naturalmente ligados ao enredo.
Talvez seja difícil para mim aceitar personagens inteiramente novos a esta altura da história. Mas, sempre que penso nisso, vejo quão poucos personagens novos existem em relação aos antigos. Portanto, em vez de obter uma história mais complexa, em que novas adições iluminam o leitor ou ajudam a mover a trama, nós apenas recebemos personagens adicionais quando claramente existem mais personagens do que suficiente. Além do que, eles levam muitas páginas para cumprir seu propósito.
E isso não é ritmo narrativo, mas encheção de linguiça. "A vida a bordo do Selaesori Qhoran não era nada além de tediosa, Tyrion descobrira". Se é tediosa, eu diria que um autor deveria passa-la rapidamente. Em vez disso, ele decide explicar o quão tediosa é a jornada para Tyrion.
Talvez Martin esteja estabelecendo muitas bases. Ele é obrigado, claro. No entanto, ele fez o mesmo em A Guerra dos Tronos e isso não impediu que fosse uma ótima leitura. Os momentos expositivos foram mais esparsos e os momentos tediosos foram poucos. Talvez tenhamos algumas resoluções fantásticas para algumas das sementes que Martin plantou em Dança - mas essas resoluções estarão em romances futuros e, portanto, Dança permanecerá defeituosa. Não será uma leitura melhor por causa de algo que acontecerá mais adiante na história. Tem que ser, ao mesmo tempo, autônomo e parte de uma série.
É por isso que acho que não enxergarei Festimdança com carinho mais tarde. Não importa que tipo de escalada Tyrion (e nós, através de seus olhos desiguais) possa experimentar, continuará sendo um obstáculo ler sua jornada pelos mares em direção a Meereen. Nesse caso, acho que provavelmente pularei Dança ao invés de relê-lo.
Não tenho certeza se concordo com o termo “expectativas irreais”. Bem, entendo por que você sugere que eu poderia estar esperando demais já que tive que aguardar tanto tempo pelo próximo livro. Entretanto, na verdade, Dança simplesmente não é tão bom assim. Festim foi muito melhor na maioria dos aspectos e nem contou com os "Três Protagonistas". Há diversas coisas em Dança que o tornam menos interessante do que os livros anteriores.
Você admite que o diálogo é mais recheado de exposição, então existe um ponto em que podemos concordar. Há também a tendência perturbadora de aumento da perversidade, o foco pesado em Essos – que não é o que prometem as primeiras três mil páginas do livro (sempre foi sobre Westeros, até os capítulos de Dany) –, personagens que mudam de personalidade, as excessivamente longas listas de inventários, redação pouco clara, diversos erros de edição incomuns, desfechos irregulares, etc., etc. Ainda assim, não me importarei se você puder me convencer de que Dança é um bom livro, porque gostaria que fosse bom.
Concluindo, não me importo tanto com o ritmo, mas que o ritmo mais lento não é interessante. Além disso, não foi uma escolha muito sábia cortar o livro no ponto em que eles o fizeram. Ok, eu vou calar a boca agora.
Stefan Sasse : Eu tenho vários pontos a fazer sobre isso. Quero enfrentá-los um por um para manter a conversa focada. Portanto, mantenha as críticas em mente. Na verdade, espero convencê-lo de que o Festimdança é melhor do que você pensa.
Então, a primeira questão que quero abordar é a expositividade. Embora eu certamente concorde com você que o diálogo oferece muito mais exposição do que anteriormente, quero enfatizar que a história sempre foi rica em exposição. Apenas relemos os primeiros livros com mais frequência do que os últimos, o que tende a obscurecer um pouco as coisas.
Pense em A Guerra dos Tronos. Illyrio Mopatis e Jorah Mormont são essencialmente exposições em duas pernas da cultura Essosi e Dothraki, respectivamente. Temos uma chuva de informação [infodump] realmente grande na história de Daenerys, especialmente na primeira metade de seus capítulos, um fato que você também notou em sua décima releitura, salvo engano.
Ou pense no Torneio da Mão. Há tanta exposição acontecendo, com uma lista realmente tediosa de nomes, nomes e nomes. Somente com o conhecimento adquirido em romances posteriores toda essa exposição se torna outra coisa, e conseguimos sorrir, gemer e tremer de medo e excitação quando reconhecemos esses personagens e agora sabemos do destino deles. Infelizmente, ainda não sabemos o destino de muitos dos personagens de Festimdança. Até sabermos, a exposição é apenas isso: exposição. Mas acho que é altamente provável que, em algum livro posterior, a recompensa seja tão grande quanto a que temos ao reler Anguy ganhando a competição de arquearia.
Um excelente exemplo disso é todo o pano de fundo que temos sobre Volantis e as cidades de Rhoyne nos capítulos de Tyrion. A lei da Arma de Chekov afirma que você não introduz uma cidade onde 4/5 da população são escravos e tem um personagem principal com a reputação de libertar escravos sem que os escravos da cidade sejam libertados. Mas se não obtivéssemos essas informações, o evento (que eu espero ver em Os Ventos do Inverno ) cairia por terra, porque não teríamos conhecimento sobre o lugar. A essa altura, já sabemos muito sobre ele (a propósito, mais sobre qualquer outra Cidade Livre – exceto Bravos). Nada disso pode ser por acaso.
Ou pense no diálogo com Roose Bolton. Um comentarista do The Nerdstream Era, em nossa série "Supreme Court of Westeros", apresentou a brilhante noção de que Roose Bolton essencialmente usa Theon como um peão em seu jogo de poder com Ramsay. É bastante possível que a intenção de Roose seja enxotar Ramsay em favor de "Walder Rosa" – seu filho legítimo com Walda Frey. Mas é claro que ele não pode deixar Ramsay saber disso. Contar toda a história da família para Theon e repetidamente enfatizar que ele não tem intenção de prejudicar as perspectivas de Ramsay seria uma jogada inteligente. Contar a história é o que garante que Theon entenda tudo e se deixe levar pelo truque de "Roose confia essas informações a mim e é honesto".
Para resumir: no que concerne à exposição, tenho certeza de que, depois que lermos Os Ventos do Inverno e Um Sonho da Primavera e relermos Festimdança, certamente teremos o mesmo sorriso nos lábios que agora temos com relação à exposição nos três primeiros romances.
Remy Verhoeve: Essa é uma maneira interessante de enxergar as coisas. E eu posso entender nossa concordância até certo ponto. Há uma diferença gritante, Entretanto. E é simplesmente que há muito mais exposição - até demais - no Festimdança em comparação com os primeiros livros.
Seu exemplo de Anguy, o Arqueiro, é uma boa vitrine para isso. Ouvimos sobre Anguy vencer a competição de arco e flecha, e é só isso. Não há muito tempo de exposição nos dizendo quem é esse cara, de onde ele veio e assim por diante. Então, quando ele aparecer mais tarde, 75% dos leitores não se lembrarão dele, mas os 25% restantes poderão apreciar o personagem reaparecendo.
Em contraste, a exposição no Volantis é pesada e massiva. Não apenas através dos olhos de Tyrion, mas também de Quentyn. Há um capítulo de Quentyn que não é quase nada além de exposição. É mais um diário de viagem do que uma história, com Quentyn olhando para todas as coisas estranhas que passam nas ruas (perdoe-me se não era Volantis, mas outra cidade – contudo, o sentido continua o mesmo).
O exemplo mais óbvio de exposição exagerada deve ser o capítulo de Jon Snow no qual temos a maior lista de todos os tempos sobre o que a Patrulha da Noite guarda nas despensas. A balança está desequilibrada; exposição demais (também chamada de "construção do mundo" por muitos) mata a história (para mim, pelo menos).
Agora, o mais complicado é que eu sempre amei a construção de mundo de Martin e houve um tempo em que eu só queria mais e mais. Porém, um pequeno problema nisto tudo é que, principalmente em Dança, Martin concentra quase toda sua energia em uma exposição sobre Essos, o que para mim e para muitos outros leitores parece errado, pois a história foi ambientada, e era sobre, Westeros. Estamos tão avançados na narrativa que isso quase soa como um recomeço em um continente muito menos interessante. Obviamente, isso também está relacionado à longa espera por Daenerys chegar a Westeros.
Talvez seja por isso que sinto que Festim é mais interessante que Dança – em Festim, pelo menos, estamos em Westeros, o lugar que sempre importou, o lugar pelo qual tantos morreram. Duvido que Martin possa nos fazer se importar assim com Essos. Mas é claro que não posso saber o quão importante Essos será até que a história esteja completa.
Quanto ao diálogo de Roose com Theon/Fedor, não duvido que tenha uma razão para estar lá, mas ainda é tratado de maneira pesada e não parece o Roose frio, calculista e quieto que conhecemos antes. Um homem cujas ações falavam mais alto do que as palavras. Parece que ele está fora do personagem nessa sequência em particular. Mas, como você disse, talvez ele esteja jogando um jogo que eu simplesmente não compreendi.
Muito poderia ser cortado do Festimdança, sem grandes perdas, para se tivesse uma narrativa mais rápida. Ao ler o romance, há um limite de quanto precisamos saber sobre o cenário. É melhor deixar essas coisas para livros complementares e coisas semelhantes. Se Tolkien tivesse parado em todas as ruínas que a Irmandade encontrou para explicar exatamente o que ela havia sido...
Os primeiros livros de Gelo e Fogo não demoraram muito para chegar aos pontos importantes da trama. Com Festimdança, fica parecendo que Martin queria uma determinada estrutura, e isso implicava em preencher capítulos para espalhar esses pontos. Um bom exemplo disso é o capítulo solitário de Jaime em Dança, onde o único evento importante ocorre nas duas últimas frases. O restante do capítulo é preenchido até as bordas com exposição sobre pequenas casas nobres nas Terras Fluviais e arredores. Mais uma vez, é provável que a exposição exista para desenvolvimentos de enredos futuros, mas o texto em si não me envolve como leitor da mesma forma que fazia antes.

[Continua na parte 2]
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2019.12.28 01:21 Cyberthinker Alguém aí pensa em estudar ou já estudou no exterior? Leia isto antes de estudar na Itália (ou Europa)!

Comecei a estudar engenharia na Itália e gostaria de compartilhar uma análise bem detalhada sobre o ensino. Vou focalizar nos pontos negativos porque, apesar de ter pesquisado muito antes de tomar a decisão de estudar fora, essas informações são difíceis de encontrar e eu gostaria que alguém tivesse me informado antes pra eu não levar tanto choque!
Deixo claro que isso se restringe à minha experiência e observações. Fica difícil saber até que ponto podemos generalizar (seja no Brasil ou Itália), embora já ouvi falar que outros países na Europa compartilham de algumas destas características. Por isso seria interessante ver opiniões de outras pessoas que estudaram no exterior e tbm relatos de experiências em universidades brasileiras.
Ensino tradicional, aprendizagem passiva, poucas preocupações didático-pedagógigas - O que a maioria dos professores italianos fazem é apenas ler slides ou virar as costas para os alunos, encher o quadro de teoria e ficar falando sozinhos. As aulas são quase 100% centradas no professor, há pouca ou nenhuma interação (algumas aulas são centenas de alunos em um auditório, mas mesmo em aulas com menos alunos, o formato é o mesmo). O único trabalho do aluno durante a aula é ouvir e anotar. Os alunos precisam ser independentes.
Mas o maior problema nem é esse, a maioria dos professores da universidade não possuem nenhuma didática pra apresentar o conteúdo. Quadro bagunçado, letra horrível… não se preocupam com a oratória, dicção, ou falam muito baixo ou muito rápido, gaguejam, têm tiques (uma professora coloca um “ÈH?” alto e agudo a cada 5 palavras). Podem achar que estou exagerando, mas é surreal mesmo. São doutores com imenso conhecimento, mas não necessariamente conseguem ensinar de forma acessível ou agradável.
Professores brasileiros costumam ser mais didáticos. Valorizem! - É verdade que o Brasil não é um exemplo para o mundo na educação. Mas acho que isso se deve a imensas desigualdades sociais e falta de investimento. Os professores brasileiros têm boas ideias. Pelo menos na minha experiência, desde o pré-escolar até a universidade, as lições costumavam ser interativas, centradas nos alunos, fazíamos diferentes atividades, pesquisas, discussões, os professores se preocupam se realmente estamos aprendendo (isso que estudei em escola pública)… não vi absolutamente nada disso na Itália.
Basta observarmos no Youtube aulas de professores brasileiros: didática perfeita, tornam o conteúdo atrativo, contextualizam com a realidade, falam a língua do aluno, explicam claramente e com calma como se fôssemos retardados😂😂😂. Comparem com aulas de professores italianos: explicações muito teóricas e rebuscadas, aulas sérias e chatas… algumas até escapam disso, mas são poucas. Talvez um ponto negativo seja que os professores brasileiros têm uma atitude paternalista e nos tornamos muito dependentes.
Aprendizagem centrada na teoria, decoreba e pouca contextualização com a realidade - O ensino italiano valoriza muito a velha decoreba. Os exames testam muito mais a capacidade de memorização do que a capacidade de resolver problemas reais e ter pensamento crítico (justo o contrário do que se costuma pregar no Brasil). Na Itália, é preciso decorar muita coisa pra passar em qualquer exame (a dica é usar um aplicativo de memorização como Anki cards).
Um dos piores índices de desistência na Europa - Alguns podem argumentar: as aulas são sérias porque eles levam a educação a sério. Não é bem assim. MENOS DA METADE dos alunos matriculados (45,3%) chegam a se formar, isso em toda a Itália! E dos que chegam ao final, só 25% conseguem terminar a graduação no tempo previsto (o programa geralmente são 3 anos em período integral), a maioria precisa de 5 anos. Se for fazer o mestrado (programa de 2 anos adicionais) somam na verdade 8 anos em média (o que deveria totalizar 5). Pra União Europeia, a Itália é um dos piores países nesse sentido.
Mas alguns italianos conseguem se orgulhar dizendo que o ensino é apenas seletivo e complexo, e na concepção deles isso é sinônimo de qualidade.
http://www.repubblica.it/scuola/2014/03/21/news/fuga_universita-81559940/
Discriminação pela idade - existe um limite de idade socialmente aceitável pra estudar na Itália (ao menos pelo que observo). Para muitos deles, se uma pessoa ainda está na faculdade depois dos 30, é sinal de que não quer trabalhar ou é incompetente e não conseguiu terminar os estudos antes. Estou iniciando engenharia depois dos 30, acho que sou o aluno mais velho entre centenas de toda a graduação. No meu círculo social e na própria faculdade (até mesmo por parte de professores) ouvi vários comentários negativos: COM A SUA IDADE E AINDA ESTUDANDO? ACHA QUE VAI ENCONTRAR TRABALHO DEPOIS? QUANTOS ANOS VOCÊ VAI TER QUANDO SE FORMAR? ACHA QUE VAI CONSEGUIR APRENDER TÃO BEM NA SUA IDADE? Pouquíssimas pessoas me disseram: PARABÉNS! Existe pouco apoio, pra eles é quase motivo de vergonha (eles olham pra vc como aquele aluno mais velho e repetente no fundamental do qual todas as crianças têm medo😂), então não é à toa que poucos decidem se matricular depois dos 30.
É um grande choque cultural, já que no Brasil a decisão de estudar depois dos 30 geralmente é recebida com apoio. Vi estatísticas de que 1 a cada 3 universitários no Brasil tem mais de 30 anos, contra 1 a cada 10 na Itália. Ao menos na minha faculdade no Brasil, havia universitários até da terceira idade.
PONTOS POSITIVOS
- A maioria dos cursos são de acesso livre, ou seja, não tem teste de seleção (com exceção à área da saúde e alguns outros cursos). Basicamente basta se matricular e frequentar as aulas. Contudo, precisa passar nas provas (muitos desistem aí). Há um teste inicial que avalia se o aluno tem condições de acompanhar o curso, mas não tem caráter excludente. Caso não passe, poderá fazer aulas extras de base. Os alunos podem repetir as provas quantas vezes quiserem de acordo com o calendário.
- Muito barato. Os valores para a graduação giram em torno de 2-3 mil euros anuais, mas cada um paga de acordo com a renda, o que pode ser bem barato.
- Se vc se dedicar muito em período integral, pode terminar a graduação (triennale) em 3 anos (apesar de serem poucos os que conseguem, e a estatística para estrangeiros é ainda mais baixa).
- A frequência não é obrigatória pra maioria dos cursos.
- Dizem que a qualidade da pós-graduação é bem melhor: menos alunos, professores mais atenciosos.
- Os diplomas das universidades italianas são muito valorizados.
Vale a pena? Conversei com uma coordenadora da universidade (que por acaso é brasileira), ela me disse que realmente todos esses problemas existem. Eu estava prestes a desistir, mas ela me aconselhou a fazer um esforço porque um diploma italiano continua tendo um grande valor. Quem pensa em estudar na Itália, pelo fácil acesso, custo e diploma, pode sim valer a pena... apenas saibam onde estão pisando e se preparem muito bem psicologicamente. As pessoas ouvem “Europa, Itália...” e acham que tudo é melhor e um mar de rosas… não é.
Enfim… como foi a experiência de vocês no ensino brasileiro? Pensam em estudar ou já estudaram no exterior? Se puderem compartilhar planos ou experiências... obrigado!
submitted by Cyberthinker to brasil [link] [comments]


2019.12.05 05:31 guiademudancas Dicas de Mudanças e Organização

📷

Documentos necessários para a compra de imóvel usado

4 de dezembro de 2019
Existe uma série de documentos necessários para a compra de
Ler mais📷

Antes de alugar um imóvel pela primeira vez leia estas 5 dicas!

3 de dezembro de 2019
Existe uma série de cuidados que você precisa ter antes
Ler mais📷

Como embalar líquidos em 4 dicas rápidas

2 de dezembro de 2019
Embora possa parecer complexo, o processo de como embalar líquidos
Ler mais📷

10 melhores bairros de Campinas para morar

1 de dezembro de 2019
Embora sejam próximos da capital, os 10 melhores bairros de
Ler mais📷

Construir aos poucos ou financiar?

30 de novembro de 2019
É normal ao pensar na aquisição da casa própria ficar
Ler mais📷

Onde comprar caixas de papelão em Osasco

29 de novembro de 2019
Embalagens são essenciais para qualquer mudança. Afinal, elas facilitam o
Ler mais📷

10 melhores bairros de Fortaleza para morar

28 de novembro de 2019
Se eventualmente você se perguntou quais são os melhores bairros
Ler mais📷

10 maiores cidades da Bahia em população

28 de novembro de 2019
Todos os anos o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
Ler mais📷

Quanto custa transportar um veículo na cegonha?

27 de novembro de 2019
Vai se mudar ou comprou um carro em outro estado?
Ler mais📷

Como embalar sua encomenda em 3 passos

27 de novembro de 2019
Se você trabalha com e-commerce já deve saber que existe
Ler mais📷

Como escolher uma casa para morar em 4 passos

26 de novembro de 2019
Qual é a primeira coisa que vem na sua cabeça
Ler mais📷

Como economizar dinheiro em casa em 7 dicas

26 de novembro de 2019
Você já deve imaginar que a melhor forma de economizar
Ler mais📷

Como transportar quadros em avião em 4 passos

25 de novembro de 2019
Transportar quadros em avião é mais fácil do que parece.
Ler mais📷

Decoração de casa simples e barata em 15 dicas

24 de novembro de 2019
Não é preciso gastar muito para ter um lar doce
Ler mais📷

Decoração de quarto de bebê: 15 dicas fofas e fáceis

22 de novembro de 2019
Está esperando a chegada do seu tão sonhado filho(a)? Então,
Ler mais📷

Caixas de papelão para mudança na Zona Leste de SP

22 de novembro de 2019
Ainda não sabe onde comprar suas caixas de papelão para
Ler mais📷

Decoração de quarto de casal: 15 dicas simples

19 de novembro de 2019
Montar a decoração de quarto de casal não precisa ser
Ler mais📷

Caixa de papelão para mudança na Zona Norte de SP

19 de novembro de 2019
Que tal descobrir onde adquirir sua caixa de papelão para
Ler mais📷

10 melhores bairros de Florianópolis para morar

19 de novembro de 2019
Por ser uma ilha, as praias são a marca registrada
Ler mais📷

Decoração de quarto feminino: 15 dicas simples

19 de novembro de 2019
A decoração de quarto feminino tem tantas opções que é
Ler mais📷

10 melhores bairros de Salvador

15 de novembro de 2019
Não é só de praia que vivem os 10 melhores
Ler mais📷

Como transportar a mesa de mármore em 3 dicas

15 de novembro de 2019
Embora seja resistente, é preciso saber a maneira certa de
Ler mais📷

Caixas de papelão para mudança na Zona Oeste de SP

14 de novembro de 2019
Já está planejando se mudar? Então, chegou a hora de
Ler mais📷

Quanto custa uma mudança interestadual?

14 de novembro de 2019
Vamos falar aqui um pouco sobre o preço médio de uma Mudança
Ler mais📷

Decoração para sala pequena: 15 dicas fáceis

14 de novembro de 2019
Ao contrário do que muitos pensam a decoração para sala
Ler mais📷

10 melhores bairros do Rio de Janeiro (RJ)

12 de novembro de 2019
Quais são os 10 melhores bairros do Rio de Janeiro
Ler mais📷

Caixas de papelão para mudança na Zona Sul de SP

12 de novembro de 2019
Vai se mudar? Então, já confere aqui onde comprar caixas
Ler mais📷

As 10 maiores cidades do Paraná

11 de novembro de 2019
O Brasil é um país extenso e cheio de locais
Ler mais
submitted by guiademudancas to u/guiademudancas [link] [comments]


2019.11.06 20:13 simonekama Tendências Sobre Propaganda Para Bar, Descubra Nesse Artigo

Tendências Sobre Propaganda Para Bar, Descubra Nesse Artigo
casas noturnas necessitam de uma boa divulgação. Com a Rush Eventos você tem acesso a melhor propaganda para bar do mercado.
Por que às vezes, é necessário dizer “não”? E como isso pode impactar na sua evolução para conseguir ampliar as vendas com sucesso? Hoje, você vai ver não apenas casas noturnas, como também um poderoso marketing restaurante que eu vou recomendar para matar seu problema de custar caro!
E se você não correr atrás de conhecimento sobre conseguir ampliar as vendas, dificilmente vai se livrar de custar caro que acaba afetando qualquer local para comemorar aniversário.
Persistência é a chave para baladas e bares top alcançar conseguir ampliar as vendas
propaganda para bar é incrível. Se você faz parte desse mundo de baladas e bares top, prepare-se para viver os melhores dias de sua vida. Siga baladas e bares top profissionais, que agem com seriedade. Você não irá se arrepender de aprender e seguir os casas noturnas.

O Estudo De Caso De Propaganda Para Bar Que Você Nunca Esquecerá

Aumento da exposição de marca

Quando o objetivo é tornar a marca mais conhecida e atrair mais oportunidades de oportunidades de negócio para si.
Inicialmente, esse objetivo diz respeito ao conhecimento da marca em si e não à tomada de decisão propriamente dita.

Garantir fixação de marca

Por meio da melhora de reputação e da fixação de marca é possível conseguir melhores resultados para o negócio.
Além disso, a fixação de marca favorece o posicionamento de mercado — como líder de nicho, opção com melhor custo/benefício, empresa mais responsável e assim por diante.
Quanto mais forte é a marca, mais facilmente ela é lembrada pelos clientes e melhor é a conversão, inclusive orgânica.

Você Nasceu Para Trabalhar Com Propaganda Para Bar? Participe Do Quizz!

Você sabia que para saber bem propaganda para bar? Não é preciso absorver tantas e tantas casas noturnas e marketing restaurante sobre isso? Veja este simples artigo com dicas simples.
Então, esses casas noturnas que vou compartilhar com você, são os mais importantes, para você que acompanha assuntos sobre conseguir ampliar as vendas.

Análise de recursos e limitações

Dependendo da quantidade de recursos disponíveis, a propaganda pode ser mais elaborada ou mais simples.
Se não há recursos para grandes produções de vídeos, por exemplo, será necessário pensar em formas que sejam baratas e igualmente eficazes.
Possíveis limitações, inclusive éticas, também devem ser consideradas. Propagandas de cervejas e cigarro, por exemplo, não podem usar elementos que remetam ou atraiam o público infantil.

Definição da mensagem

Depois de avaliar tudo isso é possível estabelecer qual é a mensagem a ser transmitida, qual será o seu tom e, principalmente, quais elementos estarão envolvidos.
Essa é a parte da concepção que transforma todas as outras etapas em algo tangível e direcionado para o público.

Como ampliar a propaganda de bar com a Rush Eventos.

Idéias para atrair clientes para o bar através da Rush Eventos. Uma empresa que tem conhecimento e experiência para trazer mais clientes para o seu negócio. Oferecemos serviços para seu estabelecimento ampliar a captação de aniversários, público em geral, criação de artes e desenvolvimento de sites profissionais para bares.

Atraia clientes para o bar através de aniversários.

Você deve saber que uma das coisas que mais traz clientes para sua casa, é ter muitos aniversários marcados e é aí que a Rush Eventos entra, nós temos um sistema que traz muito mais aniversariantes do mês pro seu estabelecimento.

E como funciona esse sistema?

Vou citar como exemplo, a região da Grande São Paulo. Possuímos o pacote Starter que atinge média de 25 mil aniversariantes do mês, a ação é feita na sua própria página do facebook e você administra os resultados.
E se você quer ter mais de aniversários, temos o sistema Plus que atinge média de 50 mil aniversariantes do mês ou o sistema Ultra para média de 60 mil aniversariantes e de quebra, você ganha COMO BRINDE, dicas com as duas condições que mais atraem aniversários para bares.
Nós fazemos tudo por você. Seleção de público, criação de artes, filtro somente para aniversariantes do mês e sistema interno Mastercomm para otimizar em até 75% os resultados.
Confira nosso artigo completo sobre marketing digital para restaurante.
Promoter de festa com a Rush Eventos.

https://preview.redd.it/jlamrp0384x31.jpg?width=400&format=pjpg&auto=webp&s=615ea0c8bcfae64da40fc9d6a53980d724c298df
submitted by simonekama to u/simonekama [link] [comments]