Devo ter uma namorada

Terminar com a namorada e possivelmente acabar com um noivado alheio

2020.10.24 09:00 jimboFromLA Terminar com a namorada e possivelmente acabar com um noivado alheio

O caso é o seguinte: conheci uma garota há 3 meses e logo começamos a namorar. Ela mora sozinha e com frequência realiza rituais religiosos em sua casa. Até aí tudo bem, o que me incomoda é que sempre vai só um amigo dela e mais 1 ou duas pessoas (homens). Já fui em alguns encontros, mas como sou ateu acabei não curtindo muito. Esse amigo dela está noivo, porém, a sua companheira não sabe desses encontros frequentes (1x por semana no minimo).
A noiva do cara já foi junto visitar ela, e segundo ela, nesse dia ela se vestiu "como uma crente" (roupas compridas), pra que a noiva não ficasse com ciúmes. Detalhe: depois dessa visita, a mulher proibiu elE de continuar fazendo os rituais com ela e tbm excluiu minha namorada das redes sociais.
Um dia eu fui na casa dela enquanto esse amigo estava lá, e ela estava com uma roupa curta (já tivemos conversas sobre isso, ela comentou que já teve relacionamentos abusivos em que os caras não deixavam ela usar biquini, e eu falei que não vejo problema, mas que esse caso especifico me incomoda, pelo fato dos dois estarem sozinhos).
Dei uma stalkeada no perfil dele, e tem uma foto de aniversário de namoro em que a legenda é sobre sinceridade no relacionamento, poder dormir com o celular desbloqueado e a consciência tranquila por não ter nada a esconder. Só que eles combinam pelo Whatsapp os encontros, então suponho que ele apague as mensagens e seja o maior hipócrita.
Já conversei com ela sobre isso. E ela disse que isso é um "processo dele", que ela não tem nada a ver. Pelo que vejo é sempre ela que chama ele para ir lá. Parece que nem liga se isso me incomoda ou não. Eles se conhecem há pelo menos 1 ano, e eu cheguei agora na vida dela. Por isso não me sinto a vontade em "proibir" ela de ver ele. Já falei que me chateia o fato de estar omitindo coisas de alguém.
Não quero parecer o ciumento possessivo, mas isso tá me levando a fazer coisas bizarras, como passar na frente da casa dela um dia que ele foi lá, ver as cortinas fechadas e pensar mil coisas.
RESUMO: minha namorada se encontra com frequência com um amigo que está noivo de uma mulher. Ela mora sozinha e eles se veem lá. Ele esconde esses encontros da noiva, pois ela proibiu ele disso.
Devo terminar e contar de alguma forma pra noiva dele? Pq se eu fosse ela, gostaria que me contassem. Tenho fotos deles dois e prints de conversa que ela diz que ele esteve lá. Já sugeri que façamos algum rolê juntos, pra que todos se conheçam, mas ficou só na palavra do cara.
Nao sou uma pessoa rancorosa, mas vejo essa minha ação como uma vingança contra a hipocrisia religiosa de ambos, que sempre falam sobre verdade, honestidade, amor, etc.
Me desculpem se me alonguei no texto, escrevi na correria e não consegui comprimir as ideias. Me ajudem nessa, redditers. Um bejo e obrigado a quem leu até aqui.
Edit: correção concordâncias e acréscimo de informações.
submitted by jimboFromLA to desabafos [link] [comments]


2020.10.20 02:19 chemi_nx assediada a tempos, mas ainda com trauma

marquei assim por poder conter gatilho, e peço perdão pelo texto grande
é uma merda, simplesmente uma bela merda, lembrar do momento em que foi assediada por um parente em que confiava, e ainda ter que o ver quando há festas de família
isso aconteceu a certo tempo, mas céus, eu ainda me lembro de praticamente todos os detalhes. o pior é que ele tem sindrome de Dawn, então quando eu costumo olhar para pessoas com o mesmo problema, eu me sinto insegura - só quero me esconder. não é culpa deles, e eu fico muito feliz quando essas pessoas conquistam algo, mas eu me lembro dele, e eu odeio lembrar dele
um dia tava olhando pelo tik tok e vi um cara com a síndrome. vídeo educativo, até curti, mas quase chorei por conta do bendito trauma que me aterroriza até hoje
bom, eu acho que devo contar como foi, né? bem, estava lá eu e meu pai na casa da mãe do meu assediador, junto com tios, tias, primos e avós. minha mãe não estava, tinha ficado em casa
meu pai foi dormir porque tava cansado e eu fiquei brincando com a galera lá. ele veio e me chamou pra um quarto separado e, como confiava nele, fui. ele me deitou na cama de casal de barriga pra cima e ficou acariciando meu lábio inferior. eu conseguia sentir a respiração dele no meu pescoço, estava tensa. minha tia avó até entrou no quarto, e ele pulou pra enrolar ela e tirar ela do quarto. eu não consegui falar nada, apenas fiquei parada, tentando segurar a mão dela. quando ela foi embora, ele me levou pra cama de novo e continuou o que tava fazendo
depois, o maldito me pediu um abraço. como tava com medo o dei, e eu senti algo.... duro, no short dele. afastei meus quadris pra longe dele no mesmo instante, mas continuei no abraço. depois ele só me deixou ir - eu estava fraca e acuada. devia ter em torno de 8 ou 9.
indo para casa, meu pai perguntou se ele tinha feito algo comigo. disse que sim, e expliquei a situação. ele disse que ia conversar com ele, e que veria o que poderia fazer. ainda assim, não sei se ele sofreu alguma penalização dos pais ou um puxão de orelha, mas sei que não foi preso
anos se passaram e eu não consigo mais abraçar quase ninguém direito. só abraço de lado e, quando abraço de frente, apenas meu braços ficam na pessoa, o resto do meu corpo fica longe. não gosto de abraços longos por conta disso, apenas os dou em minha mãe, mas até com ela tenho meu limite
eu tive que ir nessas estúpidas reuniões de família quase toda semana por 3 anos. tive que agir como se nada tivesse acontecido perto dele (ainda tenho), o abraçando e sorrindo. mais anos se passam e eu contei o ocorrido pra mãe dele um dia. não sei o que ela fez com ele, SE ela fez algo, mas, de novo, não foi preso
a idade dele era próxima da do meu irmão, que devia ter 27. ou seja, o cara já era um adulto COM NAMORADA para realizar ato sexuais com, mas resolveu pegar a priminha dele, inocente, que confiava nele, e destruir a vida dela
ele também é padrinho de uma prima minha mais nova, e eu só tenho nojo dele. ah, se eu pudesse me afastar dele, eu iria. nos meus quinze anos, eu NÃO vou dançar com ele, nem a pau, nem que a família me odeie. eu não vou me submeter a isso. também adoraria não ter que o convidar, mas acho impossivel, então vou só o rejeitar na hora da dança
eu me odeio por isso, pra ser sincera. tenho total noção de que não tenho culpa, mas eu queria ter pedido pra minha tia avó pra ter ficado, queria ter indo embora quando tive a chance, mas não, fui fraca e fiquei calada. vi minha oportunidade escorrer como água pelos meus dedos. gostaria muito de me socar e socar ele
enfim, fiz esse post aqui pra não pertubar minhas amigas com esse tópico. ninguém precisa ler ou responder, mas se acontecer, agradeço pela atenção. bebam água, comam bem e se cuidem. vlw, flw
submitted by chemi_nx to desabafos [link] [comments]


2020.10.17 23:20 notallive eu sou o melhor amigo e isso é doloroso.

muito-longo-n-li: melhores amigos são cornos por tabela?
Vou contar duas histórias sobre minhas melhores amigas, vamos chama-las de Dannete e Chandelle. conheço ambas a 4 anos, mas primeiro, Dannete: em 2016, lá de volta no ensino médio, eu vi uma moça solitária no intervalo, e sem motivo algum eu ofereci um abraço a ela, que aceitou. Desde então, Dannete e eu nos consideramos melhores amigos, e nesses anos ela foi certamente uma das razões de eu não ter me enforcado ou algo assim. mas sempre fui afim de Dannete, tão cremoso, sabe? e ela sempre soube, fiz questão de que soubesse. mas eu sou o melhor amigo e só, e de acordo com ela, sou mais do que qualquer namorado ou namorada que ela possa ter. ok, deixa eu sentar aqui na minha zona de conforto e contar sobre Chandelle agora. Conheci Chandelle antes mesmo de conhecer Dannete, a gente pegava o ônibus junto e tal. Só me aproximei mesmo dela esse ano, agora que ela mora a duas ruas de mim. quase todo dia ela aparece em casa, joga no meu videogame, fuma da minha maconha, faz carinho na minha gata, e, é, com essa situação toda eu me peguei gostando dela. sempre que eu tentava algo ela retribuía, mas sempre que eu perguntava se ela queria algo ou se queria mais, ela jogava a decisão pra mim. Afirmei que gostava dela, e soltei a maldita sentença "se tu acha que eu não deveria mais te beijar nem tentar nada romantico contigo me avisa, que eu desisto." Chandelle prosseguiu com um discurso sobre como eu tenho que lutar pelo que quero e que n posso aceitar menos do que mereço e devo mergulhar de cabeça nos riscos e tal e tal. ok. no caminho pra casa dela, antes de me dar um abraço e se despedir, ela olhou nos meus olhos e disse pra que eu desistisse, pois era o melhor amigo dela, e isso era mais do que qualquer namorado poderia ser. ok. ser o melhor amigo é doloroso.
n quis ofender ngm
submitted by notallive to desabafos [link] [comments]


2020.10.17 20:43 Diogofg99 Situação financeira - 21 anos

Boas, tenho 21 anos e vivo com os meus pais.
Estou no 1º ano do mestrado em Data Science e espero, quando começar a trabalhar em 2021, receber algo que ronde os 1000€ líquidos/mês. Além disso, tenho um partime em que, no mínimo, receberei 500€ mensais, que podem atingir 1000€ ou até 1500€ dependendo de imensos fatores que não vale a pena descrever. Mas fiquemos pelo cenário pessimista dos 500€.
Vivo com os meus pais e assim tenciono continuar até aos 25 anos - 2024. Ou seja, cerca de 4 anos com rendimento liquido mensal de 1500€.
Agora começa a conversa séria: (Os valores são por alto e tendo por base um cenário pessimista).
- Aponto para uma poupança de 1000€/mês, gastando então 500€. A poupança será muito provavelmente maior que 1000€, mas estão inerentes viagens e férias que seriam poupanças extra, bem como um ETF onde planeio investir mensalmente cerca de 150€. Por isso, fiquemos pelos 1000€ de poupança mensal.
- Valores redondos, estaremos a falar de 45 meses (que variam consoante trabalhe e faça a tese de mestrado, ou apenas a tese e sem trabalhar). Ou seja, uma poupança de 45 000€.
- Estou numa relação estável há quase 3 anos com uma rapariga que conheço há 10 anos. Salvo algum percalço, assim será os próximos largos anos. Nota: A minha namorada tem igualmente boas perspetivas de carreira.
- Quando sair de casa dos meus pais, tenciono comprar uma casa mediana - T2 até 150 000€ -, viver com a minha namorada e, uns anos mais tarde e com filhos em perspetiva, mudarmo-nos para uma casa maior - T3 com um valor naturalmente mais alto. O grande objetivo será conseguir comprar a segunda casa sem ter de vender a primeira, e assim começar depois a arrenda-la com uma renda que cubra o seu custo e dê para a acabar de pagar (the usual stuff).
- O dinheiro que vou poupando irei investir em obrigações ou certificados. Mas como estamos a falar de pouca rentabilidade, não vou incluir nas estimativas, para também balançar com alguma despesa que não esteja a contar.
As minhas questões existenciais são:
- Eu sei que não estou a contabilizar despesas como comprar um carro ( que nunca será acima de 10 000€ para já), acidentes ou pandemias. Que mais despesas poderei não estar a prever?
- Será realista esta ideia de manter e alugar a primeira casa quando comprar a segunda?
- Devo tentar comprar a casa sozinho e não enquanto casal?
- Que outras alternativas de investimento posso procurar sem ser uma casa?
- Devo reduzir a estimativa do montante poupado mensalmente para uma perspetiva mais realista?
Obrigado pela atenção!

TL;DR: O que fazer com uma poupança de 45 000€ ao sair de casa dos pais
submitted by Diogofg99 to literaciafinanceira [link] [comments]


2020.10.16 15:46 eshiihihi Eu apenas sirvo para alívio cômico.

Esse ano eu encontrei muitas pessoas interessantes, fiz muitos amigos e também tive alguns rolos. Entrando mais no assunto desses "rolos", no início do ano eu conheci um garoto (vamos chamá-lo de "A"), ele era muito legal, gostava de quase tudo que eu gostava e conversávamos todo dia, até que ele começou a flertar comigo e eu me apaixonei. Em junho, ele se afastou de mim, mas eu ainda tentei conversar com ele e em Julho acabei me confessando, ele disse que não sentia nada por mim. Depois rolou várias tretas que eu tive com ele, e em uma dessas ele disse que só era "romântico" comigo porque outras garotas fizeram o mesmo com ele. E desde então, eu não falo com ele desde o início de Agosto porque eu escolhi (eu tinha crises de ansiedade só por lembrar dele). Nesse meio tempo que eu falava com esse garoto, eu conheci uma garota (vamos chamar de "M") muito legal, e lá por junho, que foi quando eu 'tava afastado do "A". Nós começamos a flertar e paramos em Agosto, até que em Setembro, eu e a "M" voltamos a conversar e flertar. Ela dizia coisas como que estava apaixonada, etc, e ela dizia coisas do tipo até ontem. Nós estávamos planejando nos encontrar e até nos beijar e fazer várias coisas juntos. Até que hoje, às 1 da manhã, ela me mandou uma mensagem dizendo que 'tava conversando com outra garota muito legal e que ela estava correspondendo seus sentimentos, também disse que iria parar de falar coisas românticas comigo por conta disso. Eu acabei de ler essa mensagem dela e eu tô quebrado. A gente tinha planejado várias coisas e ela até dizia que estava apaixonada. O mesmo pro "A", nós tínhamos planejados várias coisas e no final foi tudo por água abaixo. Por conta dessas duas coisas, eu sinto que sou apenas alívio cômico, alguém que só está lá para trazer uma felicidade momentânea e depois ser trocado, ser manipulado basicamente. Eu já 'tava super mal porque eu me afastei do "A", eu me senti usado e estou me sentindo assim de novo. É muito ruim você viver algo incrível por meses ou até anos com alguém e no final essa pessoa só largar tudo sem nem explicar o porquê. Eu sinto que só sou alguém pra saciar o fogo no cu que esses adolescentes têm até eles encontrarem alguém muito melhor, sem pensar duas vezes. Mas eu também sinto que isso seja o karma. Em 2018 eu fui muito cuzão com minhas ex-namoradas, terminei com elas sem motivo, apenas coisas bobas e cheguei a xingar elas sem motivo nenhum, por causa disso eu sinto que mereci toda essa merda que passei, meus amigos dizem que não, mas eu acho que sim. Enfim, agora eu tô muito mal e isso não vai passar tão rápido.
Edit.: Pra não ter que criar dois posts, eu vou desabafar mais aqui mesmo. Eu me sinto vazio, eu não sinto nenhum sentimento praticamente. Não sinto paixão, não sinto felicidade e nem tristeza, parece que só tem um lugar escuro dentro de mim, um buraco que ao invés de ser o meu coração, se tornou um lugar oco. Eu postei aqui também que me assumi trans pra minha mãe e a reação dela foi muito boa, mas eu não estou tão feliz, eu tô bem, mas eu tô neutro, mesmo que dizer que sou trans fosse algo que me libertasse totalmente, eu ainda me sinto vazio ou com algo que devo soltar pra fora e não consigo porque não sei o que é a coisa que devo soltar pra fora. A cada dia mais eu me sinto pior por existir. Eu tenho decepcionado meus amigos, tenho os deixado sozinhos mesmo eu não querendo. Muitas vezes eu acho que estou sendo presente e divertido, mas na verdade eu estou sendo irritante e nem um pouco presente. Sinto que eu estou desmanchando com o tempo, que eu não sirvo pra nada, só apareço ali e ninguém percebe. Eu acho que tô morrendo aos poucos, o mais engraçado é que um amigo meu me disse a mesma coisa. Sei lá, eu acho que tô pensando demais nisso e no final é algo muito simples. Eu penso demais e isso é uma merda, eu não sei controlar meus pensamentos ou me acostumar com isso. Minha mente é tão desengonçada com tudo, eu começo a imaginar situações que todos me deixam e isso me deixa paranóico. Eu escondo dos meus amigos que penso nessas coisas porque não quero preocupá-los (se vão se preocupar, né). Eu só sinto que quanto mais eu me disponho a ficar com alguém, mais parece que essa pessoa me abandona, é assim desde 2017.
submitted by eshiihihi to desabafos [link] [comments]


2020.10.07 01:34 Enscie Estou cansado! Tirar a vida parece uma boa!

Até novembro do ano passado eu tinha um estagio que eu me sentia em casa, tinha uma namorada legal, e tinha que só me esforçar mais na faculdade! Apesar de ter ejaculação precoce minha ex, me ajudava nisso e me incentivava a crescer, eu que ficava triste e falando de desistir... O sexo se tornou um peso por eu sempre estar insatisfeito, ela passou que eu não gostava mais, mas sabe eu estava me acostumando a ter esse problema e com isso ele foi melhorando... Mas a falta de ser capaz de opinar pelo medo de perder ela, a falta de dinheiro e eu querendo ir morar com ela, na verdade queria pedir ela em casamento! E tal... Depois mas não tin ha dinhenheior pro anel! Troquei de emprego pra algo que me sugava 10horas ppor dia por 1300 conto, não suportei um mes! Saiu, sofri por ter largado o estagio e tal, foda fiquei sem trabalho do fim de dezembro até 9 de março! MAs entrei em um outro e sai pela pandemia, demetido!
No dia 26 de fevereiro desse ano ela me deixo, no dia 27 meu gato morreu, nodia 25/03/2020 fui demetido por causa da pan, elouqueci e minha familia não fez nada! Foi meu primeiro namoro!
Eu comecei a ir na igreja, ouvir culto, orar e buscar 24 horas por dia, pedindo pela restauração do meu namoro, eu orava ate de madrugada, mãe nem pai nem ninguém me parou de buscar! Ouvi coisas que não devia na igreja! Que afetou meu psicológico ansioso, louco pra querer minha ex de volta! Sofri horrores cada culto eu achava que teria minha resposta! Não estou falando contra, eu sei que estava doente emocionalmente!
Hoje em dia só me da tristeza do tempo que perdi e ninguém me aconselhou, me sinto despreparado pra vida por ter sido criado prezo e ainda assim não ter liberdade de sair ou chegar a hora que eu bem entendo em casa sem precisar dizer nada a ninguém. Tenho 24 anos, ainda sinto falta da ex depois de 7 meses, ela deve ter me largado por essa falta de protagonismo na vida e pra completar tem dias que eu acordo normal, querendo fazer as coisas e tem dias que eu acordo sem motivo pra fazer nada e esses tem sido cada vez mais recorrentes! Eu queria tomar um remedia pra me animar, já tomei paroxetina, queria de volta mas tenho medo dos danos no futuro de antidepressivo! Eu sou muito inconstante, dias to normal e outro como um fundo do poço! E tenho tido vários planos e pensamentos de morte ou de sumir! Tá complicado! Eu fui semana passa no psicólogo, essa semana tem de novo eu tenho medo de falar essas coisa pra ela e ela surtar e largar eu, ou dizer que eu não devo tomar remédio, mas eu quero pois já tomei e sei que ajuda a ter essa estabilidade, mesmo que não e algo que te faz 100 bem, mas não quero danos no futuro!
Pra completar eu tive um sonho do dia 17/09/2020 sobre eu aceitar uma vaga de emprego e sofrer uma doença por estress! Falei com mãe que ia recusar, ela disse "Conheço gente que vive de sonho e hoje passa fome, pois não enfrentou a realidade achando que ia acontecer", ou vi ela e aceitei o emprego! no dia 21 eu fui trabalhar! Resultado, não parava de pensar que ia morrer ou ter a doença lá, nove dias depois pedi pra sair no dia 30/09/2020. Me sinto um lixo! Sem trabalho, quero largar a facudade pq nao tenho motivação pra estudar e tal! E hoje acordei cheio de raivai e rancor e coisas me deixando angustiando e ontem estava bem e meu plano era estudar hoje, e hoje não consigo! Por isso queria um remedio que me estabilizasse saca! E hoje até pensei em morrer então vim pra ca antes de apagar meu whatsappp!

QUeria morar só por causa das loucurar que já ouvi do meu pai sobre essa casa, que alguém vai entrar e nos matar, que estão vigiando a gente pq a casa ta na justiça e o fim da ppicada! E muita treta essa vida!
submitted by Enscie to desabafos [link] [comments]


2020.10.05 21:15 minecraftnightX Problemas no relacionamento

Olá, namoro há uns 3 anos e meio e recentemente comecei a ter alguns problemas na relação. Minha namorada nunca gostou que eu fumasse maconha e de uns tempos pra cá começou encanar muito com isso, até que semana passada tivemos uma briga, discutimos um pouco sobre o assunto mas ele foi se dispersando e ficamos bem. Ja tive uma epoca em que fumava todos os dias mas há muito tempo eu só costumo fumar quando saio com amigos de final de semana, em churrascos ou festas, nada além disso. Eu sempre respeitei a opinião dela, e na medida do possivel nao consumava o fato na frente dela. Ela disse que odeia o fato que eu fume, diz que é uma coisa que faz mal e todo aquele papo contra drogas e começou a dizer que eu deveria pensar mais nela ao inves da maconha, em largar isso. O problema é que to me sentindo muito mal, pq sempre fiz de tudo para que isso nao fosse um problema e ela veio querendo tirar minha liberdade individual de escolher oq devo fazer ou nao, mesmo que isso nao interfira em nossas vidas diretamente. Fico me remoendo por dentro agora me sentindo um criminoso, pois amo ela mas ao mesmo tempo acho que nao estou fazendo nada de errado.
Obrigado se vc leu até aqui e sinceramente nao sei o que esperar dessa história.
submitted by minecraftnightX to desabafos [link] [comments]


2020.10.04 02:59 heartless2000 Eu deveria terminar meu namoro?

a historia é longa mas vou tentar resumir:
Estou em um relacionamento a tres anos onde sempre deu tudo certo. Em maio desse ano eu acabei entrando no facebook do meu namorado e baixei uma conversa que ele tinha com uma menina chamada "Mariana". Eles conversavam no facebook de 2011 ate 2015 e tiveram um relacionamento mais serio em 2015. Apesar de isso tudo ter ocorrido muito antes da gente se conhecer(nos conhecemos em 2017) eu fiquei com uma pulga atras da orelha por dois motivos: 1 - ela é muuuito bonita e 2 - ele sempre deixou claro pra mim que eu fui a primeira namorada dele. Na conversa do facebook ficava nítido o quanto ele gostava dela e como ele ficou triste quando ela n quis levar o relacionamento pra frente pelo motivo de "ainda sou muito nova e quero aproveitar mais". Pouco tempo depois disso ele até tentou se matar mas n sei se tem algo a ver com essa menina.
Até ai vc deve estar me achando maluca e possessiva ne? Afinal, tudo isso aconteceu antes de nos conhecermos e eu nem deveria mexer nas coisas dos passado. O ponto é que fiquei com aquilo na cabeca e fui perguntar a ele sobre ela. Perguntei se durante o nosso namoro ele havia tido algum contato com ela e ele negou. Perguntei mil vezes e ele negou.
A questão é que fiquei desconfiada e acabei fazendo algo que nao me orgulho: peguei o celular dele enquanto ele dormia e fui atras de mensagens com ela no whatsapp. O fato é que ele havia mentido pra mim: eles conversavam sim durante nosso namoro e isso me deixou muito mal. Exportei toda a conversa(QUE ESTA ALI NO FINAL, SE VC QUISER LER) e no outro dia perguntei pra ele novamente se ele falava com ela. Implorei na verdade e ele continuava mentindo, dizendo que eu deveria acreditar nele. Ele so admitiu quando eu falei que havia acessado o celular dele.
Depois disso demos um tempo de 1 mes mas ele sempre insistiu pra continuarmos. Falava que aquelas conversas nao significavam nada e que ele somente respondia quando ela chamava ele. disse que gostava de ver ela sofrendo porque ela havia feito ele sofrer no passado.
Enfim, se vc leu ate aqui agradeço muito. Eu realmente n sei se devo continuar ou nao pois ele mentiu muito pra mim.

Por favor, me de a sua opinião.

Vcs confiariam novamente se estivessem no meu lugar?
Voce conversa com sua/seu ex? Se sim, por quê? é realmente sem sentimento nenhum?

---------------------------------CONVERSA QUE ELES TIVERAM NO WHATSAPP-------------------------
11/05/2020 13:22 - As mensagens e chamadas desta conversa estão protegidas com a criptografia de ponta a ponta. Toque para mais informações.
11/05/2020 13:22 - Mariana: E aí
11/05/2020 13:22 - Mariana: Como é que cê tá?
11/05/2020 13:37 - Joao: Heey, to bem você?
11/05/2020 13:38 - Mariana: Também
11/05/2020 13:38 - Mariana: Não estou bebada e tbm não acabei de levar um chifre
11/05/2020 13:38 - Mariana: hahahaha
11/05/2020 13:38 - Joao: Olha, isso é novidade hahah
11/05/2020 13:38 - Joao: Estranhei pelo horário, estar bebada agora seria meio estranho
11/05/2020 13:39 - Mariana: hahahahah
11/05/2020 13:39 - Mariana: To trabalhando
11/05/2020 13:39 - Mariana: e ontem lembrei de você
11/05/2020 13:39 - Mariana: e aí vim especular sua vida
11/05/2020 13:39 - Mariana: Na realidade, eu queria te perguntar uma coisa
11/05/2020 13:39 - Mariana: É pessoal, mas acho ok
11/05/2020 13:40 - Joao: Certo, o que é?
11/05/2020 13:44 - Mariana: Naquela época que tínhamos uma relação, você havia comentado que sofria de um transtorno de agressividade
11/05/2020 13:44 - Mariana: Lembra?
11/05/2020 13:44 - Mariana: Inclusive, pouco tempo depois tu ficou internado
11/05/2020 13:45 - Joao: Não, não era transtorno de agressividade, era boderline
11/05/2020 13:45 - Joao: Pq?
11/05/2020 13:47 - Mariana: O que é isso?
11/05/2020 13:47 - Mariana: Cara, pq eu precisava de certos acompanhamentos
11/05/2020 13:48 - Mariana: Eu sei que sou uma pessoa extremamente ansiosa, mas em alguns momentos de irritação - ainda que por motivos bem pequenos - eu tenho uma reação desproporcional
11/05/2020 13:48 - Mariana: E me sinto muito violenta
11/05/2020 13:48 - Mariana: Claro, não chego a fazer nada
11/05/2020 13:48 - Mariana: Mas a vontade é imensaa
11/05/2020 13:49 - Joao: Então, Boderline é um transtorno de personalidade, é um agregado de coisas
11/05/2020 13:50 - Joao: Para o diagnóstico do transtorno de personalidade limítrofe, os pacientes devem ter

Instabilidade persistente nos relacionamentos, na autoimagem e nas emoções (desequilíbrio emocional), bem como acentuada impulsividade.
Esse padrão é caracterizado por ≥ 5 dos seguintes:

Esforços desesperados para evitar o abandono (real ou imaginado)
Relacionamentos intensos e instáveis que se alternam entre idealização e desvalorização da outra pessoa
Autoimagem ou senso do eu instável
Impulsividade em ≥ 2 áreas que pode prejudicá-los (p. ex., sexo inseguro, compulsão alimentar, dirigir de forma imprudente)
Comportamentos, gestos ou ameaças repetidos de suicídio ou automutilação
Mudanças rápidas no humor, normalmente durando apenas algumas horas e raramente mais do que alguns dias
Sentimentos persistentes de vazio
Raiva inadequadamente intensa ou problemas para controlar a raiva
Pensamentos paranoicos temporários ou sintomas dissociativos graves desencadeados por estresse
11/05/2020 13:55 - Mariana: Hmm
11/05/2020 13:55 - Mariana: Poxa, isso tem martelado na minha cabeça
11/05/2020 13:56 - Mariana: Eu preciso ter mais calma, ou uma hora vou fazer algo que eu possa me arrepender
11/05/2020 13:56 - Joao: Mas tipo, isso é uma coisa, o certo é procurar acompanhamento para te diagnosticarem do jeito certo
11/05/2020 13:56 - Mariana: Não sei explicar, só sei que é algo muito forte e que vem de dentro!
11/05/2020 13:56 - Mariana: Aquele raiva!
11/05/2020 13:56 - Mariana: E depois eu penso, e vejo que é desproporcional sabe
11/05/2020 13:57 - Mariana: É, eu tenho que voltar a fazer acompanhamento
11/05/2020 13:57 - Mariana: Eu tinha achado umaclinica pelo meu plano
11/05/2020 13:57 - Mariana: Só que aí começou a Pandemia, e eu deixei de lado
11/05/2020 13:58 - Mariana: E como até hoje tive apenas 03 crises bem fortes
11/05/2020 13:58 - Mariana: Essas de ansiedade ou pânico, eu acabo deixando sabe
11/05/2020 14:00 - Joao: Entendo, as vezes eu tenho certas crises também, eu voltei pra tratamento agora depois de um bom tempo tentando marcar horário
11/05/2020 14:00 - Joao: Mas não estou mais tomando nada
11/05/2020 14:00 - Joao: Talvez tenha que voltar
11/05/2020 14:01 - Mariana: Que ótimo!
11/05/2020 14:01 - Mariana: Tomara que não precise voltar para o tratamento medicamentoso, mas se precisar, também não é o fim do mundo né
11/05/2020 14:02 - Mariana: Infelizmente esses problemas psicológicos tem se tornado cada vez mais comum
11/05/2020 14:15 - Joao: Pois é, também espero que não, sempre me senti estranho tomando. Não parecia ser eu, além disso tinham efeitos colaterais bem chatos
11/05/2020 14:17 - Mariana: Faz parte...
11/05/2020 14:17 - Mariana: Na minha volta bastante gente precisa se submeter e tais tratamentos
11/05/2020 14:18 - Mariana: Mas enfim! Como está a vida? Está aqui em SJP? Aulas suspensas?
11/05/2020 14:23 - Joao: Restrita, apesar de eu não ter parado de trabalhar
11/05/2020 14:24 - Joao: Estavamos imprimindo máscaras para o pessoal da saúde de Joinville e Curitiba
11/05/2020 14:24 - Joao: Mas as aulas pararam, só estou tendo EAD por enquanto, e por ai?
11/05/2020 14:27 - Mariana: EAD também!
11/05/2020 14:27 - Mariana: Escritório voltou semana passada
11/05/2020 14:27 - Mariana: Mas antes disso estávamos trabalhando em casa
11/05/2020 14:29 - Joao: Foda, aqui não tem previsão das aulas voltarem
11/05/2020 14:31 - Mariana: É, aqui disseram que retornaria em agosto
11/05/2020 14:31 - Mariana: Mas não sei em...
11/05/2020 14:31 - Mariana: Que situação, né?
11/05/2020 14:32 - Joao: Pois é, era pra estar mais controlado, mas o presidente não ajuda muito kk
11/05/2020 14:33 - Mariana: Não ajuda em nada! Estou preocupada com o que pode acontecer ainda
11/05/2020 14:34 - Mariana: Se passarmos por mais um impeachment é de se discutir a própria democracia né
11/05/2020 14:34 - Mariana: Pois ao que parece não está funcionando para eleger representantes
11/05/2020 14:34 - Joao: Sim, essa instabilidade total piora situações como ansiedade
11/05/2020 14:35 - Joao: Se passarmos por mais um nossa economia vai demorar mais de uma década pra ser recuperar, ninguém investe em um país que troca de presidente como troca de camiseta
11/05/2020 14:36 - Mariana: Com certeza...
11/05/2020 14:37 - Mariana: Poisé, mas tudo caminha para isso né
11/05/2020 14:38 - Mariana: Até pq inquerito já foi instaurado
11/05/2020 14:38 - Mariana: O cara também é bem burro né, não dá uma dentro!
11/05/2020 14:39 - Mariana: As vezes me arrependo de ter feito direito, sabia?
11/05/2020 14:39 - Mariana: Com outra profissão eu teria chance de tentar a vida em outro país
11/05/2020 14:40 - Joao: Eu to pensando, quando me formar acho que vou pro Canadá
11/05/2020 14:40 - Joao: Sim, todo dia uma atrás da outra
11/05/2020 14:41 - Mariana: Eu iria
11/05/2020 14:41 - Joao: Uma amiga conseguiu validar o diploma dela de engenharia quimica
11/05/2020 14:41 - Mariana: Eu não gosto que falem mal do país, sei que em todos os lugares existem problemas - culturais, políticos..
11/05/2020 14:41 - Joao: Creio que engenharia mecanica de boa também
11/05/2020 14:41 - Mariana: Mas porra, virou bagunça!
11/05/2020 14:41 - Mariana: Virou putaria bater panela
11/05/2020 14:42 - Mariana: Ué? não era de avião?
11/05/2020 14:42 - Joao: Então hahaha
11/05/2020 14:42 - Mariana: kkkkkkkkk
11/05/2020 14:42 - Mariana: Indeciso em!!???
11/05/2020 14:42 - Joao: Mudei da UFSC pro IFSC, pra conseguir trabalhar de dia
11/05/2020 14:42 - Joao: Na UFSC não tinha como trabalhar e estudar
11/05/2020 14:43 - Joao: Ai mudei pra engenharia mecânica no IFSC a noite, aqui em Joinville também
11/05/2020 14:43 - Joao: Mas não perdi quase nada, matei várias matérias
11/05/2020 14:43 - Mariana: Já pensou as suas entrevistas de emprego?
11/05/2020 14:43 - Mariana: Hahahahah
11/05/2020 14:43 - Mariana: Ah, comecei com o curso x, depois migrei para y, depois z, depois x novamente
11/05/2020 14:44 - Joao: A eu nem falo nada hahaha
11/05/2020 14:44 - Mariana: Hahahahahha
11/05/2020 14:44 - Mariana: E tu se forma quando?
11/05/2020 14:44 - Joao: Antes do COVID era pra ser uns 2 anos haha
11/05/2020 14:44 - Joao: agora já não sei mais
11/05/2020 14:44 - Joao: e vc?
11/05/2020 14:44 - Mariana: Último ano
11/05/2020 14:45 - Mariana: Ano que vem já sou bacharel ahahha
11/05/2020 14:45 - Mariana: Bacherel é quando se forma, né?
11/05/2020 14:45 - Mariana: E sou 1/2 advogada
11/05/2020 14:45 - Mariana: Falta a segunda fase, sabe lá Deus quando será!
11/05/2020 14:46 - Joao: Da OAB?
11/05/2020 14:46 - Mariana: Eu sou indecisa para a vida, relacionamentos e compras
11/05/2020 14:46 - Mariana: Para o curso tem se mantido ahahha
11/05/2020 14:46 - Mariana: Uhum
11/05/2020 14:47 - Joao: Então, na real eu ia manter, mas com a situação financeiro dos meus pais complicou eu resolvi tomar as rédias. Meus pais já estão cansados, não quero que fiquem me bancando kk
11/05/2020 14:48 - Joao: Que massa!
11/05/2020 14:48 - Mariana: É, eu imagino! É bom você trabalhar, já vai entrando no meio né.
11/05/2020 14:48 - Joao: Parabéns, a segunda fase tu vai tirar de letra tbm
11/05/2020 14:48 - Mariana: Cara, eu tinha tantas expectativas para esse ano, mas o COVID atrapalhou muito
11/05/2020 14:48 - Mariana: Por isso ando desanimada, sabe?
11/05/2020 14:48 - Joao: Nem me fale... kkk
11/05/2020 14:48 - Mariana: Deus lhe ouça
11/05/2020 14:49 - Mariana: Eu consegui monitoria com a professora que eu mais admiro
11/05/2020 14:49 - Mariana: E ela desenvolve várias pesquisas, já conhece professores de federal e tal
11/05/2020 14:49 - Mariana: Esta fazendo doutorado
11/05/2020 14:49 - Mariana: E eu quero muito fazer mestrado
11/05/2020 14:49 - Mariana: Mas uma pós na federal já vale
11/05/2020 14:49 - Mariana: Então, queria ficar ali no meio né
11/05/2020 14:50 - Mariana: Até uma aula eu dei, sabia? ahhaha
11/05/2020 14:50 - Mariana: SOZINHA
11/05/2020 14:50 - Mariana: Tinha tudo para ser um bom semestre, nesse sentido
11/05/2020 14:50 - Mariana: Mas.....
11/05/2020 15:25 - Joao: Que isso, ai sim em!
11/05/2020 15:25 - Joao: Ta mandando muito
11/05/2020 15:26 - Joao: Também penso em fazer mestrado, mas as vezes desanimo kk
11/05/2020 15:29 - Mariana: Pq desanimo?
11/05/2020 15:29 - Mariana: Eu preciso aprender uma outra língua
11/05/2020 15:30 - Mariana: Só sei português e merda
11/05/2020 15:30 - Mariana: hahahah
11/05/2020 15:33 - Mariana: Eu gostaria de lecionar, acho muito legal!
11/05/2020 15:33 - Mariana: E na advocacia passa mais credibilidade
11/05/2020 15:33 - Mariana: Só que meu sonho não é advogar
11/05/2020 15:35 - Joao: Ah sei lá, as vezes cansa essa rotina só de estudos
11/05/2020 15:36 - Joao: Eu manjava um pouco de inglês mas tive que aprender mais ainda na marra
11/05/2020 15:36 - Joao: As materias especificas o conteudo que presta é praticamente em inglês kk
11/05/2020 15:36 - Joao: Quer ir pra concurso?
11/05/2020 15:44 - Mariana: É, cansa! Eu imagino...
11/05/2020 15:44 - Mariana: Yes! Queria magistratura e atuar em vara cível
11/05/2020 15:44 - Mariana: Queria não, eu quero
11/05/2020 15:44 - Mariana: Mas não sei se tenho perfil de concurseira
11/05/2020 15:45 - Joao: Ninguém tem até tentar 🙃
11/05/2020 15:46 - Joao: Se tu tirando a OAB de letra tem que tentar sim
11/05/2020 15:46 - Mariana: Ah, vou tentar até meus 35 anos
11/05/2020 15:46 - Mariana: Aí prorrogo até 40
11/05/2020 15:46 - Mariana: Vai que
11/05/2020 15:46 - Mariana: hahaha
11/05/2020 15:47 - Mariana: Demora para sair, ainda mais eu que só vou tentar no sul
11/05/2020 15:53 - Joao: Vai dar boa, tu tem que advogar 3 anos pra poder concursar né?
11/05/2020 15:53 - Joao: Na magistratura
11/05/2020 15:53 - Mariana: Isso! Nesse período eu tento pós e mestrado
11/05/2020 15:54 - Mariana: Até pq conta como título
11/05/2020 15:54 - Mariana: Então, nada é perdido
11/05/2020 15:59 - Joao: Verdade, não tem nada a perder, só a ganhar tentando
11/05/2020 16:00 - Mariana: Uhum
11/05/2020 16:00 - Mariana: E o relacionamento?
11/05/2020 16:00 - Mariana: Firme e forte?
11/05/2020 16:00 - Joao: Então, ela ta aqui em Joinville comigo, ta sem aulas e o Banco afastou os estagiarios
11/05/2020 16:01 - Joao: Ai ela ta "morando" comigo faz uns dois meses
11/05/2020 16:01 - Joao: Amanhã a gente faz 3 anos
11/05/2020 16:01 - Joao: E o seu?
11/05/2020 16:02 - Mariana: Caralho, o tempo voa em
11/05/2020 16:02 - Mariana: Ah, o meu as vezes anda e as vezes desanda
11/05/2020 16:02 - Mariana: Ora quero casar e ter filhos, ora quero chutar o balde e ser solteira o resto da vida
11/05/2020 16:03 - Mariana: hahahahaha jeito Mariana de ser
11/05/2020 16:03 - Mariana: Bem decidida, sabe?
11/05/2020 16:03 - Joao: Sei bem haha
11/05/2020 16:03 - Joao: Filhos é uma parada que nem cogitamos haha
11/05/2020 16:04 - Mariana: É que eu quase tive né
11/05/2020 16:04 - Mariana: Dai as vezes da vontade hahaha
11/05/2020 16:04 - Mariana: Mas passa bem rapidamente
11/05/2020 16:04 - Mariana: Qd eu vejo que n
11/05/2020 16:04 - Mariana: não tenho paciência nem com a minha cachorra
11/05/2020 16:05 - Joao: kkkkkkkkkkkk
11/05/2020 16:06 - Joao: É, complicado haha
11/05/2020 16:06 - Joao: Como vão seus pais?
11/05/2020 16:06 - Mariana: A mãe esta em casa
11/05/2020 16:06 - Mariana: Foi suspendido o contrato
11/05/2020 16:06 - Mariana: O pai começou as férias hoje
11/05/2020 16:06 - Mariana: Por enquanto esta ok
11/05/2020 16:06 - Mariana: Ninguem demitido
11/05/2020 16:06 - Mariana: E os seus?
11/05/2020 16:07 - Joao: Suspenderam a licitação da obra que meu pai estava indo em Maceio
11/05/2020 16:07 - Joao: E agora os dois estão em casa kk
11/05/2020 16:09 - Mariana: Af, é foda para eles né
11/05/2020 16:09 - Mariana: Sua mãe chegou a inciar o restaurante no caminho do vinho?
11/05/2020 16:09 - Joao: Não, deu uma parada, ela andava meio mal
11/05/2020 16:09 - Joao: Agora segurou por conta do covid
11/05/2020 16:09 - Mariana: Depressão?
11/05/2020 16:10 - Joao: Uhum
11/05/2020 16:12 - Mariana: Eita, e ficar parado em casa só piora, né?
11/05/2020 16:15 - Joao: Uhum, ela ta tentando estudar outras coisas devagarzinho
11/05/2020 16:18 - Mariana: A mãe eu plantei ideia de fazer empedão para vender
11/05/2020 16:18 - Mariana: Pelo menos ela ocupa a cabeça
11/05/2020 16:18 - Mariana: E ainda lucra um pouco
11/05/2020 16:18 - Mariana: E eu ainda como toda semana hahahaha
11/05/2020 16:19 - Joao: hahahah
11/05/2020 16:19 - Joao: stonks
11/05/2020 16:19 - Mariana: o que é isso?
11/05/2020 16:28 - Joao: É um meme haha
11/05/2020 16:30 - Joao: É tipo quando você mostra solução pra algo de uma maneira diferente inédita
11/05/2020 16:30 - Joao: Meio difícil de explicar hahaha
11/05/2020 16:32 - Mariana: Hmmm
11/05/2020 16:32 - Mariana: Entendi 🤔
11/05/2020 16:41 - Joao: E suas irmãs, como estão?
11/05/2020 16:44 - Mariana: Ah nega continua na loja
11/05/2020 16:44 - Mariana: a*
11/05/2020 16:44 - Mariana: Passou na primeira fase junto comigo
11/05/2020 16:44 - Mariana: Diz que vai tirar a OAB
11/05/2020 16:46 - Joao: Mas ela ja se formou né?
11/05/2020 16:47 - Mariana: Aham, ano passado
11/05/2020 16:47 - Mariana: Não sei o que ela vai fazer da vida
11/05/2020 16:48 - Mariana: Diz que quer ser delegada
11/05/2020 16:48 - Mariana: Mas não estuda
11/05/2020 16:48 - Mariana: A Daiana ainda mora em SP e esta casada, a um tempinho já
11/05/2020 16:48 - Mariana: A Luana continua bem e está no segundo ano de BJ (mesmo ano em que a gente ficava)
11/05/2020 16:48 - Mariana: O tempo voa, né?
11/05/2020 17:15 - Joao: Nossa, já??
11/05/2020 17:15 - Joao: Sim, muito haha
11/05/2020 17:15 - Mariana: Poisé
11/05/2020 17:15 - Mariana: Eu ainda não me toquei ahahaha
submitted by heartless2000 to desabafos [link] [comments]


2020.10.03 19:39 ppaciente [Sci-fi] Memória Viva

Está na vez de Jaime, observo-o com atenção. O procedimento é rotineiro, cada engenheiro físico da divisão de estudos gravitacionais o executa a cada três meses, até mesmo os recém chegados. Ele se aproxima da câmara com casualidade, ainda rindo de uma piada que um membro sênior da equipe recitou, mas que eu não entendi. Abre a porta, dá um passo para frente, dá um clique no seu relógio de pulso, a porta se fecha, e é isso.
Estou presente quando Jaime deixa a câmara, dez dias mais novo que todos nós. Exatamente da forma como havia entrado. Ainda está rindo. Coleto o cartão de memória de suas mãos, agora é a minha vez. A minha primeira vez. Sofro de uma ansiedade leve, mas não estou preocupado. Fiz a simulação mais de trinta vezes, sei cada passo que devo dar, a localização de todos os objetos no interior da câmara, e estou confortável com os quinze segundos que terei para decidir o rumo do experimento.
Enfim, repito os passos de Jaime, mas não estou rindo. Inicio o cronômetro e a porta se fecha atrás de mim. Quinze segundos para chegar ao terminal, os passos pesados não me impedem. Quinze segundos para compilar os dados, a barra que indica o percentual de progresso fica presa em um por cento por um tempo que parece maior que a minha própria vida, mas, por fim, dá um salto e some da tela. Quinze segundos para tomar uma decisão, o caminho a seguir é óbvio, basta clicar em “continuar. Sorte. Quinze segundos para retornar à porta. O cartão de memória já deve ter recebido todos os dados necessários para a conclusão, só me resta esperar. Faltam dez segundos.
Encaro o relógio de pulso contando os segundos. Cinquenta e oito. Cinquenta e nove. Um minuto. Olho para a porta metálica. Um minuto e um. Estranho. Um minuto e dois. Procuro o mecanismo de acionamento da porta, mesmo sabendo que não existe tal coisa no interior da câmara. Mais vinte segundos. Estou tremendo, saturado de suor que se mistura com lágrimas de desespero. Mesmo sendo minha primeira vez, sei que isso nunca aconteceu antes. Espero que seja um trote. Dois minutos. Isso não é possível. O que pode ter acontecido, que, em tanto tempo, ninguém foi capaz de resolver?
Cinco minutos. Dez minutos. Vinte minutos. Tento calcular o tempo que já se passou do lado de fora, mas minha mente não me obedece. O cronômetro não para. Acho que já se passou um ano. É certo de que já se esqueceram de mim. Talvez tenham feito um funeral bonito para agradar a minha namorada e meu irmão. Devem ter dito que eu fui descuidado perto do reator de fusão fria e que meus restos tiveram que ser descartados devido à contaminação. Não, bobagem. A minha amada certamente já se esqueceu de mim. Como eu queria estar perto dela, sentir seu calor, ouvir a analogia que ela faria entre a minha situação e algum mito grego do qual nunca ouvi falar. Sempre disse que em meus delírios noturnos, antes de dormir, vivia vidas inteiras em poucos minutos. Dessa vez é o contrário, são os outros que vivem tudo nos poucos minutos que se passam.
Já não me atrevo mais a olhar o pulso. Pergunto-me se a raça humana já terá sido extinta quando me der vontade de ir ao banheiro. Não quero mais saber quanto tempo se passou em nenhum dos lados da porta. Busco com os olhos algum objeto ligeiramente afiado, algum tipo de corda, ou qualquer coisa que possa ser usada para me tirar daqui, mas não há sobras. Este lugar tem apenas um uso. Como dói pensar que eu trabalhava em uma fabricante de eletrodomésticos, que eu perdi minha vida tentando criar uma geladeira.
Estou sentado com as costas na porta, o cronômetro marca trezentos e muitos minutos. Penso estar em um sonho, a porta desliza e caio de costas no chão. De cabeça para baixo enxergo a minha namorada, que foi chamada poucas horas atrás para me acalmar. Jaime, me explica que o experimento acabou no tempo estipulado, mas a porta travou. Estão todos muito aliviados. Abraço minha amada com a força de dez anos comprimidos em poucos segundos. Um sonho... olho para o seu rosto e choro.
Não reconheço suas feições. Parece ter mantido a idade, mas seus lábios são menos largos e suas sobrancelhas mais finas. Ela me olha como quem me vê pela primeira vez. É outra pessoa, completamente. Procuro o Jaime, mas não o encontro. Em seu lugar, vejo um senhor choroso de aparência similar, porém abatida. O exterior da câmara parece não ter mudado muito. Um círculo de pessoas me olha com estranheza, assustadas. Parecem estar testemunhando um evento lendário, o retorno de cristo, ou algo assim. Não reconheço nenhum dos rostos.
Passados poucos segundos, o senhor se ajoelha de frente a mim e encara meus olhos. Ele estende seu braço em minha direção e abre a palma da mão. Enfim, um momento de clareza. Vagarosamente ponho a minha mão no bolso e, na sequência, deposito na mão de Jaime o cartão de memória.
submitted by ppaciente to rapidinhapoetica [link] [comments]


2020.10.02 19:22 Meninoeuforico Como lidar com conhecidos dando emcima da minha namorada?

Eu trabalho com eventos, sou artista/musico e minha namorada trabalha junto comigo, ela é minha fotografa e me acompanha em todos eventos q eu vou. Eu namoro a quase 6 anos e minha namorada é muito gata, corpo escultural, muito gostosa e acima de tudo muito simpatica com todo mundo. O lado ruim disso é que sempre tem uns urubus na volta dela com segunda intenções e alguns desses "urubus" são meus conhecidos e tambem trabalham nesse mundo de eventos, então eu nao posso comprar brigas com eles porque isso pode prejudicar meu trabalho. A gente conversa muito, e sempre que aparece um cara que da emcima dela na cara de pau, ela corta o cara e bloqueia. Mas o problema é que alguns vem em forma de "amigos", tentam se aproximar dela na amizade, mas a gente que é homem sabe quem realmente quer ser amigo e quem tem segundas intenções. Eu nao quero parecer um psicopata ciumento e ficar pedindo pra ela se afastar dos "amigos" dela, até porque sou bastante seguro e eu confio muito nela e sei que jamais ela me trairia, mas esse fato de ter conhecidos que tem segunda intenções com minha namorada me irrita bastante. Recentemente ela postou uma foto no facebook e varios conhecidos comentaram coisas como "maravilhosa, linda, etc..." como eu devo reagir esses comentários? Devo fingir que nao vejo? Continuar confiando nela? E se esse fato acontecer pessoalmente em um evento? Tipo, eu ver um cara dando emcima dela, como eu deveria agir de uma forma que nao começasse uma briga?
submitted by Meninoeuforico to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 21:06 pla-to Escritor a beira do colapso

Olá, Brasil
hoje venho lhes apresentar meu dilema. Gostaria de saber se os senhores podem me auxiliar, pedindo desculpas antes mesmo de começar a me explicar, tendo em vista o tamanho do post que abaixo segue. Para quem possuir a paciência e a resignação de ler até o final, só me faz possível agradecer e lhe estender um virtual e fraternal abraço.
tl;dr>! sou bipolar e gosto de escrever, não tenho um puto no bolso pq anos de estudos de filosofia e literatura me tornaram incapaz de conviver de maneira adequada nessa sociedade doente, peço que avaliem meu trabalho para que eu saiba se há futuro para mim na escrita e, também, que me ajudem com conselhos profissionais, doações ou de qualquer outra forma para que eu possa sair da cidade em que resido e busque um lar em São Paulo.!<
Vamos lá:
Me chamo Dillon Hagar (meu pseudônimo literário) e tenho ~30 anos. Sou formado em direito e administração com pós em direito penal e processual penal, não que isso me seja muito relevante sobre quem sou, acredito estar mais relacionado com minha história.
Venho de uma família brasileira típica: meu pai e minha mãe são pessoas honestas que sempre trabalharam (muito) para buscar oferecer o melhor para meu irmão e eu. Apesar da extrema formalidade que compele o viver dos dois, sei por fato e história o quanto eles nos amam. Meu pai sempre foi um cara absurdamente estourado e - até recentemente - acreditei que isso era apenas seu jeito de ser, afinal o cara já engoliu alguns sapos da vida (principalmente de sua falecida mãe).
Talvez pelo fato de ser tão estourado, permiti por muito tempo que minhas escolhas fossem feitas por mim, afrontar seus nervosismos só me gerava ainda mais ansiedade. Sempre me foi difícil o necessário pisar em ovos com ele, já que somos pessoas absolutamente distintas. Seu ideal de justiça é através da imposição da violência enquanto sou apenas um advogado que valoriza o debate, defende as garantias e direitos individuais e conhece um pouco das mazelas do nosso maravilhoso Brasil.
Fiz uma faculdade (duas, se prezar pela especificidade) que me habilitaram em uma profissão que não tinha e nem tenho a menor intenção de exercer. Sou advogado inscrito na OAB/SP, porém tudo que gostaria de fazer é rasgar minha carteira e escrever... Mas tudo bem, quem não é advogado hoje, não é mesmo?! Está ai a primeira vaidade formal que meus pais têm sobre mim que não faço questão.
Tenho um irmão mais velho (programador) que, com muito trabalho e talento, conquistou seu lugar ao sol nesse caótico mundo e foi morar em outro país, longe do julgamento dos velhos.
Para o caçula, restou apenas buscar se adequar a sociedade de uma cidade do interior paulista (~180k habitantes, ~450km da capital) e tentar ganhar algum dinheiro, porém, como fazemos isso quando não há oportunidades e se é um desarticulado?
Aos melhores empregos, não possuo a experiência. Para os demais, sou mais qualificado do que deveria. Sou um monstro em pele de homem, vagando por uma cidade que não parece ter o interesse de recepcionar o diferente.
Veja bem, estimado leitor. Sei o que sou e, acredito que aqui, seja o momento ideal para dizer o bestial ser que lhes redige este biográfico texto. Minha sinceridade é inata, não posso me mostrar por menos, não me sentiria bem comigo mesmo se não soubessem quem realmente é aquele que lhes pede algo.
Há alguns anos - graças a uma maravilhosa ex-namorada psicóloga - contrariado pelos meus pais que sempre viram saúde mental como tabu, decidi buscar ajuda profissional para tratar o vazio existencial que existe/ia dentro de meu peito. Após 6~8 anos de terapia e pelo menos outros 6 de clínica psiquiátrica, me deparei com o diagnóstico de um distúrbio de personalidade, "Transtorno de bipolaridade tipo 2", dizem os médicos. Como gosto de informalidades, prefiro chamar apenas de "meus demônios".
"Meus demônios" por muito tempo foram seres antagônicos dentro de mim, me aterrorizavam madrugadas a dentro, cochichando terríveis segredos em meus ouvidos. "Nunca serás o suficiente", "aqueles que dizem te amar riem de ti", "se tens medo de monstros olhe bem para dentro de si: tu és o monstro de quem teme". Nada legal, não?!
Medicação e terapia me tornaram inteiros, ao menos o suficiente para que tomasse as forças necessárias para meu "salto de fé", me fazendo no começo do ano finalmente deixar o ninho e buscar continuar somente com a força de minhas próprias pernas. A felicidade e a esperança, como bem sabem do ano de 2020, talvez tenham sido mal colocadas.
Surpreendentemente, mesmo com as coisas nesse plano de existência estarem indo em vertiginoso declínio, me encontro de certa forma bem e feliz comigo mesmo. "Meus demônios" agora são seres integrados em minha convivência e, com a força do estudo da filosofia (valeu Platão, estoicos, Nietzsche e demais) e outros literatos, descobri que não deveria mais temer minha patologia. Aprendi que ela sou eu e eu sou ela, essa "bipolaridade" que me faz navegar tão rapidamente entre humores é tão somente parte de quem sou. Se antes terapia e remédios eram minha cura, hoje digo com propriedade que aprendi ser minha própria mirtazapina. Se antes chorar de manhã e sorrir de tarde eram um problema, hoje aprecio o fato de lacrimejar enquanto escuto Avril Lavigne (que mulher!), mais tarde me abraçar ao som de Dream Theater e me odiar durante as madrugadas com Witchcraft ou Void King. Música, filmes e livros: ai está minha eterna companhia.
Pois bem, caríssimos estranhos. Sou o que sou e não lhes nego! Talvez esse seja o maior trunfo do anonimato: a possibilidade de ser quem quiser ser sem o prejuízo de julgamentos. Espero que minha sinceridade não lhes seja ofensiva ao decoro, para os que até aqui chegarem agradeço de coração sua insistência.
Ok, ok, divago! Vamos voltar ao ponto central e motivo desse texto: Não tenho amigos e não tenho emprego. O primeiro se deve ao fato de que sou quem sou: aprendi a duras verdades que em uma cidade deste tamanho existem mais pessoas dispostas a lhe julgar do que entender. Geralmente fogem quando confesso ser bipolar ou quando descobrem que não tenho medo de estar em contato com meus sentimentos. Que coisa não?! Em pensar que o que todos buscavam era verdadeira conexão e honestidade nas relações. Mas tudo bem, quem lhes redige sabe que sua intensidade pode ser exigente demais da disponibilidade dos outros, procuro não julgar os que me negam.
Já para falta de emprego talvez seja uma consequência lógica do primeiro: Em entrevistas de emprego costumo ser brutalmente honesto com meu empregador (afinal não é o que pedem?), ainda há pouco me perguntaram qual o meu salário ideal, quando respondi minha quantia, balançaram a cabeça em sinal negativo e disseram que era incompatível. Quem sabe não tenha sido o mais inteligente de minha parte dizer que "talvez o senhor não devesse fazer perguntas que não lhe agradam a resposta, achei que me perguntavas o que eu queria, não que buscasse adivinhações". Sim, sou este tipo de ser. Novamente perdão se lhes ofendo, reafirmo não ser minha intenção. Convido-lhes para uma reflexão, amado desconhecido: poderia eu, sendo quem sou, responder diferentemente?
Pois bem, venho fazendo o que todo jovem advogado têm feito: ofereço serviços jurídicos a preços módicos (que costumeiramente adapto aos meus clientes como forma de lhes ajudar). Sou criminalista mas somente atendo um seleto tipo de criminosos: àqueles a quem se não oferecido um serviço jurídico, muito provavelmente seriam engolidos pela máquina punitiva do Estado e integrados ainda mais a criminalidade. Não advogo para partidos criminosos e muito menos para criminosos de carreira, minha intenção é ajudar e não livrar-lhes de culpa. Talvez percebam aqui os motivos de porque não me restar dinheiro...
A fim de dedicar ainda mais honestidade à este texto, digo-lhes que tenho sim uma amiga. Uma sócia-comparsa, somos advogados e trabalhamos juntos coletando moedas enquanto tentamos ajudar, um pássaro de asa quebrada por vez.
Novamente divago, perdão. Ao ponto então: bem, como já devem tê-lo percebido, meu negócio é a escrita. Amo escrever, estudo latim por hobby, leio dostoievisk por esporte. Escrevo poemas, poesias, cartas, o que quiser. Dedico aos meus amigos e conhecidos aquilo que posso oferecer: no meu caso é o que coletei em meus 30 anos de existência. Você tem um problema amoroso? Ótimo! Sou teu brother e lhe farei uma carta ou um poema para que sares o coração, ó jovem apaixonado! Lhe incomoda a ansiedade saber que em breve terá que defender seu TCC? Maneiro, meu parceiro! Dedicarei à ti minha próxima carta sobre como deve se lembrar que em outra época, também já se apavoraste com o vestibular mas, ainda assim sobreviveste. Aproveito para lhes endereçar esta pergunta: Como se sentiriam se alguém lhes dedicasse uma carta sobre um problema que você confessou ter? Enfim, acho que pegaram o fio da meada.
Atendendo ao meu cósmico chamado, neste mês de setembro (setembro amarelo, lembro), silenciei meus demônios e passei a publicar alguns de meus textos, cartas e poemas em meu facebook particular. Alguns receberam mais likes que outros, alguns nenhum. Devo dizer que me dói saber que minha escrita às vezes não é apreciada.
Ao verem uma suculenta oportunidade, meus "dêmos" foram atiçados e voltaram a sussurrar. A minha vantagem é que neste momento, estando um bocado mais forte que antes, pensei que talvez não devesse eu ceder a régua que me mede à mão de pessoas que porventura não são verdadeiramente amigas. Improvável mas possível...
Sem dinheiro, sem perspectiva e sem companheiros, resto sozinho vivendo em um apartamento quase de favor com um conhecido. Gostaria de me mudar para São Paulo e conhecer todas aquelas pessoas estimulantes que pertencem àquele maravilhoso lugar, porém, como, se não disponho de condições nem para minha terapia e psiquiatra? Às vezes sinto que minto para as duas quando digo que estou bem, em ordem de fazer diminuir o número de sessões e medicamentos que preciso despender. Mando meu amor para as duas: não fosse por elas e os descontos absurdos que me proporcionam (na terapia, pago menos da metade; na psiquiatra, 1/3), talvez eu não estivesse me sentindo tão radiante. Não é lindo quando profissionais se despem de sua autoridade e tocam outro humano apenas como um humano?
Pois bem, venho até este maravilhoso sitio eletrônico e lhes peço: sejam meus juízes! Convido-lhes ao meu julgamento e de meu trabalho. Serei eu um bom escritor? Existe um ofício por trás destra escrita? Poderia eu tudo abandonar e - quem sabe finalmente - me encontrar alinhado e instrumentalizado pelo senhor universo através da bela e indescritível energia cósmica enquanto escrevo? Acredito que o tempo e os senhores podem me dizer...
Encaminho o link de meu tumblr (tumblr pra escritor br, ok, isso é ainda de se analisar), nele encontrarão algumas de minhas escritas publicadas nesse mês de setembro. Caso a paciência e a boa vontade acompanhem os senhores e senhoras, peço gentilmente que leiam, avaliem e sentenciem neste post o que considerarem pertinente. Caso estejam cansados de minha presença e queiram buscar apenas o poema mais lido, acredito que tenha sido este.
Para aqueles que realmente creem no valor de meu trabalho, também anexo um link para doação em paypal, onde aceito qualquer valor que puderem me ceder. Por ora, fica desabilitado a possibilidade de subscreverem em assinatura as doações, antes avaliarei se há futuro para mim nesse negócio de escrita.
E para você, que precisa de alguém que lhe escreva uma carta, um poema, uma poesia, ou que tenha, sabia ou queira um empregado escritoredatofaz tudo, sabia que recebo pedidos por email ( DillonHagarF ARROBA gmail PONTO com ) ou até mesmo através desse post ou direct.
Há aqueles que me chamarão de tolo por acreditar na bondade de estranhos na internet, devo lhes dizer que não me importo. Somente atendo minha própria natureza assim como acredito que cada um deve atender a própria. Estejam todos abençoados e em paz: aos que me ajudarem, mais, aos que me ignorarem, em igual proporção.
Por fim, agradeço todos que chegaram até aqui. Vocês são seres maravilhosos e o dom de sua curiosidade proporcionou a um desconhecido na internet um momento de felicidade. Um profundo e sincero obrigado! Sintam-se amados até mesmo por quem lhes desconhece!
submitted by pla-to to brasil [link] [comments]


2020.09.29 13:53 boa_viagem Viajar durante a pandemia?

Bom dia, pessoas, meu primeiro post nesse sub.
No ano passado, eu (22) e minha namorada (também 22) fizemos uma viagem de passeio pelo litoral de nosso estado. Antes disso, eu achava que odiava o litoral daqui e viajar mas era por conta de isso estar muito associado com viagens de família que eram muito desconfortáveis para mim. Acontece que removendo o estigma da família, viajar - especialmente para o litoral - se tornou uma das minhas coisas favoritas.
Acelerando para 2020: nesse ano, tudo que eu mais tenho desejado é poder viajar de novo. No começo do ano, me graduei da faculdade e por conta disso, perdi minha fonte principal de renda (que era meu estágio remunerado) e estou dependendo em 90% dos meus pais. Além disso, veio o corona e o isolamento, que no começo eu respeitei à risca, mas nos últimos meses passei a ir no mercado, farmácias etc. para ajudar meus pais e eventualmente também passei a visitar minha namorada.
O fato de depender financeiramente dos outros me deixou bem triste e deprimido durante os últimos meses, pois sentia que não tinha mais minha independência e principalmente porque não existia a possibilidade de guardar dinheiro para eventualmente viajar.
Essa situação deu uma grande reviravolta quando, agora em setembro, consegui projetos como freelancer e isso está me permitindo juntar um dinheirinho (praticamente o suficiente para fazer essa viagem que tanto quero). Também nesse mês, minha namorada descobriu que irá tirar férias do trabalho em novembro.
Com isso, me deu uma vontade MUITO grande de viajar, afinal, era algo que eu já desejava há muito tempo e agora existem os meios e, principalmente, uma possibilidade de data: como minha namorada trabalha em empresa, não é sempre que ela consegue tirar férias ou ter dias disponíveis para fazer algo assim.
Porém, como todos sabemos a pandemia não acabou e viajar possivelmente seria um risco, mesmo que no meu estado seja o segundo com menos casos no país e a situação esteja se encaminhando cada vez mais para ficar em queda. Conversei com a minha psicóloga e me senti seguro o suficiente para arriscar a viagem. Também sei que meus pais estão praticamente vivendo normalmente (mas fazendo o uso de máscaras) e sei que se eu contasse desse desejo para eles, eles me encorajariam à realizá-lo, tanto que em outros momentos eles quase se arriscaram e quase foram viajar em finais de semana desse mês, sendo impedidos por mim e pela minha irmã (que está respeitando o isolamento o melhor que pode e tem sido a voz da razão frente ao corona aqui em casa).
Minha namorada também se sente um pouco insegura quanto à viagem por medo dos riscos que seriam assumidos, e, eu também tenho essa insegurança, mas principalmente medo de me arriscar e ir viajar e por conta das restrições obrigatórias eu não aproveitar 100%. Todo dia eu tenho acompanhado as notícias do meu estado e buscado informações da pandemia nas cidades que gostaria de visitar para ver se a viagem seria viável, além de que planejei que se, decidirmos por viajar, será durante a semana e após o feriado do dia 2, para encontrar os nossos destinos com o mínimo de aglomerações possível.
Desculpa pelo post longo e o que eu devo fazer??
TL;DR: Estou a muito tempo querendo viajar e finalmente consegui o dinheiro e a data para fazer isso, mas o corona me deixa inseguro (tanto sobre a contaminação quanto sobre não aproveitar o suficiente por conta das restrições)
submitted by boa_viagem to desabafos [link] [comments]


2020.09.24 16:34 roody_mirys Tenho HPV.

Peguei HPV no meu único namoro. No início nasceu uma bolinha, como um pelo encravado, na base do meu pau, continuei me depilando com gilete e aumentaram as bolinhas, até eu perceber que aquilo não estava certo.
Nunca tive uma vida sexual bem desenvolvida, fui começar a transar só depois dos 19 e iniciando as relações com prostitutas, fiquei com poucas garotas "civis", acredito que umas 7 que não eram profissionais do sexo. E muitas, muitas prostitutas, mesmo. A maioria das relações foram com proteção, mas confesso que fiquei com umas três prostitutas sem camisinha, nunca contraí nenhuma DST dessas relações, apenas com a minha primeira namorada, com quem me acostumei a foder no pelo. Agora acho complicado de usar camisinha, não sei se consigo voltar a usar, pois sempre demoro pra gozar.
O principal problema da minha vida sexual deve ser resultado de um estupro ainda na infância, a minha família também é muito religiosa, então tinha aquele papo de não ficar com qualquer pessoa e buscar uma relação séria, além dos problemas de grana. Não dá pra namorar sem ter dinheiro, né? E éramos uns fodidos, na parte de grana, na infância e adolescência.
Em uma conversa com essa minha ex, logo que começamos a namorar, conversamos sobre DST e sobre nossas vidas sexuais anteriores, contei tudo pra ela, e ela me falou do HPV, disse que foi curada. Na verdade o HPV pode ser tratado, removendo as lesões, mas provavelmente deve ter continuado na pele dela, sem ser detectado, a garota deve ter desenvolvido resistência aos poucos, não criando novas lesões. Eu me fodi, mais uma vez, lembro que logo no começo eu pensei em tomar a vacina, mas depois esqueci do caso. O HPV também pode surgir entre 2 meses até 20 anos, então pode ser que nem tenha contraído dela, mas isso já não importa.
Faz pouco mais de 9 meses que estou tentando tratar isso, segundo a internet, a maioria dos casos são resolvido em média até 24 meses. Isso é uma merda, eu tenho que queimar o meu pau com um produto químico, para reduzir as verrugas e pros meus anticorpos terem chance de combater o vírus. O medicamento que melhor funcionou, por hora, foi a podofilotoxina. Ainda quero testar o imiquimod. A maioria dos médicos me parece despreparada, só querem queimar esses troços com ácido tricloroacético, mesmo eu explicando que esse produto mais me causou cicatrizes e ainda espalhou mais o vírus do que trouxe bons resultados. Eles nem se quer apresentaram o imiquimod ou a podofilotoxina como opções de tratamento, só achei isso pesquisando na internet. Só espero que esse trambolho não vire um câncer.
Em quanto isso, me reservo na solidão, parei de transar assim que comecei o tratamento, não confio em camisinhas porque elas não cobrem toda a área da lesão, pois é na base do pau, não quero correr o risco de encontrar uma pessoa legal, de quem eu goste e acabar passando isso pra ela. O foda é ter que arrumar desculpas pra não transar, sou mais ou menos bonito e chamo a atenção das mulheres, há bastante assédio por parte delas, também estou bem empregado, então não há mais impedimentos na parte financeira e a minha confiança melhorou muito, superando vários aspectos do trauma do estupro. As coisas se acertaram, mas agora me aparece isso. Devo ter feito muita coisa errada na sexualidade da vida passada, esse troço só pode ser carma.
Moro em uma cidade pequena, menos de 5 mil habitantes, me mudei faz um ano, acho que estou ficando com fama de ser gay, por ter que dispensar as mulheres.
submitted by roody_mirys to desabafos [link] [comments]


2020.09.23 14:39 browningabcd Dúvida emigrar para UK

Boa tarde, neste preciso momento vivo uma das etapas mais decisivas da minha vida por isso venho cá há procura de algumas respostas/opiniões que me possam ajudar a decidir qual o melhor caminho para mim.
Há coisa de um ano atrás a minha namorada emigrou para Newcastle para trabalhar como radiologista, depois de ela ter passado ao quadro e eu de ter feito algumas viagens até lá, identifiquei-me bastante com o país achei que seria uma boa oportunidade para mim, e como está na altura de sair de casa dos pais e constituir uma vida a dois, comecei há procura de emprego tenho tido algumas propostas, mas tudo com disponibilidade imediata.
A minha situação é a seguinte tenho 25 anos trabalho num armazém de uma multinacional a minha casa fica a 3km da empresa e aufiro de um ordenado a rondar os 900 por mês e estou há 6 meses efectivo.
A minha grande dúvida e o motivo pela qual ainda não me mudei para o Uk, é com a situação que vivemos do Covid a 2 vaga parece estar aí à porta, o brexit em janeiro a crise que se avizinha. São muitos fatores negativos que me fazem pensar 2 vezes se devo por o meu trabalho atual em risco.
Pergunto se devo arriscar ou esperar mais um tempo com a esperança que as coisas normalizem? O que vai mudar com o Brexit para poder emigrar?
Obrigado
submitted by browningabcd to PortugalLaFora [link] [comments]


2020.09.21 00:44 schkisu eu tô triste porque eu sou lésbica.

é isso. eu tô triste pelo simples fato de que eu sou lésbica. a minha família inteira é homofóbica, então é claro que quando eu me assumir eu vou perder o contato com todo mundo, inclusive com os meus pais, apenas porque eu não sinto atração sexual ou romântica por homens. eu tô triste porque eu jamais vou poder dar aos meus pais os netos biológicos que eles tanto queriam, estou triste porque a minha mãe e meu pai vão passar o resto da vida deles com vergonha de mim, 'triste porque a minha futura namorada/esposa jamais vai conhecer os sogros dela e eu não vou mais ter contato com os meus pais por causa da minha sexualidade, uma coisa que não é minha escolha e que não posso alterar. eu sinto que eu meio que falhei o meu propósito como filha, eu sempre quis dar orgulho para os meus pais, para a minha mãe principalmente porque ela tinha depressão e se curou por minha causa depois de que eu nasci, eu queria ser a filha cristã e heterossexual que meus pais tanto queriam, mas eu jamais vou pode ser isso e isso me entristece. agora que eu reconheço que eu sou lésbica eu definitivamente devo (e vou) abandonar o cristianismo. eu nunca gostei da igreja, apenas me sinto culpada por abandonar o cristianismo porque a minha família acha que eu sobrevivi ao parto prematuro de minha mãe porque Cristo queria que eu não morresse... e abandonar a divindade que me concedeu a vida faz eu me sentir como se eu fosse uma ingrata. mas enfim, alguém tem algum conselho para me dar?
edit (24/07): eu fiquei uns dias fora do Reddit porque as minhas notificações estavam me deixando ansiosa e eu tava deprimida demais para conseguir responder mensagens. estou muito feliz por ter recebido todo o apoio que vocês me deram. obrigado pelo o prêmio que me enviaram também (eu ainda não entendo qual é a utilidade dele, mas agradeço). enfim, obrigado por terem lido meu desabafo e obrigado pelos conselhos 💓
submitted by schkisu to desabafos [link] [comments]


2020.09.10 19:43 magonegro123 Fantasias estão influenciando na minha ereção

Sou novo no reddit e recentemente acabei pesquisando sobre o assunto e me deparei com esse tópico de desabafos. Recentemente comecei a namorar e logo tentamos transar... porém, não consegui manter a ereção. Frustrado, pesquisei em vários sites e todos que tiveram semelhança com meu problema, indicava a influencia da pornografia e das fantasias, imaginar coisas irreais, com certeza iria influenciar na hora do sexo. Estou a umas 3 semanas sem consumir pornô, porém, sem fantasiar sozinho para me masturbar, não consigo ter uma ereção. Próximo da minha namorada, fico sim excitado, mas quando chega na hora da penetração, ele cai... Já marquei uma consulta com um especialista, mas mesmo assim, ando muito preocupado com isso. Você que já passou por isso, o que devo fazer?
submitted by magonegro123 to desabafos [link] [comments]


2020.09.10 05:47 Cadaverin Me sinto sozinho

Como se palavras e validações de completos estranhos fosse me ajudar em algo, aqui estou novamente. Já vim lhes dizer que me sentia poeira, que morreria sozinho. Já contei da minha ex-namorada (aquela que abriu um buraco na minha alma e na sequência cagou nele). Dar-lhes pedaços de minha vida era ao mesmo tempo um refúgio e uma maldição. O primeiro porque me permitia dar vazão aos espíritos que me sobrecarregam os ombros; o segundo, pois achei que me faria bem.
Mudou em nada, claro.
Faz 1 ano que terminamos. Eu estive com outras mulheres no ínterim. Nenhuma delas conseguia extrair meu sorriso mais sincero. Risadas falsas com piadas a la carte, e nada disso era real. Quando fechava os olhos para beija-las ou enquanto chegava perto de um orgasmo, sua imagem era a única que me vinha a mente. Formosa, esbelta, lendo meus olhos como se fossem seu livro preferido e mostrando sua satisfação em um sorriso enorme. Torto. Lindo.
Faz pelo menos 7 meses que não relaciono com ninguém além do meu cigarro. Não os brancos, falo de tabaco, daquele que você põe na seda, enrola e fuma. Habilidade essa que aprendi com ela também.
Pequenos cacos fazem uma grande janela, e muitos desses pedaços foi ela quem colou. Alguns desenhados a mão, outros roubados de um supermercado qualquer. Olhar para fora é ve-la em fragmentos, obstruindo a luz; uma miragem. Não importa quantas pedras eu arremesse, a vidraçaria continua intacta onde ela tocou, e estilhaçada onde não esteve.
Eu devo muito a ela. Primeiro por me ensinar a ser humano. Substituir meu processador por um coração e me mostrar que nem tudo na vida é racionalização. De suas mãos vieram o calor que deram partida no meu maquinário, assim como foram suas palavras que guiaram o condutor. Sei que muitas coisas são recíprocas, mas já não ouço mais o cantor deste pássaro. Ele pode ter feito ninho longe daqui, como pode ter sido devorado por predadores a espreita.
Devo-lhe também meu vazio. As coisas boas se foram todas, assim como as ruins. Não é verdade que quem não sorri também pensa em sua morte - de alguns cenários se ausentam ambos. As vezes caminhamos sem rumo, as vezes saltamos sem paraquedas. Nada é certo além de quem somos.
Ninguém demonstra interesse por mim como você fez um dia. Meu estigma talvez escorra, feda, afaste. Não sei se por medo de nunca atingirem seu tamanho ou por saberem que minha luz se apagou. Eu não tenho muito a oferecer além de quem sou, e agora que fui roubado de mim, sequer tenho isso.
Obrigado por me matar. Eu não teria coragem de fazer isso sozinho. Agora experimento o que sempre ouvi de seus lábios ser seu maior medo.
Descartável.
submitted by Cadaverin to desabafos [link] [comments]


2020.09.09 22:17 BanselSavant A maldição da demissexualidade

Edit: a "namorada" me chutou. A gente ia se encontrar na segunda, adiou, na semana que vem, agora nunca. Depois n querem meu psicológico fodido. Me dispensou pois pretende se mudar pro nordeste e facilitei isso com umas informações que n tinha. Sucesso pra ela, enquanto eu continuo na merda. Nada muda E a outra lá eu chutei. Sanguessuga malvada
Acho que é óbvio o paradoxo, mas quero discutir. Sim, por causa da pornografia, um monte de fetiches e invejas me surgiram, como pegar em festa, ou em público, ou em situações específicas, etc, mas n sei se conseguiria fazer de fato. Sou um fracasso na vida, logo na sexual também. Todo sexo q tive foi pagando e o que foi "na amizade" mesmo pagando foi o único q gostei, justamente pela amizade, pela conexão, pelo gostar da mina. Posso ficar duraço com uma mina que vejo na rua, mas obviamente n poderia chegar ou tentar algo. Essas histórinhas de rolar com desconhecidos deve ser meme ou com sortudo, como uma que a ex (diaba muito diaba) me contou. Conversaram um pouco na piscina do hotel e foram e fizeram no banheiro. Queria muito saber como ele convenceu ela a isso, como ela n se arrepende e tal (n q deva ter motivo de arrependimento. Quero q ela se exploda), como rola essa conexão. Parece q existe palavra mágica. Invejo esses caras q conseguem boquete aleatório de desconhecida, etc. Roteiro de pornô, mas da uma depre pq existe na realidade e queria q rolasse comigo. Diversas vezes fiquei atraído e seria tão massa se rolasse, sem machismo, sem estupro, sem forçação, sem mimimi, só tesão, dois corpos se pegando. Obviamente acho q n sou atraente. Sou estranho, alto, magrelo, desvio os olhos, etc. (Tou melhorando, mas longe de ser um garanhão) Mas convenhamos q muitos feios pegam, que muitas minas só querem o pau e tão nem aí se o cara é casado, santo ou bate na mãe. Muitas tem seu tesão e queria topar com uma que só rolasse e tal. Seria tão massa. Maaaaas eu conseguiria? O pau continuaria duro? Conseguiríamos um posição confortável? São tantas dúvidas e pensamentos q quase piro. Por outro lado, quero a minha gata, passear pelo corpo dela, endeusá-la, ajudá-la a sentir todo prazer possível. Eu sou romântico. Mas parece que romantismo afasta as mulheres. Qual o problema de meter até o talo sim, num banheiro sujo qualquer, mas com carinho? N gosto mesmo da ideia de objetificar, por mais q tenha meus fetiches de dominação. Dominação é objetificar? O que difere uma mina que gosta de ser chamada de puta do cara que chama ela de puta? Ela é um lixo? Ele é um lixo machista? Acho que notaram q tenho dúvidas sobre pessoas em geral. Gostaria de entender, como lidar com as pessoas, como reconhecer que uma mina tá a fim... É meme aquela história (isso é exemplo) do caminhoneiro que mostrou o pau pra filha do dono do posto de gasolina, incentivou ela a entrar na cabine do caminhão, tocar nele, chupar ele, ele depois mandar ela se limpar e n dizer nada a ninguém e ainda ela ainda ter gostado de tudo isso? N que eu queira mostrar o pau por ai, mas já vi tanta história de cara exibicionista que despertou tesão na mina e comeu ela. Ou é tudo meme? Ou acontece mesmo, principalmente nesses interiores de fazenda, região rural e menos urbana ("menos civilizada")? Pessoal, são dúvidas sinceras. Meio que tou namorando agora e tou sem saber lidar com ela. N gooooosto dela, mas n quero perder ela. Eu sei que pareço um canalha que vai usar ela e depois abandonar, mas realmente n quero isso. Se for para deixar ela, ela vai continuar virgem, pq n vou me aproveitar. Já cometi uns erros na vida e minha disciplina está intacta, meu senso de moral engrossou. N é divertido machucar coração. N é divertido fazer mal a alguém. Mas já vi tanta história de casais q de comum acordo desvirginaram, mas n ficaram naquela de ficarem juntos para sempre. Já vi tanta história de nego q comeu e abandonou e a mina continua a vida como se nada tivesse acontecido, n sente raiva dele e tal. Deliberadamente eu casaria sem hesitar com umas meninas específicas, mas n essa "namorada". Moramos perto, mas ainda n nos vimos pessoalmente. Quando acontecer, vou poder estourar ela de beijos (devo, por palavra dela), mas nem pensar muito em algo sexual. Okay dela n daaar no primeiro encontro. Compreensível, mas em algum momento vai rolar. Acho q sinto um medo de ficar preso a ela. Sou muito sentimental e sabem a ex diaba q citei? Diaba pq ela casou e ainda me contata. E ela é de outro estado e nunca nos vimos pessoalmente. Ela me persegue, acho q esperando q eu mande ela tomar no cu e bloqueie. Mas n sou de fazer isso. Tenho raiva dela, mas se eu externar, meu coração q vai sentir e n vou ter um piripaque por causa dela. Mas é notável q ainda sou um pouco preso a ela. N no sentido amoroso ou sexual (quero que ela se exploda²), mas n consigo levantar o dedo para dar fim de vez a esse contato. Sinto q eu perderia algo. Sabem a história dela com o cara na piscina? Consegui arrancar dela indagando sobre tesão feminino, oq no homem atrai a mulher e tal, pois já que ela é mulher experiente e eu preciso de respostas, resolvi tentar aprender um pouco, tirar algum proveito dela, depois dela brincar tanto comigo. Gente, o que eu faço? Tou certo em algo? Tou errado em algo? Em q? Oq faço? N quero machucar ninguém e com essa postura acabei bem machucado pelos anos ae (antes e depois de eu ter cometido os uns erros que citei)
submitted by BanselSavant to sexualidade [link] [comments]


2020.08.24 23:28 AramilGalamion Minha (18) namorada (17) me pediu um tempo e eu estou perdido

Minha (18) namorada (17) me pediu um tempo ontem, isso me abalou de uma forma que eu nunca tinha sentido. Sinto-me vazio.
Ela vinha agindo de uma forma bem distante, e, sempre que eu perguntava, ela parecia ter receio de falar o que era. Ate que ontem ela disse que estava triste, mas nao tinha bem um motivo.
Ate entao tudo ok, normal ficar triste assim, mas fiz a terrivel besteira de me doer por conta da tristeza dela, aquilo tinha me afetado. Acabei me sentindo deixado de lado e perguntei se ela ainda gostava de mim. Aquilo fez ela começar a desabafar dizendo que quando eu fazia isso ela se sentia mal, e nao foi a primeira vez q eu tinha feito. Tivemos uma longa conversa.
Depois disso ela pediu um tempo e falou que agradecia por tudo. Quando perguntei se era um termino ela acabou dizendo "O tempo dirá".
Agora nao sei se devo falar denovo com ela, e se sim, quanto tempo devo esperar para isso. Estou perdido, eu a amava muito. Sinto que desculpas nao irão funcionar, mas eu sinto que devo fazer algo, por mais inutil que seja. Peço que me ajudem.
Detalhe: toda a conversa foi pela dm do twitter, nao nos vimos pessoalmente.
submitted by AramilGalamion to desabafos [link] [comments]


2020.08.23 00:19 johnmarston1997 A Odisséia da minha vida sexual (até agora)

Não tenho um motivo pra claro pra escrever este desabafo, além de querer que outras pessoas aprendam com meus erros, e talvez não se sintam tão ruins sabendo que os problemas que elas enfrentam, muitas outras enfrentam também.
Pra começar, desde criança, sempre ouvi que eu era bonito. Tenho olhos azuis, cabelo liso, mas essa bajulação acabou me fazendo mal como vou mostrar mais adiante.
Passei o ensino médio inteiro sem pegar ninguém. Naquela época tinha acabado de virar metaleiro e meu cabelo tava quase na cintura, além do mais não fazia ideia de como chegar em alguém. Teve uma vez que eu cheguei a falar pra uma menina olho no olho que eu gostava dela, sendo que nós nem éramos tão próximos, só que obviamente ela disse não (afinal, o que mais ela poderia ter feito diante de uma abordagem tosca dessa ?).
Enfim, dae fui pra faculdade ainda bv, com 18 anos. Fui fazer o curso de engenharia eletrônica numa federal e até aquele momento as pessoas diziam "é assim mesmo, as coisas vão mudar quando você entrar na faculdade". E de fato, esse pensamento cômodo de que" você é bonito, não precisa se preocupar" me atrasou muito. Nada cai do céu, jovens, nunca se esqueçam disso. Enfim, fui pra algumas calouradas com alguns amigos, e finalmente perdi o bv. Uma menina simplesmente me agarrou e começou a me beijar. Não era nenhuma modelo, mas pra quem tava começando ja tava ótimo. Porém, eu, tabacudo como eu era, não peguei o número dela, e ficou por isso mesmo.
Porém, logo o logo o curso começou a apertar de verdade, e eu não tinha tempo pra mais nada além de estudar. Então passei dois anos sem dar um beijo sequer, sem marcar um encontro, nada.sem falar que ainda era virgem. Meu pai àquela altura já estava começando a achar que eu era gay, então me deu dinheiro e disse pra eu ir contratar uma prostituta. Fiz isso, e apesar de ter perdido a virgindade, o negocio foi uma merda. Nem fez tanta diferença assim no final das contas. O sexo foi completamente desajeitado. Até que com 21 anos, uma menina praticamente caiu do céu no meu colo. Tava no restaurante universitário, tinha acabado de sentar com o meu jantar e a menina da minha frente simplesmente falou comigo dizendo que queria me pegar kkkkk além do mais era razoavelmente bonita, então dessa vez aprendi com os meus erros e peguei o numero dela. Marcamos de jantar e depois consegui convencer ela a ir num motel e finalmente perdi REALMENTE a virgindade com 21 fucking anos.
A partir daí, meu objetivo passou a ser conquistar garotas sem depender da sorte de uma delas simplesmente cair do céu no meu colo. Comecei a usar o tinder pesadamente, e descolei várias transas assim, porém logo percebi que a desvantagem do tinder é que as garotas mais atraentes não o usam, pois não precisam. Dessa forma, você fica restrito às garotas feias ou medianas.
A princípio, isso pra mim não era problema. Tava na minha fase de urubu, pegava qualquer uma que me desse mole.Pegava até mulheres de 40 anos. Só o sexo era importante pra mim nessa época . Mas logo logo fui enjoando. Fui querendo ter algo a mais, comecei a desejar algo que até então nunca tinha tido: um relacionamento. Até agora todos os relacionamentos que eu tinha eram casuais, visando apenas o sexo. Não tinha vontade de namorar nenhuma das mulheres com as quais eu transava.
E assim, percebi que tinha que mudar minha estratégia. Comecei a perceber que pqra arranjar alguém que eu realmente gostasse, precisaria aprender a conquistar alguém ao vivo e a cores, e não por um aplicativo. Isso era algo que eu não sabia fazer( e eu ja tinha 23 anos), mas tinha que aprender urgentemente. Vi todos os vídeos de YouTube possíveis sobre o assunto, e começei a abordar mulheres em baladas e festas, a princípio sem muito sucesso.
As coisas realmente mudaram no Carnaval deste ano. Fui com alguns amigos meus e consegui aprender algumas coisas sobre abordagens. Ao longo do Carnaval, devo ter beijado umas 12 meninas ao todo, sendo que 2 delas resolvi pegar o contato pra depois. A partir de então, finalmente consegui sentir um pouco de confiança em mim mesmo em relação às minhas habilidades Porém, logo, logo, veio a pandemia, e desde março não tenho um encontro, um beijo, nada. E provavelmente vai ser assim pro resto do ano.
Enfim, quis fazer isso pra mostrar que se relacionar não é algo fácil pra muita gente. Pra mim certamente não foi. A sensação que eu tenho é que eu tive que aprender coisas que a maioria das pessoas já naturalmente sabem. Até os 22 anos, não fazia ideia de como pegar alguem. Hoje,não sou nenhum Casanova mas pelo menos tenho uma ideia melhor do que eu devo, ou não devo fazer. Mas no final das contas ainda não arranjei uma namorada depois de tudo isso hahahahahah
submitted by johnmarston1997 to desabafos [link] [comments]


2020.08.22 02:53 RainLyrics Conflito interno , tenho 19 anos e estou perdido na vida

Atualmente tenho 19 anos e concluí o ensino secundario em ciências e tecnologia no entanto nunca parei para pensar no meu futuro e acabei o 12ºano com média de 11.
La cheguei ao 12º ano, o tempo voou, pelo caminho fiz amigos para a vida e conheci uma rapariga incrível em todos os sentidos com que comecei a namorar, nunca me tinha sentido tão bem, até começar a pensar no futuro, estar com os amigos ou a namorada e a certa altura eles falaram dos seus planos para o futuro e questionarem-me a cerca dos meus e eu não saber bem o que responder deixava-me agoniado , mas o golpe maior foi num dia em que fiquei de dormir em casa da minha namorada , nessa noite ao jantar com os pais dela quem me fez essa pergunta foram eles...tanto eu como a minha namorada ficamos sem reação, ela sabia perfeitamente que eu arranjava sempre desculpas, mas que com os pais dela nunca iria resultar, enfim que situação, acabou ela a responder por mim....na maneira mais sofisticada possível que eu "não sabia", que ambiente, só queria fugir dali, passei a noite toda acordado a pensar naquela situação, não sabia sequer o que queria da vida e ali ao meu lado estava uma rapariga com a vida toda pensada, nos dias seguintes a situação não melhorou, sentia que a vida de toda gente estava a seguir o rumo certo e depois sobrava eu, ali encalhado sem saber para onde me virar, não consegui suportar a situação e num dia algures em março acabei com ela...que sentimento...senti-me completamente podre...nem lhe conseguia olhar na cara enquanto ela chorava, la me fui embora enquanto ela olhava para mim a chorar e perguntava o porque, que situação, menti a minha mãe e la disse que ia dormir a casa de um amigo,na verdade, com os trocos que tinha apanhei o bus para a praia, era fim da tarde/noite e la me fui deitar na areia enquanto chovia, claramente não consegui dormir ali, doía-me o peito e estava frio ainda assim la andei ali até ao horário do ultimo autocarro só para me aperceber que não tinha dinheiro para voltar, enfim comecei a andar por ali, a certa altura tive a vontade 2 horas e tal sem encontrar ninguém a caminhar nos passadiços de madeira, até me lembrar de ir para casa, demorei quase 4 horas a pé, nos dias seguintes também fui cortando o contacto com os amigos mais próximos, não queria que percebessem o quão triste a minha vida era.
Já la vai uns quantos meses, ela e alguns amigos ainda tentam fazer contacto comigo, ainda penso nela e nas pessoas que deixei para trás, passo os dias sem fazer nada, na expectativa de talvez vir a tomar uma decisão, parece que nunca tive tanto tempo como agora, no entanto sinto um desconforto autentico, como se ainda fosse a tempo de ter um futuro.
Sinto-me perdido de varias maneiras e não estou a conseguir lidar com a vida , gostaria de receber alguns conselhos.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATUALIZAÇÃO
Ainda não consigo acreditar, dificilmente consigo-vos expressar o quanto me custou mentalmente pedir ajuda, ontem a noite após ter escrito tudo o que tinha a expressar e após o dilema entre publicar e não publicar la tentei publicar, na qual a publicação foi removida automaticamente, comecei a rir que nem um perdido, enfim la tentei outra vez e la foi removida automaticamente outra vez...desisti e la me fui deitar, hoje ao ir ao telemóvel reparo nas notificações...nem acreditava, tinha ido dormir a acreditar que não tinha publicado nada, nem sequer pensava em voltar a tentar. Fui lendo os comentários ao longo do dia e assim que possível tentar atualizar a minha publicação, entre concelhos, experiências de vida, pessoas a oferecerem-se para me ajudar e a pedir mais informações sobre a minha situação decidi que devia falar um pouco mais do que me levou a esta situação.
Vivo apenas com a minha mãe, o meu pai morreu quando eu tinha 3 anos e a minha mãe 26, desde que me lembro ou pelo menos desde o meu pai ter morrido que temos problemas financeiros, diria facilmente que a única família que tenho é a minha mãe e uma prima dela que vemos ocasionalmente, ainda assim dificilmente sentia alguma diferença entre eu e as outras crianças até chegar aos meus 13 anos, de alguma maneira começava-me a afetar o aperceber-me que era pobre, a minha mãe fartava-se de trabalhar e ainda assim vivíamos desde que me lembro nesta casa velha, pequena e cheia de humidade, não me faltava nada mas vivíamos com o mais básico que existe, por essa altura la me deixei afetar por isso e cai numa fase rebelde, fiz a minha mãe chorar bastante e la chumbei o ano embora as minhas notas de anos anteriores fossem 4/5s , passando esta fase, novo ano, as minhas notas voltam a ser 4/5s ate completar o 9ºano ,entro no ensino secundário e a mentalidade muda, já falam em fazer medias para mais tarde se ir para universidade, no entanto nos não temos condições financeiras para eu ir para a faculdade, nunca sequer for uma possibilidade discutida, porque razão devo me chatear a estudar?Lá prossigo o secundário, altura em que se começa a ir sair mais e a gastar algum com os amigos, no entanto não posso pedir dinheiro a minha mãe para isso...não sou capaz, entre o meu 11º e 12º ajudava as vezes num cafezito e fazia de ajudante de trolha de um senhor que conhecia para ganhar algum, nunca contei isso aos meus amigos ou namorada...preferia inventar sempre algo, estou no inicio da minha relação e acontece que acabo por ir a casa dela...claramente já sabia que os pais dela tinham posses, era fácil para mim perceber isso no entanto o que pensava ser a realidade estava noutro nível, só a sala da casa dela era maior que a minha casa, os pais dela eram pessoas de estudos, bem educadas que viviam numa outra realidade, isso mexeu muito comigo, a partir dai comecei a esconder ainda mais a minha vida dos outros, em momento algum convidei a minha namorada ou amigos para irem a minha casa, e la ia vivendo ate chegar ao mês de março, por essa altura a minha relação com ela tinha crescido de tal maneira que eu tinha a certeza que ela estava completamente apaixonada por mim e eu por ela, não conseguia pensar noutra coisa, estávamos sempre juntos, ela já falava no nosso futuro e eu acompanhava, estávamos em sintonia, no entanto sempre que tínhamos essas conversas eu ficava apreensivo, de que maneira conseguiria suprimir as expectativas dela? Ela sempre soube o que queria para ela, no entanto eu deixei andar, nunca me preocupei com o meu futuro, eventualmente como já disse...acabei com ela , provavelmente por sentir que não a conseguiria acompanhar.

submitted by RainLyrics to portugal [link] [comments]


2020.08.17 21:15 Pleasant_Flow_6803 Estou Feliz, agora. Desabafo em forma de AmA

Prelúdio
Faz alguns meses que conversando aqui e no brasil tenho pensando em uma forma de retornar a comunidade o tanto que eu ganho lendo e respondendo posts. No entanto não curto falar muito sobre a vida privada, é muito fácil juntar algumas peças e perder a privacidade na internet.
Em alguns desses posts pude dividir histórias com pessoas passando por um momento difícil, e mesmo com alguns pedidos para falar mais sobre, sentia esse problema da privacidade para aprofundar em algumas respostas.
Tive então ideia de fazer um Ask me Anything(AmA) por aqui(mods, ta valendo?) em formato de desabafo. Obviamente essa é uma conta nova, descartavel.
Meu desabafo
Eu uso nosso subreddit como uma forma de elevar minha empatia. Sempre tive muito dificuldade com empatizar com pessoas em situações distantes a minha realidade. Quando entrei aqui a ano atrás consegui em poucos dias ja melhorar muito no meu dia a dia. Nunca fui indelicado com ninguém(eu espero) mas na minha cabeça sempre via os problemas como muito fáceis de resolver e parecia que as pessoas gostavam de passar trabalho.
Depois de ir na terapia(com essa meta de melhoria da empatia), consegui abrir a mente e os olhos. Por motivos diversos, o ser humano não consegue sair de dentro do problema e ver as coisas de forma desconstruída. Quando se está de fora, sem o peso de tomar uma decisão, tudo tende a ser mais fácil. É preciso ter empatia para ver isso.
Sobre Mim
Minha conta oficial no reddit é de 2013, mas tenho usado mais nos últimos 5 anos.
Tenho 36 anos, casado, dois filhos de 8 e 3 anos.
Minha esposa e eu estamos felizes, e a pandemia teve um efeito positivo, estamos mais próximos do que nunca(seja no aspecto de parceria, amizade ou seja no sexual).
Nos conhecemos jovens ainda, começamos a namorar aos 21 anos(sou alguns meses mais velho).
Tive bons privilégios familiares na minha criação. Família com amor e uma certa estabilidade financeira(pai bancario, mãe professora). Até os 18 anos, sempre morei no interior(cidade de 10k habitantes), ou seja por um lado tinha computador já aos 10 anos, mas demorei a ter internet(comparando com pessoas da mesma idade morando em capitais) e só fui ao cinema em raras ocasiões na infância(vi Jurassic Park no cinema);
Pelo pai bancario, nos mudamos umas 3x entre meus 8 e 14 anos.
Sai de casa com 20 anos pra ir pra capital do estado, desde então pago minhas próprias contas.
Ja morei em 3 capitais de estado no Brasil.
Minha 1a viagem internacional foi em 2013, desde então fiz mais 5 viagens internacionais longas.
Ja perdi amigo idiota em troca de virar amigo da namorada dele que ele destratava, hoje é nossa amiga de coração.
Já perdi um grande amigo por EU ser babaca com ele, hoje nos falamos, mas nunca mais tivemos a mesma relação(é uma das razões por buscar ter mais empatia).
Quase morri atropelado por um ônibus, fui salvo por um anjo até hoje desconhecido pra mim.
Gosto de jogar, e tenho conseguido em média jogar quase todo dia, mantendo uma bom balanço dando atenção pra família e para o trabalho.
Tenho uma renda muito boa, mas como bom classe média brasileiro, vivo em voltas com bons e maus momentos financeiros(estou trabalhando para melhorar)
Já chorei por achar que nunca ia ter uma companheira, muito menos uma família.
Ask me anything
Acredito que abri varias possiveis tópicos, que posso com a tranquilidade do anonimato, responder qualquer coisa que queiram saber. Muito coisa devo ter esquecido de pontuar, fiquem a vontade para trazer qualquer assunto.
Como é balancear familia, casamento, jogar no pc e trabalhar? Consigo dormir?
O trabalho me realiza? Já demiti pessoas? Ja fui demitido?
Sexo 1 vez por mês ou todo dia? Rola orgasmo para os dois? fazemos anal?
Ja passei fome?
Qualquer pergunta está valendo, farei um o máximo possível para dar uma resposta verdadeira a respeito da minha vida, e com profundidade para realmente ajudar.
Regras
Vocês já sabem que no Brasil a única regra, é não há regras.
Bom, eu só peço para serem verdadeiros em suas perguntas. Pergunte algo que vai te ajudar.
Eu vou responder tudo, tudo mesmo. Mas ficarei muito feliz em saber que além de uma curiosidade sua, a pergunta esta relacionada a um problema, uma situação complicada e você precisa de um ponto de vista diferente, distante do teu cenário.
Fiquem bem!
submitted by Pleasant_Flow_6803 to desabafos [link] [comments]